segunda-feira, 30 de abril de 2012

Encontro do PT no Crato fortalece aliança com o PSB

O Partido dos Trabalhadores realizou no último sábado (28) encontro regional com lideranças. O evento que aconteceu no Auditório da Rádio Educadora no Crato, reuniu cerca de 400 pessoas.

O destaque do evento ficou por conta da presença de vários partidos e, principalmente do PSB. O partido foi representado na mesa pelo pré-candidato a prefeito e deputado estadual Sineval Roque. Durante os discursos as lideranças de PT e PSB, destacaram a importância de uma aliança forte para derrotar o atual prefeito.

Nas palavras do deputado José Guimarães, “na política nem sempre dois e dois são quatro. Há um processo em curso e uma aliança em curso. Hoje, o PT e o PSB tem pré-candidato, mas lá na frente se avalia o melhor nome. Nada está definido ainda”, disse.

O pré-candidato do PSB, deputado Sineval Roque, disse que haver um entendimento muito grande. “Petistas e socialistas pregam a mesma coisa. Os dois vêm a necessidade de algo melhor para o Crato. Minha presença aqui, como a de Marcos Cunha no nosso evento, semana passada, mostra que nós continuamos trabalhando conjuntamente para construir um projeto novo para o Crato”, destacou Sineval.

O petista Marcos Cunha disse que tem conversado com vários partidos, mas com o PSB a aproximação tem se consolidado cada vez mais. “Isso é historio, tanto pela experiência de base aliada do governo estadual. Então essa proximidade, cada dia se torna mais uma realidade”, ressaltou Marcos Cunha.

Ao final o presidente municipal do PT, José Raimundo (JR), falou do evento com grande entusiasmo. “Saio daqui bastante entusiasmado com o encontro. Vejo que a representação política presente no evento, veio para dar o recado de que este arco de aliança deve ser construído com fervor no Crato”, finalizou JR.

O encontro contou com as presenças, além dos entrevistados, do secretário das Cidades Camilo Santana (PT), Samuel Siebra (presidente do PCdoB), Erivalton Freire (presidente do PMN) e a ex-deputada Fabíola Alencar (PDT); além dos prefeitos de Juazeiro do Norte, Manoel Santana e Barbalha, José Leite, ambos do PT.

(Foto: Fábio Lemos)

Curtas

FESTA: A cidade de Antonina do Norte completa 54 anos de emancipação política no dia 8 de maio e já está agendada uma grande festa. De 5 a 8 de maio as bandas Limão com Mel, Caninana do forró, Toca do Vale e outras. São 14 bandas nos cinco dias de festa. É um bom motivo para festejar, mas o ganho é político.

AINDA NA BRIGA: O secretário Camilo Santana, durante o evento do PT do Crato, garantiu que não haverá previas internas no PT e disse que continua na briga pela indicação. A prefeita Luizianne Lins é quem vai levar os nomes para discussão com o governador Cid Gomes.

CUSTO: Segundo matéria do Jornal o Estado, o custo de um vereador de Fortaleza chega a R$ 60 mil Reais. A questão é a seguinte: vale o investimento? Seria bom que a população de Juazeiro do Norte e do Cariri, soubessem o quanto custa aos cofres públicos os seus representantes. Com a palavra os presidentes das Câmaras.

DENUNCIA: Durante o lançamento das Cisternas do governo do Estado, sábado, Parque das Timbaúbas, moradores de Salitre denunciaram, por meio de uma faixa, a não execução do último lote nas comunidades da cidade. A responsabilidade era da prefeitura e de uma associação local. Desvio ou incompetência!

Prefeito Samuel Araripe reage e diz que fará sucessor no Crato

O prefeito do Crato, Samuel Araripe, afirmou, matéria veiculada pelo Jornal O Estado, que a oposição no Crato poderia ganhar a eleição deste ano, caso não estivesse toda dividida. Com isso, o prefeito prevê que vai fazer o sucessor. O atual secretário de Saúde e ex-chefe de gabinete, Cícero França, é o nome a ser defendido por Samuel. Para o prefeito, o secretário Cícero França, está preparado em razão de conhecer muito bem as carências do município.

Cícero é filiado ao PV e terá como vice, um nome do PSDB, ainda ser apontado. “Eu vou fazer o novo prefeito do Crato, porque o nosso grupo político é muito forte, o nosso candidato, além de competente tem muita identidade com o eleitorado, e nossa administração, de mais de sete anos consecutivos, tem um saldo muito grande”, ressalta Samuel.

E podia ser diferente?

O discurso não podia ser diferente. Seria surpresa se fosse o contrário. Não se pode esperar que o prefeito Samuel Araripe venha a publico dizer que é um erro técnico gritante tapar buracos no asfalto com cimento. É claro que ele vai se auto-elogiar.

Agora com relação a afirmação de que fará o sucessor, mesmo com a oposição dividida, o que pode ser reversível e os dois últimos eventos do PSB e PT, demonstraram isso, Samuel terá que tirar um grande coelho da cartola. Não quero aqui, nem subestimar a força da máquina pública, que acaba mesmo sendo usada; nem desmerecer o nome do secretário Cícero França. Mas, Samuel esquece que sua base também está dividida, veja-se o rompimento do vice-prefeito Raimundo Bezerra Filho, do PPS, e que seu candidato não tem nem experiência com as urnas e sua simpatia com a comunidade é bem questionada nos bastidores.

 Na verdade, no Crato, nem situação, nem oposição, podem bater martelo e dizer que a eleição está encaminhada. Ambas as força estão divididas e os cratenses correm o bom risco de ter muitas opções. Certo mesmo é que, se houver a união entre PT e PSB, eles partem como favoritos. Serão os governos estadual e federal unidos. E isso, pode significar um diferencial.

PMDB segue se isolando da base aliada em Crato

Por Tarso Araujo

O Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB-Crato) vem, com últimos eventos políticos, demonstrando que está deixando a discussão com os partidos da base aliada dos Governos Cid e Dilma no Crato e se isolando politicamente para a sucessão municipal deste ano. Nos dois últimos eventos realizados por PSB e PT em Crato, o PMDB não enviou sequer representante.

O pré-candidato do partido, Ronaldo Matos, esteve ausente do debate feito, tanto nos eventos abertos, quanto nos encontros internos com as lideranças da oposição ao governo do prefeito Samuel Araripe (PSDB). Dirigentes do PT e PSB, garantiram o envio de convite ao partido e seu pré-candidato, mas acabaram sem respostas e surpresos com a ausência.

“A nossa ideia de aliança está confirmada. Acreditamos que todos os partidos da base aliada deveriam estar juntos nesse momento”, disse Sangiorge Ribeiro, dirigente do PSB no Crato.

O isolamento político do pré-candidato do PMDB vem chamando a atenção de todos. Em visita ao Cariri há duas semanas, o ex-ministro Ciro Gomes, em entrevista coletiva, fez uma menção aos candidatos que “queiram vencer a eleição com conversa, falando mal dos outros”. Ciro observou que a eleição do Crato será vencida com propostas e união da base. No último sábado (28) o PT se pronunciou, através das suas lideranças, os deputados José Guimarães, Dedé Teixeira, o secretário Camilo Santana e o prefeito de Juazeiro, Manoel Santana, confirmando que o PT quer uma aliança com o PSB e com todos os partidos da base. No encontro, o PMDB não foi citado.

Segundo opiniões, Ronaldo Gomes de Matos, segue o perigoso caminho do isolamento. Apoiando a sua pré-candidatura, confirmado apenas o PSL. O PC do B ainda negocia. E esta semana pode haver uma baixa na campanha. O PMN deve fechar com a pré-candidatura do PSB, Sineval Roque.

Prefeito Santana: “Não tem vereador, nem ex-prefeito. Quem manda no PSB e Roberto Celestino”

O prefeito de Juazeiro do Norte, Manoel Santana (PT), em entrevista, ao repórter Rafael Boaventura, Rádio Tempo FM, disse que tem procurando o vice-prefeito José Roberto Celestino (PSB) porque o PT tem interesse de voltar a fazer uma composição com o PSB. O prefeito Manoel Santana disse, ainda, que Celestino é a maior liderança do PSB local, por isso não tem procurado, nem o vereador Roberto Sampaio, nem o ex-prefeito de Aurora Carlos Macedo. O próprio governador Cid Gomes, teria dito que Celestino é quem decidirá sobre a aliança do PSB em Juazeiro.

Santana disparou, ainda, contra o vereador Roberto Sampaio, alertando sobre a possibilidade dele não se reeleger, já que, na última eleição o mesmo se elegeu graças a legenda do PT. “Essa postura do vereador pode levar o PSB ao isolamento, comprometendo a reeleição dele é o futuro do partido”, disse Santana.

Sobre as conversas com Celestino, Santana observou que ambos estão tendo uma conversa franca e sincera, onde são colocados pontos polêmicos para ambos os lados, mas acredita chegar a um entendimento. Sobre a posição do PT, Santana disse que o partido já conta com várias siglas no arco de conversas, e que o partido deve se reunir em breve para começar a discutir as composições para 2012.

Em busca do tempo perdido

Na verdade, esse ainda é o efeito Ciro Gomes no Cariri. É possível que o ex-ministro tenha alertado Santana que o caminho é Roberto Celestino. E isso, é positivo por dois aspectos. Primeiro que a atitude dá força a liderança e, segundo, que prioriza a discussão local. Com isso, o prefeito Santana, sabendo da importância do PSB na sua base, começa a dar os passos para que os problemas entre os dois sejam sanados. A questão é: até onde, os dois, abrirão mão das questões pessoais para que prevaleça a política?

Quanto ao vereador Roberto Sampaio e o ex-prefeito Carlos Macedo, acredito que eles, por mais que não sejam os “indicados” pelo governador – palavras de Santana – ainda tenham certa liderança interna. E não acredito que Celestino tome qualquer decisão sem consultá-los. Agora não dá é para o vereador Roberto Sampaio continuar falando pelo PSB, onde tem fechado questão sobre a aliança.

Sobre Celestino, o que se percebe é que ele sofre com a situação, já que, não tem tanta experiência com as intempéries da política. Apesar de já ter comandado todos os órgãos representativos do comercio de Juazeiro, Celestino, ainda é novo na política partidária.

Certo mesmo, é que no Cariri os dois partidos caminham para firmarem aliança. Na Barbalha a questão já está definida; no Crato a tese ganha força a cada evento e no Juazeiro o inicio da reaproximação de Santana e Celestino já começou. Só não dá é para o prefeito Santana articular com Celestino, deixando de lado as outras lideranças do PSB. A decisão de vir, ou não, deverá ser coletiva.

sexta-feira, 27 de abril de 2012

PTB sinaliza aliança com PDT em Fortaleza, mas no Cariri é pouco provável

Assim como ocorreu nas eleições de 2008, o PTB de Fortaleza deverá firmar aliança com o PDT para as disputas de outubro. A informação é do jornalista Eliomar de Lima, Jornal O Povo. O PTB, através do presidente regional, deputado federal Arnon Bezerra, não mostrou interesse na indicação do vice na chapa que deverá ser encabeçada pelo deputado estadual Heitor Férrer.

Dirigentes, parlamentares e filiados do partido se reuniram na sede do PDT, na noite de ontem, quando algumas estratégias foram definidas. O partido deverá ter 60 candidaturas à Câmara Municipal de Fortaleza, sendo que 25% serão por mulheres.

Caso a aliança com o PTB seja confirmada, o PDT deverá ficar com cerca de três minutos e meio de tempo de rádio e televisão, durante o horário eleitoral gratuito.

Haja fôlego

Na verdade, a vida do deputado Arnon Bezerra não está muito fácil; além de articular sua pré-candidatura em Juazeiro do Norte, tem a tarefa de definir os rumos do partido no restante do estado. Mas, acredito que o deputado Arnon tem experiência e competência para cumprir as tarefas.

Agora, é inegável que a sinalização dá um fôlego a mais ao PDT da capital, que já se preocupava com a falta de parceiros para a eleição. A preocupação agora fica a cargo da não indicação do vice para a provável chapa. Isso pode significar que o PTB sinaliza, mas, ainda, não fechou definitivamente. Ou seja, sem cargo, sem compromisso.
 
Analisando as mesmas possibilidades para o Cariri, podemos dizer que é pouco provável. A decisão de Fortaleza poderia, até, animar o PDT de Juazeiro, mas o quadro local não dá qualquer indicação disso. Aqui, Arnon continua pré-candidato, tem o apoio preferencial de Salviano, mas elogia Raimundão. Ou seja, tudo indefinido. No Crato, o PDT, sequer, tem candidato, e o PTB deve seguir com o candidato do prefeito Samuel Araripe. E na Barbalha a definição é pelo apoio ao prefeito Zé Leite, do PT.

Curtas

VIAGEM: O governador Cid Gomes (PSB) está no Recife (PE) para participar de reunião na sede da Sudene, onde serão discutidas políticas de combate à seca. O detalhe é que hoje e seu 49° aniversário e, com certeza, ele espera não encontrar com o governador Eduardo Campos. O medo é ganhar um presente de grego.

DEBANDADA: A Executiva do PSB de Brasília deve formalizar hoje o rompimento da aliança com o PT no Distrito Federal. Com isso, mais um partido abandona o governador Agnelo Queiroz, suspeito de envolvimento na CMPI do Carlinhos Cachoeira. O PSB não é o primeiro a romper depois das denuncias.
 
BARBALHA: Comenta-se nos bastidores que o grupo de oposição em Barbalha estaria disposto a ceder a cabeça da chapa ao PMDB para atraí-lo, definitivamente, para o grupo. A conversa só não define quem seria o nome, se João Ilário ou sua esposa Betilde. É o PMDB cada vez mais forte no Cariri!

SEM DEBATE: Com a sessão esvaziada a Câmara Municipal de Juazeiro do Norte, deteve-se apenas a leitura de correspondências, o que, tornou os trabalhos sem sentido. O vice-presidente da casa, vereador Gledson Bezerra, acusou o presidente José de Amélia Júnior de engavetar os projetos, evitando assim o debate as votações.

Vereador do PSD anuncia bloco de oposição em Caririaçú

Segundo matéria veiculada ontem, no site Miséria, o vereador Bosco Machado (PSD) de Caririaçu aponta que a oposição está organizada e terá candidatura própria nas eleições deste ano na cidade. De acordo com Bosco, a oposição se fortalece e deve ter como representante na disputa o empresário João Marcos. Para Bosco a oposição formada por PMDB, PTN, PSD, PSDB e PT do B deve marchar unida e apresentar uma proposta diferenciada para guiar os destinos de Caririaçu.

O vereador que, recentemente, saiu do Partido dos Trabalhadores, lamenta a posição do partido em apoiar o prefeito Edmilson Leite (PSB). “Saí do PT porque o partido não quis fazer oposição ao governo de Edmilson Leite. Esse governo não está cumprindo as promessas de palanque para melhorar a saúde, educação e agricultura de nossa cidade”, afirmou Bosco. O parlamentar acusa, ainda, a atual gestor de ser centralizador, não escutado o povo e não tem transparência.


Discurso genérico

É bom destacar que a existência de candidaturas de oposição em processos eleitorais é natural e benéfico a democracia. É também natural que um prefeito não seja unanimidade entre os políticos locais. Caririaçu não podia ser diferente.

Agora, o que falta aos nossos políticos é melhorar esses discursos genéricos, sem consistência argumentativa. Não quero aqui dizer que o vereador Bosco esteja errado nas suas colocações, mas é importante que a população tem preferido propostas que solucionem os problemas. Apontar somente os problemas, já não convence. Ou seja, as coisas estão mudando. É preciso se adaptar.

Quanto ao PT estar dividido, isso não é tão incomum. O PT é partido composto por grupos que discutem e, até, quase sempre, rivalizam internamente. E isso, deve ter sido o motivo do vereador ter mudado de sigla. Agora, não podemos negar que o PSD tem sido uma mãe para os descontentes de várias siglas.

Sobre as denuncias de irregularidades administrativas, feitas pelo vereador, é importante que ele cumpra seu papel e as encaminhe ao Ministério Público e outros órgãos competentes para apuração.

O vereador Bosco acusa ainda o gestor de ser centralizador, o que, vale salientar, não é tão incomum nos dias de hoje. Agora, é importante que os dois poderes entendam que a democracia é a arte do debate, onde eu coloco o meu posicionamento, mas aceito o pensamento discordante. E ai, vence o debate quem tiver mais poder argumentativo.
 
É importante que as forças de situação, lideradas pelo Edmilson Leite e a oposição, pelo Dr. João Marcos, travem uma disputa pautada no debate limpo e de apresentação de propostas. A população de Caririaçu, com certeza, agradecerá.

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Colunista da capital diz que o PMDB do Crato quer ser vice

O colunista político do jornal O Estado, jornalista Macário Batista, diz hoje em sua coluna que o pré-candidato do PMDB a prefeitura do Crato, Ronaldo Gomes de Matos, se fez sozinho no caminho para chegar a prefeitura do “cratinho de açúcar”. Segundo o colunista, nesse momento, tem aparecido padrinho e apoiador de todos os lados.

Mas, Macário Batista adverte que “ele que se cuide do PMDB dele mesmo”. E continua “a preocupação dos ligados a Gomes de Matos é que o PMDB quer fazer composições para arrumar uma vice seja lá para quem for de seu interesse”, diz o colunista. Macário termina afirmando que “o homem já é chamado até de Prefeito”.

Todo cuidado é pouco, não se ganha de véspera

O maior problema que Ronaldo deve enfrentar é que pode chagar ao topo cedo de mais. E quando se chega ao todo, o único caminho que tem como opção é para baixo. Ainda temos muito tempo para a eleição e Ronaldo já começa a se tornar alvo. Agora, é sabido que Ronaldo, realmente, tem trabalho muito. Ele está em ritimo de campanha e a dúvida e se ele terá fôlego, tanto físico, quanto financeiro.

É importante destacar que favoritismo exacerbado, nem sempre é benéfico, veja-se os casos de Carlos Cruz, em Juazeiro, e Waltim, no Crato, na eleição de 2004, que lideravam com mais 20% e findaram perdendo para Raimundão e Samuel Araripe, respectivamente.

Agora uma coisa é certa, segundo o colunista e, também, muitos cratense, o homem já se sente prefeito. Tanto que já teria abandonado os encontros com o PT e PSB que discute um projeto conjunto para o Crato. Estaria, ele, avaliando que não precisa mais de apoio e pode ganhar sozinho?
 
Só para observar, uma união entre PT e PSB, pode levar a eleição no Crato. Seriam os governos estadual e federal na mesma chapa. Sem falar que o governador Cid Gomes tem a eleição do Crato como questão de honra. Ou seja, para Ronaldo, ainda, não é a hora de se desgarrar do grupo da base aliada. Eleição é como jogo de futebol, só acaba quando termina. E o jogo em equipe, geralmente faz a diferença.

Curtas

DISCURSO: Para o presidente do Diretório Municipal do PSB da capital, Karlo Kardozo, Fortaleza é ingovernável sem alianças, mas ela têm que ser feitas em bases muito claras. Na verdade, ele repete o que tem proposto o governador Cid Gomes aos socialistas.

FRUSTRAÇÃO: Ilário Marques contava como certa a sua ida para a Câmara Federal. Não entendeu o recuo de Paulo Henrique Lustosa a quem consultara anteriormente. Ilario já havia se frustrado com o não afastamento do petista Eudes Xavier. Está difícil assumir uma cadeira na Câmara.

A CPI E O CEARÁ: O colunista do jornal O Estado coloca uma pulga atrás da orelha de todos nós quando diz que se a CPI chegar ao Ceará “vai dar rolo e botar muita gente aperreada com audiências e depoimentos e... quem sabe... até puxar um a caninha”. A dúvida é: será que o Cariri estaria incluído nesta análise?
REOCUPAÇÃO: Existe uma grande preocupação da comunidade universitária caririense com relação a instalação da Universidade Federal do Cariri. Mas, a demora deve se dar pela formalidade das datas. Para se ter uma ideia, só na Câmara deverá ser, no mínimo, três meses. Agora imaginem no Senado.

Candidatura do PT em Aurora é dada como certa e pode implodir aliança com PSB

“O PT é um partido de frente e em Aurora não vai ser coadjuvante”. A afirmação é do procurador de Juazeiro do Norte, Luciano Daniel, que tem seu domicílio eleitoral em Aurora e filiação ao Partido dos Trabalhadores local. Luciano disse ao site Miséria que a atual direção do PT da cidade não respeita o estatuto do partido e sequer se reúne para discutir as teses.

O procurador aponta o funcionário público do INCRA, Luiz Carlos Aquino Pereira, como o melhor nome para disputar a eleição deste ano em Aurora pelo PT. Luiz Carlos tem contatado os filiados para alertar sobre o que a atual direção estaria tramando. Segundo Luiz Carlos, o atual presidente, Isnard Gonçalves, tem tomado decisões de forma prematura, equivocada e, sobretudo, unilateral. A observação teria sido feita em reunião com lideranças estaduais do partido.

A atual direção local, que é uma comissão provisória, negocia apoio ao pré-candidato do PSB, o ex-prefeito Carlos Macedo. Mas, segundo Luciano Daniel, a tese não foi discutida com a maioria do partido e, por isso, não deve passar. Ele concluiu dizendo que o grupo descontente com a “manobra” já é muito grande e devem se reunir em breve para discutir a aliança que dará sustentação a candidatura própria.

Olho por olho

Na verdade, em Aurora, tudo parecia estar resolvido entre o PT e o PSB. Mas, pelo percebemos nada está definido. E, para piorar a situação da aliança, dada antes como certa, Luciano Daniel, assegura que grupo dos descontentes está crescendo. Coincidência, ou não, Carlos Macedo é o maior tencionador pelo rompimento do PSB com o PT em Juazeiro do Norte. Seria a história do “com ferro fere, com ferro era ferido?” Agora, em uma coisa, o PT de Aurora tem razão. O PSB do ex-prefeito Carlos Macedo, tem atuado dentro de uma lógica com dois pesos, duas medidas. Se o PSB não quer aliança com o PT em Juazeiro e prega abertamente o rompimento, porque, o mesmo grupo tem pensamento diferente em Aurora?

O certo é que a discussão já chegou a direção estadual e, pelo que se sabe, o deputado José Guimarães disse que eles resolvessem a situação. Nesse quadro fica claro, também, a fragilidade das decisões da direção municipal por ser uma comissão provisória. A direção estadual pode destituí-la no momento que quiser. Ou seja, foi dado o ultimato: se não resolver a estadual resolve. Os grupos terão que sentar para conversar.

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Salviano lança seu filho como pré-candidato a prefeito de Juazeiro

O deputado federal Manoel Salviano (PSD) lançou ontem, terça-feira (24), o nome do seu filho, Samuel Salviano, como pré-candidato do PSD a prefeitura de Juazeiro do Norte. A informação foi confirmada por Samuel que, já se comprometeu, caso eleito, em fazer uma administração para marcar a história de Juazeiro. Ele exaltou a primeira administração do pai como inspiração.

Manoel Salviano ainda não apresentou as possíveis bases de apoio para essa investida, mas acredita-se que seu ex-partido, o PSDB, pode ser uma dessas bases, já que a sigla, a nível municipal, ainda estaria sob seu controle. Com o lançamento, Manoel Salviano deixa a frente da disputa e passa a atuar apenas nos bastidores.

Surpreendente e revelador

A definição da pré-candidatura de Samuel Salviano é apenas a confirmação de que, realmente, Manoel Salviano não tinha pretensões de disputar diretamente a prefeitura de Juazeiro. Agora, o que surpreende é que a decisão foi mais caseira, que política. A grande questão é como ficará a sua posição, caso Arnon Bezerra confirme sua candidatura em junho. Salviano está, segundo ele próprio, comprometido com o nome de Arnon. Ou seja, ele cumpre o acordo é deixa de apoiar o filho, lançado por ele? A pré-candidatura de Arnon ainda continua colocada.

É claro que tudo isso, pode estar resolvido, caso a candidatura de Samuel, seja apenas uma estratégia e sua vida útil obedeça a um prazo determinado, o que, não é tão incomum dentro da política.

Agora, de concreto mesmo, será a dificuldade de Salviano em articular essa candidatura, caso, não resolva o problema da aliança. Os apoiadores “naturais”, como o PR de Vasques Landim e o PTB de Arnon, têm seus pré-candidatos e seguem seus rumos. Já o PSDB, além de estar sem forças, não é certeza de apoio, pois o presidente regional do partido, Marcos Cals, anunciou que em Juazeiro o apoio deve ser para Vasques. Para piorar o quadro, o PSD, ainda não dispõe de tempo de propaganda. Ou seja, poderemos ver pela primeira vez uma campanha apenas de rua. E, vale salientar, na era das comunicações, isso seria um desastre.

Sobre o primeiro discurso, podemos dizer que Samuel é, realmente, marinheiro de primeira viagem. Primeiro, porque já falou como favorito, o que não é. E depois desmereceu a segunda gestão do seu pai quando apontou a primeira como referencia. A referência deveria ser o estilo do gestor, não pontualmente uma gestão. Fica a ideia de que o diferencial foi a equipe ou a conjuntura, não o gestor. Ele tem muito o que aprender com o próprio pai.

Curtas

COMISSÃO DA VERDADE: A deputada federal Luiza Erundina (PSB-SP) vem ao Ceará discutir o real papel da Comissão Nacional da Verdade (CNV) no I Seminário Memória, Verdade e Justiça. O evento será realizado na próxima sexta-feira (27), no complexo das comissões da Assembleia Legislativa do Ceará (AL-CE).

CAÇA AS BRUXAS: O ministro do Supremo Tribunal Federal Ricardo Lewandowski determinou ontem, terça-feira (24), a abertura de inquéritos para investigar o envolvimento dos deputados federais Carlos Leréia (PSDB-GO), Sandes Júnior (PP-GO) e Stephan Necersian (PPS-RJ) com o bicheiro Carlos Cachoeira. Está apenas começando!


PERTO DA DEFINIÇÃO: O prefeito de Russas, Raimundinho, está em Juazeiro e, no decorrer de dez dias, já se reunirão com Raimundo Macedo, Manoel Salviano e Manoel Santana. Raimundinho se filiou ao PSL de Juazeiro e parece estar a procura da árvore que lhe dará sombra na terra do Padre Cícero.

PALAVRA MANTIDA: O deputado Arnon Bezerra recebeu ontem, terça-feira, comunicado do PTB, seu partido, para assinar a CPMI do Carlinhos Cachoeira. Ele se recusou e manteve seu posicionamento de não assinar. Arnon acha que investigação e papel da Polícia Federal, Ministério Público, TCM, TCU... não de comissão parlamentar.

Anunciada reaproximação entre Santana e Celestino

A jornalista Kyara Aires, site Ceará Agora, veiculou informação de que o prefeito de Juazeiro Manoel Santana (PT) e seu vice Roberto Celestino (PSB), afastados há meses, voltaram a se entender. Segundo a jornalista, Santana e Celestino resolveram ouvir o governador Cid Gomes (PSB) e o ex-governador Ciro Gomes (PSB) e, finalmente, fizeram as pazes. A jornalista adverte ainda que a sociedade juazeirense não deve se surpreender ao se deparar com a repetição da chapa no pleito de outubro.

Informações ainda desencontradas

Na verdade a informação é de bastidores. Não existe nada de concreto sobre a reaproximação entre as duas lideranças. Mas, apesar de Celestino negar a reaproximação e reafirmar sua pré-candidatura é, segura a informação de que os dois teriam conversado ontem a noite.

Se houve interferência de Ciro para reaproximar os dois, não é confirmada; mas, quanto ao desejo de Cid e Ciro na aliança entre as siglas, o próprio Ciro afirmou isso, ao dizer que a aliança entre PT e PSB em Juazeiro e Barbalha é o natural nesse processo eleitoral.

Acredito que a aliança tem possibilidade de sair. Mas, acredito também que muitas arestas ainda devem ser aparadas. Ou seja, muita conversa e ponderações ainda devem acontecer.

Santana sabe da importância do PSB na sua base e Celestino é homem pacificador e um político tendencioso ao diálogo. Agora, não se pode negar que houve situações constrangedoras para ambas as partes. E isso, ainda, não foi sanado. Mas, como eu sempre digo: não se faz política, nem com ódio, nem com rancor. E agora é esperar para ver o que acontece!

terça-feira, 24 de abril de 2012

Curtas

POSIÇÃO MERECIDA: O deputado federal cearense José Guimarães (PT) assume hoje, terça-feira (24), a liderança da Bancada Nordestina na Câmara dos Deputados. Ele substituirá o pernambucano Gonzaga Patriota (PSB). Bola dentro para o Ceará!

ISOLADO: Ciro Gomes não fez questão de chamar o vice-prefeito de Juazeiro para compor a mesa no evento de lançamento do “Atitude 40” na AABB-Crato. O que teria acontecido para justificar o isolamento? A atitude continua sem explicação.

DISCURSO PESADO: Ainda repercute o discurso de Ciro Gomes na CDL do Crato, em encontro com empresários. Ele teria dito: “Não podemos admitir que um escoteiro solitários, com o falso discurso do ‘novo’, ganhe a prefeitura do Crato”. Quem será o escoteiro solitário?

A TODO VAPOR: Enquanto Ciro articulava no Crato, o deputado Wellington Landim fazia o mesmo em Missão Velha. Ele, o prefeito Washington Fechine e os pré-candidatos a vereador George Fechine e Macedinho, visitaram comunidades e conversaram com lideranças locais. Estão correndo atrás!

Ferruccio Feitosa diz que governar Fortaleza “seria um sonho”

A declaração do secretário Especial da Copa, Ferruccio Feitosa (PSB), acontece na véspera da reunião entre o PT e o PSB de Fortaleza, que deve dar início as discussões sobre a aliança entre as siglas na capital. Ferruccio teve o nome ventilado pela imprensa da capital, na última semana, como provável pré-candidato a prefeito de Fortaleza para as eleições deste ano.

As declarações do secretário em reunião entre as executivas municipal e estadual do PSB na noite de ontem, segunda-feira (23). O governador Cid Gomes estava presente e disse que o sonho de Ferruccio é legítimo. “Fico feliz de saber que o Ferruccio tem um sonho nessa linha”, afirmou Cid.

Antes do início da reunião, Cid desconversou sobre o assunto do encontro com a executiva municipal do PSB. No entanto, Carlo Kardozo confirmou que a reunião seria para dar início a definição da aliança na capital. Cid destacou que já conversou com a presidente Dilma sobre as eleições em Fortaleza este ano e ressaltou que o ex-presidente Lula, com quem deverá conversar nos próximos dois meses, será peça fundamental na decisão em Fortaleza.

Esforço solitário

Parece que as lideranças do PSB começam a visualizar concretamente o rompimento entre o PT e o PSB de Fortaleza. A pré-candidatura de Ferrucio Feitosa é um exemplo disso. Agora o PSB tem dois pré-candidatos, ou seja, já começou a disputa interna.

Na contramão dessa tendência estão o deputado federal José Guimarães (PT) e o governador Cid Gomes (PSB). Eles ainda defendem a aliança.Na sexta-feira (20), Guimarães se reuniu com Waldemir Catanho, assessor especial da prefeitura de Fortaleza. A pauta não podia ser outra, convencer Catanho de que a aliança é o melhor para o PT e para Fortaleza.

No sábado (21), Guimarães continuou o esforço e se reuniu com o governador Cid Gomes. Acredito que o encontro com o governador foi para socializar o resultado da reunião do dia anterior. Mesmo sem uma certeza de sucesso da articulação, o deputado Guimarães demonstrou otimismo.

Agora uma coisa é certa, se Guimarães não conseguir articular a continuação da aliança, ninguém mais conseguirá.

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Dois deputados do Cariri foram contra a CPI de Carlinhos Cachoeira


Segundo a lista divulgada na última sexta-feira, pelo Congresso Nacional, os deputados Arnon Bezerra (PTB) e Manoel Salviano (PSD) não assinaram o pedido de instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar as ligações do bicheiro Carlinhos Cachoeira com políticos e empresários. No total 117 parlamentares tiveram a mesma atitude e, também, não assinaram o pedido.

Votaram ainda contra a instalação os deputados cearenses Aníbal Gomes (PMDB), Eudes Xavier (PT), Padre José Linhares (PP), Manoel Salviano (PSD), Mauro Benevides (PMDB) e Vicente Arruda (PR).

Votaram a favor os deputados André Figueiredo (PDT), Antonio Balhmann (PSB), Ariosto Holanda (PSB), Artur Bruno (PT), Chico Lopes (PCdoB), Danilo Forte (PMDB), Domingos Neto (PSB), Genecias Noronha (PMDB), Gera Arruda (PMDB), Gorete Pereira (PR), João Ananias (PCdoB), José Airton (PT), José Guimarães (PT), Mário Feitosa (PMDB) e Raimundo Gomes de Matos (PSDB).

O critério foi político

Em qualquer governo, uma CPI é sempre mal vista. É claro que, nesse caso, a coisa tendia mais para o lado da oposição. Mas, se tratando CPI nunca se sabe onde pode chegar. E isso, mete medo até, naqueles que apenas tiveram contatos formais com Carlinhos Cachoeira. CPI é caça as bruxas, não importa o lado.

Agora, é interessante analisarmos os critérios usados pelos parlamentares para tomarem suas decisões; os quais acredito terem sido estritamente políticos. No caso dos que votaram contra, imagino que eles usaram a ideia de fidelidade. Arnon não vinha muito bem junto ao governo, pelo menos, não como antes. Já Salviano acabou de entrar na base do governo e pode ter se sentido na obrigação de seguir a orientação. Ou alguém duvida que se ele estivesse no PSDB teria votado assim? O problema da decisão é o ônus que ela pode trazer; afinal ambos são pré-candidatos e podem ter essa decisão explorada caso suas candidaturas se confirmem.

Com relação aos que votaram a favor, alguns tiveram como motivo o fato de estarem ligados a campanhas deste ano; e outros acabaram adotando o critério do desgaste mínimo, do tipo: “Não vai dar em nada. Ela atingirá apenas adversários e, por isso, não vale o desgastar junto a opinião pública”.

Mas, uma coisa é certa. Com ou sem critério, tenho certeza que o povo cearense queria a instalação desta CPI.

Curtas

OPOSIÇÃO EM BARBALHA: O PDT se reuniu no sábado (20) e, por unanimidade, deliberou que terá candidato a Prefeito em Barbalha. A decisão é independente das articulações da base de oposição ao PT. O nome de Geraldo Sinésio é o indicado, mas ele preferiu esperar e uma nova reunião está marcada para o dia 5 de maio. O PDT é o primeiro a indicar oficialmente pré-candidato dentro do grupo de oposição.

UMA TENDENCIA: O PDT faz articulações na busca alianças para apoio ao seu pré-candidato em Fortaleza, Heitor Férrer. Em Juazeiro o cantor Alcymar Monteiro está na mesma situação, com imensas dificuldades para formar alianças. Em Barbalha a saga também já começou (ver texto anterior). O presidente regional, deputado federal André Figueiredo, afirma que o partido quer coligação, mas não descarta seguir com chapa pura. É a política do tudo ou nada!

FORTALECIMENTO: O deputado Sineval Roque definiu como “um grande dia” a vinda do ex-ministro Ciro Gomes ao Crato. Ciro fez várias reuniões para lançar o projeto Atitude 40 e de quebra pediu abertamente apoio a pré-candidatura de Roque, que destacou a importância da união da base oposição para vitória de um novo projeto para cidade. O empurrão já houve, agora é o Roque acelerar.

REFORMA POLÍTICA: A comissão se reuniu na semana passada. Mas, o relatório não será apreciado pelo plenário antes das eleições de outubro. O debate ainda gira em torno de como o relatório será votado, se de forma integral ou fatiado. As maiores polemicas estão no o financiamento público das campanhas eleitorais, lista pré-ordenada dos candidatos e a realização, ou não, de coligação para as eleições proporcionais. A reforma favorece aos partidos mais fortes e deve enfraquecer as legendas de aluguel. Muito boa!

Presidente da Assembleia seguirá orientação do partido e do governador sobre sua pré-candidatura em Fortaleza


O presidente da Assembleia Legislativa do Ceará (AL), deputado Roberto Claudio (PSB), falou com exclusividade ao site Miséria sobre o futuro da sua pré-candidatura a prefeito de Fortaleza. Segundo ele, sempre pautou sua conduta como militante fiel as decisões partidárias e, por isso, em Fortaleza deverá esperar a decisão do partido e do governador, a quem qualificou de líder maior do PSB do Ceará.

Sobre os nomes do PT, Roberto Claudio disse não fazer qualquer juízo de valor pessoal ou político sobre pré-candidatos de outros partidos, mas, acredita que Camilo Santana é um dos mais notáveis lideres da política cearense nos últimos tempos. “Seja em qualquer posição que o Camilo estiver, teremos sempre a certeza de um trabalho bem feito”, disse.

O presidente da AL disse, ainda, que o partido deve esperar os resultados do projeto “Atitude 40” para basear sua decisão relacionada a propostas para Fortaleza e outras regiões do Ceará. Roberto Claudio destacou que no PSB, hoje, existe um grupo que entende a candidatura própria como o melhor caminho e outro que segue a avaliação do governador Cid Gomes que acha a manutenção do arco de alianças como o melhor para Fortaleza e para o Estado.

Queda de braço

Na verdade, o que está em jogo é a dianteira na condução do processo eleitoral entre os partidos aliados. É uma luta pela liderança do grupo. O problema é que a prefeita Luizianne Lins tem levado essa tese às últimas consequencias. O grupo da prefeita em Fortaleza, já fala, inclusive, em rompimento. Luizianne quer a liberdade para escolher ser ou não candidata ao governo em 2014. Promovendo o rompimento e partindo para o controle do PT, ela acredita que conseguirá. Antes terá que derrotar o grupo do deputado José Guimarães no interior que trabalha pela aliança.

Se formos analisar as últimas alianças, imediatamente, anteriores a atual, o PT sempre comandou as decisões frente aos outros partidos. Eram partidos, inferiorizados em termos de representações, o que, não acontece agora. O fato de não dar as cartas sozinho e ter que negociar a indicação dos cargos, incomoda algumas alas do partido.

Agora é importante que o PT avalie que colocou, ainda em 2006, todo o seu capital eleitoral a favor dessa aliança. E agora com que cara o partido vai dizer aos cearenses que depois de oito anos percebeu que sua decisão foi errada e que o caminho é o rompimento. Acredito que será um tiro no pé. E que o partido terá que trabalhar muito para reconstruir tudo outra vez.

sábado, 21 de abril de 2012

Ciro Gomes: “O natural é apoiar o PT em Juazeiro e Barbalha, mas apelo o apoio ao PSB no Crato”


O ex-ministro Ciro Gomes (PSB) esteve na cidade do Crato neste sábado (20) para fazer o lançamento do projeto “Atitude 40”. Segundo Ciro, o projeto visa agregar a juventude, militantes e simpatizantes do partido para conhecerem a realidade estrutural e política de cada região onde o projeto estiver implantado. Na visita Ciro aproveitou para conversar com políticos e empresários objetivando o fortalecimento do nome do pré-candidato e deputado estadual Sineval Roque (PSB).

Pouco antes do lançamento do projeto Ciro concedeu entrevista coletiva, onde falou sobre a política de aliança PT - PSB no Cariri e Fortaleza, suas posições nas eleições municipais, além dos seus sonhos, mas que, não será candidato em 2014.

Sobre a aliança com o PT, Ciro disse que ela é preferencial, o que, não impede que em alguns lugares os partidos saiam em lados opostos. “No Cariri, nós temos tudo para apoiar o PT no Juazeiro e em Barbalha, mas eu quero apelar ao PT pelo apoio ao PSB no Crato”, disse.

Em Fortaleza, Ciro disse que a prefeita Luizianne Lins (PT) está numa estratégia de “queima um, queima outro,” para fechar no nome de Artur Bruno. Ele disse ainda que as alternativas do governador Cid dentro do PT são Camilo Santana e Nelson Martins. Sobre sua posição, ele respeita que o governador pretenda trabalhar pela aliança, Cid é o líder maior, mas o partido quer oferecer uma alternativa de mudança em Fortaleza e isso tem que ser levado em conta.

No Crato, Ciro disse que o município passa por dificuldades. Ele destacou que os números de crescimento do Crato estão bem aquém dos números do resto do Cariri. “Com o atitude 40 levantamos todos dados econômicos e sociais. A partir disso vamos oferecer soluções, vamos chagar com a nossa cara e o Roque é a nossa cara no Crato”, disse. Ciro destacou ainda a liderança de André Barreto. Já a possibilidade, ventilada pela imprensa estadual de que estaria sendo construída uma aliança entre o PSB e o prefeito Samuel Araripe, Ciro disse que a informação não procede. “O que aconteceu foi uma tentativa de reaproximação, bancada pelo deputado Zé Arnon, entre o Samuel e o PSB. Mas, um acordo com Samuel não nos interessa nesse momento”, explicou Ciro.

Indagado sobre seu futuro político, Ciro disse que não pretende se candidatar a nenhum outro cargo, que não seja a presidente. Mas, avalia que sua melhor hora já passou. Disse que no auge dos seus 54 anos continua viajando, estudando e escrevendo para alguns veículos de comunicação (Carta Capital e Rede TV). “Sonho um dia em ser prefeito de Fortaleza e vereador em Sobral, mas entendo que nem todos os sonhos poderemos realizar”, finalizou.

Acompanharam a agenda do Crato, os deputados estaduais Roberto Claudio, Sarto e Zezinho Albuquerque, deputado federal Antonio Balmam, além do deputado Sineval Roque.

(Foto: Agência Miséria)

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Quadro político em Barbalha pode causar divisão no grupo de oposição


As articulações políticas na cidade de Barbalha avançam e começam a se definir. O prefeito Zé Leite, apesar das notícias de que a cúpula estadual petista estaria preocupada com a sua dificuldade de negociação, não anda tão mal. Segundo articuladores do prefeito, ele já contaria com o apoio do PSB, PTN, PRB, PSL e PTB, além do seu partido, o PT.

O ex-prefeito Rommel é a segunda liderança com mais partidos ao seu redor. Estão com Rommel o PSDC, PSDB, PPS, PR e DEM. O PMDB de João Hilário, o PDT de Geraldo Sinézio e o PCdoB do professor Mauricio Freire, representam boas lideranças, mas remam sozinhos. Além deles, mas com pouca representatividade, continuam independentes PHS, PSC, PV, PP, PTC e o PSOL.

Tudo como antes

Na verdade, a disputa política na cidade de Barbalha continua entre o PT e Rommel Feijó. E essa disputa vem desde a eleição de 2004, quando Rommel e Camilo travaram uma eleição acirrada e que acabou na justiça. Camilo cresceu; se tornou o deputado estadual mais votado do Ceará e um dos homens forte do governo Cid Gomes, enquanto Rommel estagnou em Barbalha, o que não quer dizer que esteja enfraquecido.

Mesmo não entrando pessoalmente na disputa, Camilo e Rommel, ainda, são as principais referencias do processo político na cidade. A dúvida é quem eles irão indicar, ou se Rommel vai para o embate.

Nesse caso o fiel da balança parece ser o ex-prefeito João Hilário que, até agora, não demonstrou interesse para entrar na disputa como uma terceira via. Ele poderia deixar a disputa mais acirrada se aglutinasse os independentes ao seu redor.

Dos três partidos com liderança, mas sob ameaça de ficarem isolados, o PDT é quem mais articula apoio. A direção já estaria conversando com os independentes e com o PMDB. Teria, inclusive, convidado oficialmente o partido para apoiá-lo. Já o PCdoB vive a situação mais controversa. É o grande articulador do grupo de oposição que discute um projeto para Barbalha e reuniu, inclusive, o grupo do Rommel, os independes e, ainda, conversa com o PMDB de João Hilário, mas se esse grupo implodir poderá ficar sozinho, caso queira seguir com candidatura própria. Ou seja, fez o trabalho, deu visibilidade e pode ficar isolado.

Agora se olharmos para a coerência da disputa em Barbalha, onde situação e oposição, tanto a nível estadual, quanto nacional, estão bem alinhadas, podemos supor que a tendência do PMDB e marchar com o prefeito Zé Leite.

Cúpulas municipais do PSB e PT de Fortaleza se reúnem para decidir futuro da aliança


Os dirigentes municipais do PT e PSB têm reunião marcada para a próxima terça-feira (24). Na pauta as eleições de Fortaleza. O encontro deve acontecer Hotel Amuarama, onde as cúpulas dos dois partidos que comandam a coalizão deverão decidir o futuro da aliança.

O convite foi feito pelo presidente municipal do PT, Raimundo Ângelo. Os petistas apresentarão um cardápio de pré-candidatos ao presidente do PSB de Fortaleza, Karlo Kardozo. Segundo a prefeita Luizianne Lins, o PT deve se empenhar até o fim para a manutenção da aliança.

Sem um capitulo final

Esse encontro ainda não deve bater o martelo com relação ao nome do PT. Na lista, ou cardápio de candidatos, não deve estar o nome de Camilo Santana e isso deve protelar a escolha. O governo vai tentar até o último momento emplacar o nome do caririense. Sem ele, o governo continuará sem poder na prefeitura.

Agora se imaginarmos esse “cardápio” pelos últimos acontecimentos, ele deverá conter apenas dois nomes: Elmano Freitas e Artur Bruno, com Elmano no prato principal. O problema para Luizianne é que o deputado Artur Bruno, parece ter realmente entrado na disputa e tem estado constantemente na mídia. E essa exposição vem de vários frontes. Para se ter uma ideia, ele lança hoje, às 19 horas, no Espaço O POVO de Cultura & Arte, o livro “Fortaleza: Uma breve história”. Nada tem escapado ao pré-candidato voraz.

Enquanto isso, a demora na definição do nome do PT, continua causando especulações dentro do PSB. Nesta semana voltou a ganhar corpo o nome do secretário especial da Copa, Ferrúcio Feitosa, como opção para a Prefeitura. Isso, claro, no caso de rompimento com o PT. O seu nome vem motivado pelo bom trabalho junto as obras da Copa em Fortaleza.

Certo mesmo é que essa demora na escolha do nome do PT, tem motivado os grupos de oposição, tanto do PSB, quanto do PMDB; além de PSDB e DEM que, de tão animados, anunciaram cada um, uma candidatura própria.

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Arnon anuncia frente de oposição a Santana


Segundo matéria divulgada no blog do jornalista Eliomar de Lima, Jornal O Povo, os deputados federais Arnon Bezerra (PTB), Manuel Salviano (PSD) e Raimundo Macedo (PMDB) estão fechando uma frente de oposições contra o prefeito Manuel Santana (PT), para a eleição de outubro.

A informação é do deputado Arnon Bezerra que, disse, não apostar numa gestão que se mostrou cheia de problemas e que não apresenta perspectivas novas para Juazeiro do Norte.

Arnon explica que a união das oposições está sendo construída e que o candidato sairá de um dos três deputados federais ou até mesmo um indicado fora desse arco. Segundo Arnon, Inicialmente, a tática é fazer pesquisas para ver quem estaria melhor posicionado junto ao eleitorado.

A tensão continua

É importante dizer que esse é uma articulação do deputado Arnon. Tanto que ainda hoje o site Ceará Agora, aponta que o deputado Manoel Salviano, desmentiu a informação. Segundo a matéria Salviano não votará no deputado Raimundo Macedo e tende a apoiar a campanha de reeleição de Santana. A matéria diz ainda que, na outra ponta, Arnon Bezerra tem poucas possibilidades de emplacar sua candidatura e deve votar em Raimundão.

Na verdade, as duas matérias nos parecem a famosa TPE (Tensão Pré-Eleitoral). E nessa época, isso pode ser encarado como natural, por mais que em alguns. Agora, é importante dizer que o grande nome, em disputa, é o do deputado Salviano, o que deixa entender que ele é visto, pelas forças de Juazeiro, como fiel da balança.

O que Salviano diz é que está conversando com Santana, mas tem apoio preferencial a Arnon. O que não fica claro é, se Arnon tem o apoio de Salviano, que seria o fiel da balança, porque arriscar perder a cabeça da chapa para Raimundão, já que o critério da frente seria uma pesquisa de opinião. Outra dúvida é quem seria a outra opção. Será que ele conta com a possibilidade dos nomes de José Roberto Celestino e Vasques Landim.

A outra dúvida é: será que Salviano apoiaria Raimundão? O que se comenta nos bastidores é que existe uma questão pessoal desde a escolha do candidato do PSDB em 2008, quando os dois disputaram a preferência do diretório municipal do partido.

Certo mesmo é que toda essa articulação parte de Arnon com o intuito de abrir mão da sua candidatura para apoiar Raimundão e de quebra levar Salviano. Mas, a coisa não tem sido tão fácil e Salviano continua independente e cada vez mais valorizado. É esperar para ver o que acontece!

Apresentador da TV Verde Vale usa twitter para disparar contra a Câmara e o PT


O apresentador do programa Cidade Urgente, Wilson Melo, TV Verde Vale, acusou terça feira (17) em seu Twitter a Câmara de Juazeiro do Norte de contratar mais funcionários do que precisa. Segundo o apresentador a casa tem 301 servidores para atender apenas 14 vereadores. Na mensagem o apresentador deixa de forma subliminar a opinião de que o número de servidores pressupõe desvio de conduta de quem conduz a casa legislativa.

O apresentador aproveitou para disparar contra o Partido dos Trabalhadores que, segundo ele, eram inimigos do deputado Manoel Salviano e agora o tratam como aliado. A mensagem foi respondida pelo ex-secretário Fábio Carneirinho (PT) que destacou a união como uma proposta boa para Juazeiro. Melo continuou a postagem dizendo que a união, se acontecer, é apenas um jogo de interesse e que não acredita nos dois no mesmo palanque.

Fora de controle

O problema das acusações do apresentador Wilson Melo é que ele não apresenta provas, nem como conseguiu a informação. Agora é importante que o presidente da Câmara, vereador José de Amélia Júnior cobre do apresentador as datas das contratações, já que, ele não exerce pela primeira vez o cargo.

A afirmação coloca em cheque a posição do presidente como gestor e acaba, indiretamente, acusando o presidente de agir de improbidade. E, caso se confirme a denuncia, o presidente Zé de Amália terá muito que explicar.

Quanto a provável aliança entre Santana e Salviano, caso se confirme, não será a primeira nem a última a acontecer dentro dos mesmos padrões. É natural que políticos se enfrentem numa eleição e em outra estejam juntos defendendo o mesmo projeto. Como diz um político bem conhecido: “Não se faz política com raiva, nem rancor”.

Agora, sobre o “jogo de interesses” por traz da provável aliança, o apresentador não deixa claro quem se beneficiaria com o jogo, se Santana ou Salviano. Mas, sobre as probabilidades da aliança, é notório que ela enfrenta dificuldades. Manoel Salviano já declarou apoio preferencial ao, também, deputado federal Arnon Bezerra, que ainda continua como pré-candidato. Ou seja, a conversa só deve ser para valer quando Arnon anunciar a sua desistência.

Mas, uma coisa é certa, o próprio Manoel Salviano não desmente as constantes conversas com o prefeito Manoel Santana.

terça-feira, 17 de abril de 2012

Marcos Cunha: “Não tenho tempo para ser vice”


O médico e pré-candidato a prefeito do Crato, Marcos Cunha (PT), concedeu entrevista ao site Miséria e falou sobre os rumores de que estaria sendo pressionado para ser vice de Sineval Roque (PSB). Ele falou ainda da sua militância e o que o credencia para postular o cargo. Sobre a questão de ter abandonado o Crato e ter se tornado forasteiro, Marcos disse que jamais abandonou o Crato e é mais cratense que muitos daqueles que o acusam.

Marcos Cunha finalizou a entrevista falando sobre o ritmo lento de desenvolvimento do Crato é o que precisa ser feito para avançar. Marcos Cunha é professor coordenador, doutor, da cadeira de neurologia da Universidade Federal do Ceará, campus Cariri.

Veja a entrevista na integra:

Madson Vagner – Existe rumores de que o senhor estaria sendo pressionado pelo partido para apoiar Sineval Roque (PSB). Isso é verdade?

Marcos Cunha – Isso não tem nenhum fundo de verdade. O Partido dos Trabalhadores, nos últimos doze meses fortaleceu enormemente a candidatura própria alinhado com a direção nacional de ampliar o número de prefeitos e vereadores nos municípios brasileiros. No Ceará temos quinze prefeituras e precisamos, no mínimo, dobrar esse número. Então não tem sentido, alguém comentar, que existe uma articulação para que se negocie a retirada do meu nome.

Madson Vagner – E como está sua pré-candidatura? O senhor tem discutido com outras forças?

Marcos Cunha – Ela está solida porque o partido está unido em torno dela. Nossa militância e as lideranças partidárias estão fechadas com a nossa proposta. Nós temos discutido com outros pré-candidatos, mas a ideia é fazer um projeto político conjunto para a nossa cidade. Não está em pauta a discussão de composição de chapas, mas entendo que o PT reúne as melhores condições para assumir a liderança desse processo, principalmente, pela questão histórica. Estamos nessa cidade há mais de 30 anos; participamos de todos os processos e temos uma relação com os governos do estado e federal, além de um corpo de militantes fantásticos.

Madson Vagner – Como o senhor traduz a sua frase: “não tenho tempo para ser vice”?

Marcos Cunha – Essa é a vantagem de quem não tem medo de envelhecer. Quem não tem medo ganha, acima de tudo, a experiência de ser tolerante. Quando eu digo que não tenho tempo, não me refiro ao tempo individual e, sim, ao tempo coletivo. Temos militantes fantásticos e que estão assumindo, como eu, a luta por uma nova sociedade. Esse tempo, é o tempo para um projeto novo para o Crato, que precisa ser discutido e isso não significa uma intolerância para discutir alianças políticas. Mas, a nossa discussão não acontece em função eleitoral; nós discutimos em função de um projeto político para a cidade.

Madson Vagner – Muita gente acusa o senhor de ter abandonado o Crato e até de já ser forasteiro. Como o senhor reage a isso?

Marcos Cunha – Vim morar no Crato em 1982 quanto terminei meu Curso de Medicina. Fui um dos fundadores do PT no Crato. Durante seis anos seguidos, organizamos o partido e o inserimos junto aos movimentos sociais e, em 1988, lançamos a minha primeira candidatura a prefeito. Perdemos, mas mostramos um novo paradigma que fugia da polarização entre UDN e PSD. Depois disso fui coordenador regional da campanha do Lula em 1989. Voltei a disputar a prefeitura em 1992, compondo como vice do extraordinário Dr. Raimundo Bezerra. Em 1993, resolvi cuidar da minha carreira acadêmica. Passei seis anos em Curitiba, onde fiz residência de quarto ano, mestrado e doutorado. Passei no concurso e fui ensinar na Universidade Federal do Ceará. Foram 14 anos morando no Crato e viajando nas quintas e sextas para dar aula em Fortaleza. Quando a UFC foi implantada em Barbalha eu vim junto. Mesmo tendo que cuidar da minha carreira, continuei minha militância onde quer que estivesse. Eu nunca abandonei o Crato e sou mais cratense do que muito que hoje falam coisas desse tipo.

Madson Vagner – Então é por isso que o senhor é pré-candidato? É isso que o credencia?

Marcos Cunha – Algumas pessoas acham que é credencial para ser prefeito do Crato, ser empresário, médico ou dentista. Eu, por exemplo, não sou pré-candidato a prefeito do Crato porque sou médico; sou pré-candidato porque tenho uma história de luta. E essa luta não é solitária; essa luta é coletiva. Hoje eu represento um partido que ninguém tem o direito de dizer que ele não faz. As grandes mudanças implementadas no Brasil foram feitas pelo PT e eu sou pré-candidato para, também, implementar essas mudanças no Crato.

Madson Vagner – Então o Crato não está acompanhando o crescimento experimentado pelo Cariri?

Marcos Cunha – Sim! Ele está. O Crato apenas tem tido um ritmo mais lento que outras cidades do Cariri. E aí, existem alguns fatores que precisam ser analisados com mais calma, mas eu acredito no grande potencial do Crato, se bem administrado, para retomar o ritmo de crescimento que ele merece. Agora não podemos pensar o Crato isoladamente. Temos que pensar o Crato dentro de um contexto global, envolvendo pelo menos as nove cidades que representam a macro região do Cariri.

Madson Vagner – Caso seja eleito, quais os principais problemas a serem enfrentados?

Marcos Cunha – O Crato necessita de duas respostas. Uma é política. Temos que fazer uma composição política que tenha a cara e o sentimento do Crato e que seja capaz de encaminhar todos os nossos projetos. Temos que imaginar uma política com representações nos parlamentos municipal, estadual e federal, além do executivo na prefeitura e uma relação política com os governos estadual e federal em pé de igualdade. O Crato tem carência dessas lideranças.

Madson Vagner – E isso não foi feito?

Marcos Cunha – Não! Os “filhotes” dos políticos antigos nunca fizeram isso. Sempre tiveram representação tímida e inibida. E isso precisa ser modificado. Esse é o desafio de que falamos. A segunda é uma resposta administrativa urgente. Precisamos ter uma cidade que possa gerar emprego e renda na sede e na zona rural. Na questão da educação é importante que os recursos sejam usados para construir novas ideias para a gestão dessa educação. São mais R$ 50 milhões gastos sem objetivo. Nós necessitamos aumentar o índice de valorização do professor e fazer escola de tempo integral. Com relação ao piso nacional apenas o nível 1 é atendido e são quase duzentos professores contratados temporariamente. E isso tem que mudar.

Madson Vagner – Mas, e a saúde?

A saúde também é urgente, como também a prática de esportes nas escolas; mas a geração de emprego e renda e a educação são primordiais. A saúde pode ser melhorada, por exemplo, fazendo com que a população viva mais feliz estando bem empregada e sendo educada com qualidade. A prioridade da saúde é fazer com que as pessoas se sintam bem com uma boa praça para frequentar, se deslocando numa cidade bem urbaniza, principalmente nos bairros e nos distritos. Não adianta estarmos crescendo e as pessoas não estarem contempladas nesse crescimento.

Guimarães: PT de Fortaleza ainda não tem candidato


O deputado federal José Nobre Guimarães (PT), coordenador para o Nordeste do Grupo de Trabalho Eleitoral (GTE) do PT, afirmou, em entrevista ao Jornal O Estado, que não vale essa questão de nome preferido por essa ou aquela liderança do PT. Ou seja, até agora, o PT não tem candidato escolhido para disputar a Prefeitura de Fortaleza. Isso é claro, apesar do nome do secretário municipal da Educação, Elmano de Freitas, ter o apoio declarado de pelo menos sete correntes petistas e ainda contar com a predileção da prefeita e presidente regional do partido, Luizianne Lins.

Segundo o parlamentar, a orientação nacional é para que o nome escolhido do PT seja resolvido politicamente. Ou seja, sem questão de que corrente X é mais forte que corrente Y. Agora, Guimarães espera que, além de uma unidade interna, o candidato do PT mantenha a aliança entre a prefeita Luizianne Lins e o governador Cid Gomes (PSB), assim como as demais legendas aliadas. O deputado, porém, não quis comentar os ataques frequentes entre PT e PSB sobre a sucessão municipal de Fortaleza.

Morde e assopra

O deputado Guimarães é um dos parlamentares mais coerentes e habilidosos que conheço, mas dessa vez ele deixou um recado bem claro aos que estão especulando de que a decisão será política e não atenderá a pressões.

Guimarães deixou transparecer que realmente o secretário Elmano Freitas é o favorito, mas que o jogo ainda não acabou e ele não deve cantar vitória. Agora m uma coisa, eu discordo do deputado. Se a decisão é política, quem decide são as correntes. Isso é fato! Mas, isso não quer dizer que não possa acontecer algo deferente do natural. Ou seja, uma zebra. E se acontecer, ela atende pelo nome de Artur Bruno.

Outro grande destaque da entrevista foi a decisão de se manter distante da intriga alimentada por lideranças de PT e PSB. Guimarães sabe onde pode chegar e o que não deve ganhar com coisas desse tipo. Agora, é certo que cada um joga com as cartas que tem. Então apesar da afirmação de Guimarães ainda vamos assistir a muitas especulações e intrigas. É esperar para ver o que acontece!

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Câmara de Aurora rejeitou a Lei de dotação orçamentária de 2012


A Câmara Municipal de Aurora rejeitou em sessão ordinária, no último sábado (14), o projeto de Lei do executivo que propunha a dotação orçamentária de 2012. Cinco dos nove vereadores votaram pela devolução do projeto alegando esclarecimentos insuficientes sobre o projeto.

O projeto, devolvido ao executivo, provocou polêmica e incentivou o confronto verbal com troca de acusações entre os vereadores. O vereador Francisco Ferreira Sobrinho – Erieudes (PSC) criticou o prefeito Adailton Macedo (PMDB) que, segundo ele, tem denegrido a imagem dos vereadores. A acusação do vereador Erieudes é baseada em entrevista concedida pelo prefeito Adailton a rádio FM 96 de Barro, onde disse que não daria dinheiro a vereador para votar a favor dos seus projetos.

Quando os vereadores da situação se preparavam para fazer o uso da tribuna, o presidente da casa, vereador Oliveira Batista (PSDB) encerrou a sessão, o que, gerou grande revolta pelos vereadores.

O líder do prefeito, vereador Chico Henrique (PMDB), classificou a atitude de politicagem barata, onde de forma irresponsável prejudica a população. “É preciso que o povo de Aurora veja quem realmente está trabalhando em prol do bem estar da coletividade aurorense. Pois, o que está acontecendo no poder legislativo aurorense é simplesmente inadmissível, com alguns vereadores que se dizem legítimos representantes do povo, brincando de ser vereador”, finalizou Chico Henrique.

Votaram contra o projeto os vereadores Oliveira Batista (PSDB), Gerismar Pereira (PSB), Erieudes (PSC), Paulo José (PRB) e Darc Landim (PSC). E a favor os vereadores Valdeci Batista (PV), Maria Iracilda (PSL), Aderlânio Macedo (PMDB) e Chico Henrique (PMDB).

Falta prioridade

Na verdade o que vem acontecendo em Aurora é uma sucessão de baixarias e falta de respeito com a população. Duas forças política se confrontam numa disputa antecipada e sem sentido. Não se pode priorizar a disputa política em detrimento das prioridades populares.

No caso dessa última votação, o que está em jogo é a destinação de verbas que somam mais de R$ 3 milhões, articuladas pelo deputado federal Raimundo Macedo e o senador Eunício Oliveira. Não se pode brincar com uma coisa tão séria.

Tudo isso poderia ser evitado se a matéria tivesse sido articulada pelos vereadores da situação, junto aos da oposição; mas, na verdade, ninguém toma a iniciativa e acabamos no: “vamos ver, até onde vai”.

Artur Bruno diz contar com apoio de Luizianne em Fortaleza


O deputado federal e pré-candidato a prefeito de Fortaleza, Artur Bruno (PT), disse estar otimista e acredita que será ele o indicado da prefeita Luizianne Lins (PT) para a disputa em Fortaleza. Isso é que informa a jornalista Kyara Aires, site Ceará Agora. Segundo a jornalista, Artur Bruno conta com o apoio do governador Cid Gomes (PSB) e pode vir a ser o consenso que faltava entre os dois partidos aliados.

Essa poderia ser uma forma de o ex-governador Ciro Gomes (PSB) diminuir suas críticas à prefeita Luizianne, disse Bruno. Ciro Gomes tem se movimentado bastante para fortalecer o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Roberto Cláudio (PSB) na disputa.

Jogando com a especulação

O problema dessas e de outras afirmações que apontam na direção do fechamento de apoio de duas das maiores forças desse processo em Fortaleza, o governador Cid Gomes e a prefeita Luizianne Lins, e elas não vêm agregadas da palavra de nenhum dos dois.

Na verdade, eu acredito que nada está decidido; tudo ainda está em jogo. E o deputado Artur Bruno, que não é novato nessa arte, sabe que o momento de tencionar para gerar a especulação. Ele segue a mesma tática de Elmano Freitas. A diferença é que, no PT, Elmano tem lado, enquanto que Bruno ainda milita nos independentes e esses costumam não ter fortes apoios na reta final.

Se tivesse que apostar minhas fichas em alguém, ele seria Elmano Freitas.

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Ely Aguiar: “Se depender desse pequeno grupo de pessimistas, o Crato vai continuar estagnado”


O deputado estadual Ely Aguiar (PSDC) concedeu uma entrevista reveladora ao site Miséria. O deputado falou dos pessimistas do Crato, com relação ao projeto “Nsa. Sra. de Fátima”; sua relação com o prefeito Samuel Araripe, a quem acusou de não cumprir acordo; sucessão no Cariri e seus projetos na Assembleia Legislativa. Ely Aguiar disparou contra o governo do estado, no caso do Canal do Rio Granjeiro e finalizou dizendo que não pretende ser prefeito.

O deputado Ely Aguiar está no segundo mandato e já foi membro da Comissão de Ética. Hoje é membro da Mesa Diretora e da Comissão de Constituição e Justiça.

Veja a entrevista na integra:

Madson Vagner – Você é da base ou não do governo do Estado?

Ely Aguiar – Primeiro, eu não peco por omissão nem pela ausência e não estou na Assembleia para agradar o Governador do Estado. E tudo que é encaminhado para ser discutido e votado, eu faço de acordo com a minha consciência. Eu não recebo ordens de ninguém que indiquem como eu devo votar. Então nessa linha de atuação, eu não voto contra professores ou qualquer servidor público. Eu não tenho compromisso com o voto comprado, meu compromisso é com o voto livre.

Madson Vagner – Você acredita no reconhecimento desse posicionamento?

Ely Aguiar – Não! Toda semana, eu ocupo a tribuna e faço um pronunciamento em defesa dos trabalhadores, do Crato e do Cariri, do Estado do Ceará. E aí, infelizmente, eu não tenho, pelo menos na cidade do Crato, a divulgação que deveria. Mas, eu respeito os colegas de imprensa. Eu sou muito mais divulgado em Juazeiro que no Crato.

Madson Vagner – Quais suas últimas ações na AL?

Ely Aguiar – Acabei de apresentar um projeto de Lei de combate a violência. Acredito que a violência tem como principal causa as drogas. Então é preciso evitar que ela entre no estado. Para isso, pedimos a criação de um Batalhão de Divisas para agir nas fronteiras. Além disso, vamos prevenir outros crimes como carga roubada, evasão de divisas, entre outros. Outros projetos são a criação do Juizado do Torcedor para evitar a impunidade relacionada a violência nos estádios e a Ressocialização de Presos Egressos do Sistema Prisional para diferenciar o infrator pequeno no bandido perigoso, principalmente, na reinserção na sociedade. Nesse último será criado uma cota de contratação em obras públicas para esses ex-presidiários que cometeram pequenos delitos.

Madson Vagner – E o projeto Nossa Senhora de Fátima?

Ely Aguiar – Eu sempre acreditei que o Cariri é a Meca do Nordeste. Juazeiro é uma grande cidade, não pelas indústrias, sim pela fé em Padre Cícero. A cidade de Canindé está se desenvolvendo pela fé em São Francisco, com projeto, inclusive, de Zé Arnon. Então em conversa com a Diocese, eu resolvi apresentar o projeto e recebemos apoio da primeira dama, Maria Célia, e do governo do Estado. Mas, a obra foi embargada duas vezes e para minha tristeza, isso foi articulado por pessoas do Crato. Ai você olha isso e pensa: como o Crato pode crescer desse jeito? Se depender desse pequeno grupo de pessimistas, vamos continuar estagnados. Mesmo assim, existe a previsão de inaugurar até o final do ano. E enquanto esse grupo do Crato critica o projeto, a área ao redor do empreendimento está sendo comprada pelo povo de Juazeiro que sabem da importância desse projeto.

Madson Vagner – Como está seu posicionamento com a sucessão do Crato?

Ely Aguiar – Eu ainda estou conversando. Está marcado um almoço com o senador Eunício Oliveira para conversar sobre seu candidato, o Ronaldo Gomes de Matos; já conversei com o Raimundo Filho; ainda vou conversar com o Sineval Roque, candidato do governo do estado hoje, mas ninguém sabe se haverá alguma mudança, e também o candidato do prefeito Samuel Araripe. Ou seja, ainda não fechei com ninguém, mas a tendência é o apoio ao candidato do governador.

Madson Vagner – O que você espera do próximo prefeito do Crato?

O próximo prefeito do Crato não deve assumir um compromisso com um grupo político. Ele deve assumir um compromisso com o povo do Crato. O Crato é uma cidade muito maltratada, perdeu a autoestima e está sendo esquecida pelos poderes públicos.

Madson Vagner – Como você avalia toda a situação do Canal?

Ely Aguiar – Nós sabemos que o canal é responsabilidade da prefeitura, mas aconteceu uma tragédia. O governador tem atendido o Crato em alguns pontos, mas em outros tem deixado a desejar. O canal é um exemplo. E o problema foi o Samuel, mas o Samuel vai passar. Ele tinha que olhar o povo. O Cid teve 42 mil votos no Crato, derrotando o candidato do prefeito, ou seja, o povo gosta dele. Ele tinha que ter atendido os anseios da população.

Madson Vagner – E a briga do prefeito Samuel Araripe com o governador Cid Gomes?

Ely Aguiar – Vou dar apenas um exemplo: o governador me pediu que eu falasse com o Samuel para ceder o terreno para construir a Escola Profissionalizante, já que, ele tinha mandado vários ofícios e estava sem resposta. Samuel findou não atendendo e o governador perdeu a paciência e comprou um terreno, em frente a Faculdade de Direito e está construindo a escola. Se tivesse esperado pela prefeitura o Crato tinha perdido o equipamento. Então nessa briga o único prejudicado é o povo.

Madson Vagner – E sua relação com o Samuel?

Ely Aguiar – Na minha primeira eleição fui muito estimulado em ser candidato a prefeito, mas cheguei para Samuel e disse que meu candidato era o candidato dele. Ele estava mal das pernas para a reeleição e, eu digo, que o Samuel recebeu dois anjos, eu e o Arnon Bezerra. Foi feito um acordo e ele só cumpriu com o Arnon por medo de eu crescer ainda mais. Então ele perdeu uma pessoa que, hoje, poderia estar ao lado dele. E tem mais, na política quem não cumpre acordo morre politicamente.

Madson Vagner – E nas outras cidades do Cariri, tem conversado sobre apoios?

Ely Aguiar – Em Barbalha estamos com a oposição, ligado ao ex-prefeito Rommel Feijó; em Araripe estou com o Dr. Giovane Guedes e no Juazeiro a tendência é o Raimundão.

Madson Vagner – Você pretende, no futuro, concorrer ao executivo?

Ely Aguiar – Olha na política tudo é possível, mas agora não penso. Eu sou jornalista e gosto muito da minha profissão e sendo prefeito teria que deixar de atuar, o que não pretendo fazer. A minha tendência é permanecer como deputado e jornalista para trabalhar pelo Cariri.