quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Informações desencontradas entre PT e PSB em Juazeiro

Mergulhada em uma grande crise política, principalmente, nas cidades de Fortaleza e Juazeiro do Norte, a aliança PT e PSB, parece entrar na fase do desencontro de informações.

Em entrevista ao site Miséria, o secretário geral do PT de Juazeiro, Filipe Santana, disse que a crise em Fortaleza é pontual e que os dois partidos em Juazeiro devem marchar juntos. Na manhã de hoje, em entrevista ao Jornal da Tempo, o presidente do PSB, vereador Roberto Sampaio, e o vice-prefeito e pré-candidato a prefeito Roberto Celestino, disseram que o rompimento é fato e que o PSB não conversa mais com o PT em Juazeiro.

Filipe Santana disse, ainda, que a aliança é desejo das grandes lideranças do partido em várias cidades do Ceará e Juazeiro é uma delas. Em contrapartida, Roberto Celestino, assegura que a executiva estadual do PSB tem indicado o fortalecimento do partido como cabeça de chapa em Juazeiro.

NA REALIDADE, o que estamos vendo é uma guerra de bastidores que findou vindo a público. E quando a coisa vira pública é porque o bom censo, mencionado por Filipe Santana, na entrevista, não está acontecendo.

Mas, uma coisa é inegável, em Juazeiro não existe crise de aliança, porque não existe mais aliança. Os dois partidos tem pré-candidatos e, até agora, marcham separados. E isso, não somos nós que falamos, são os próprios pré-candidatos.

Portanto, o PT precisa mudar o rumo do debate. É preciso falar sobre uma possível reaproximação, não sobre manutenção da aliança, ela não existe mais e isso é fato.

Agora é verdade que os dois lados confiam em decisões diferentes para resolver o problema. O PT demonstra confiança nas lideranças estadual e nacional, enquanto que o PSB confia no respaldo dado pela executiva estadual ao debate interno, local. Ou seja, ambos estão a espera de um milagre, pois nesse momento, nenhuma das instancias pode garantir nada.

Seria mais prudente se PT e PSB conseguissem sentar e encaminhar uma resolução local para não ficar a mercê da decisão das lideranças de fora. Elas, nem sempre, compreendem as realidades locais. E os fechamentos de acordos em “atacado” podem ser indigestos para um dos partidos.

Prefeitos não querem pagar piso nacional dos professores

Cerca de 700 prefeitos e 16 representantes de governos estaduais estiveram ontem, terça-feira, em Brasília, para buscar apoio do Congresso Nacional ao pedido de que o governo federal cubra as despesas com o novo piso nacional dos professores. O valor foi reajustado na segunda-feira, 27, em 22,22%, aumentando para R$ 1.451 a remuneração dos professores de nível médio com carga de 40 horas semanais.

De acordo com a Confederação Nacional de Municípios, os prefeitos querem a aprovação de uma lei que mude o reajuste do piso salarial dos professores. A proposta dos gestores é que o reajuste seja fixado de acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que mede a inflação.

O Ministério da Educação afirma que tem aumentado os repasses para estados e municípios. O MEC reconhece que o reajuste pode pesar para algumas prefeituras, mas diz que é preciso recuperar o salário dos professores.

PRIMEIRO, é importante destacar a importância dessa discussão para a sociedade. O que está em jogo é maior que a remuneração de uma categoria. O que está em jogo é a valorização do bem mais precioso que se pode mensurar para a humanidade, o conhecimento.

Não consigo entender porque nossos políticos e, nesse caso especifico, os gestores municipais, insistem em fechar os olhos para o que realmente importa para a sociedade. Será possível que nenhum deles tem a leitura de que todos os países que se encontram bem colocados no mercado econômico mundial, quando se fala em qualidade produtiva, investiram maciçamente em educação. E isso, sem falar em outros benefícios sociais como diminuição da violência, desemprego e, claro, aumento do nível intelectual.

Acredito que já está passando da hora dos vereadores, prefeitos, governadores, deputados e senadores, trabalharem, realmente, pelo fortalecimento da sociedade. É preciso que nós abandonemos, falo sociedade e classe política, o pacto da mediocridade, onde os políticos fazem de conta que estão preocupados com o cidadão e a sociedade faz de conta que está satisfeita.

No mais, fora os políticos sem visão social e educação valorizada já!

Prefeito, vice e vereador de Caririaçu condenados por propaganda eleitoral antecipada

O prefeito municipal de Caririaçu, Edmilson Leite Barbosa (PSB), o vice-prefeito, Luiz Pereira Tavares (PSB), conhecido como Luizinho do Vale, e o vereador Luiz Acácio Machado Leite (PTB), foram condenados, no último dia 15 de fevereiro, por propaganda eleitoral antecipada.

A representação foi movida pelo Partido Humanista da Solidariedade (PHS), com base em gravações de discursos durante evento denominado “Passeata da Paz”, onde os citados faziam alusão aos gestores como principais defensores dos empregos e do trabalho dos funcionários públicos municipais. As frases: “o emprego de vocês” e o “trabalho de vocês” são encontradas em vários trechos da gravação apresentada ao Ministério Público (MP).

Na defesa os acusados alegaram que não houve pedido expresso de voto e que ninguém foi beneficiado eleitoralmente. Eles alegaram ainda que não tinham conhecimento prévio do teor eleitoral dos discursos, o que, não foi aceito pela justiça.

A pena proposta pelo Ministério Público e sentenciada pelo Juiz da 71ª Zona Eleitoral, Eduardo Mota, condenou, nos termos do art. 96 da lei n° 9.504/1997, os três ocupantes de cargos públicos a pagarem multas que variam de R$ 5.000,00 a R$ 7.000,00.

A mesma instancia judicial decidiu, ainda, favorável a outra ação do PHS, contra o prefeito Edmilson Leite Barbosa, baseado no mesmo artigo e lei, sobre propagada eleitoral antecipada, mandando retirar adesivos com as frases: “Tá só o milho – Eu sou rasga-milho”, afixados em veículos de transporte escolar do município.

O prefeito Edmilson Leite foi notificado para tirar os adesivos em 48 horas e, no mesmo prazo, apresentar defesa.

AS DUAS SENTENÇAS contra os gestores e o vereador de Caririaçu trazem mais que pagamento de multas. Elas expõem fatos de grande relevância e que devem ser destacados por nós cidadãos e eleitores.

Na primeira, por uso indevido de ato público para se beneficiar, o tom dos discursos nos dão a clara demonstração da falta de respeito e da coação a que os servidores públicos estão sendo submetidos nas pequenas cidades.

Na segunda sentença, a certeza da impunidade fica estampada quando são usados veículos públicos, pago com o dinheiro do povo, para promover um grupo político-familiar perante os eleitores.

É sabido que o prefeito Edmilson Leite não pode se candidatar a reeleição; mas, nas duas situações fica clara o interesse de disseminar o slogam assumido por seu grupo político, o que, pode ser entendido como vontade de se perpetuar no poder. A nossa democracia não merece esse tipo de atitude.

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Governador Cid Gomes diz que “está tudo bem” na aliança PT - PSB


O governador Cid Gomes (PSB) afirmou ontem, durante visita da presidenta Dilma Rousseff a Fortaleza que “está tudo bem” na aliança entre o PSB e o PT. Dilma visitou as obras do conjunto habitacional Vila do Mar 3, no Bairro Álvaro Weyne.

Estiveram presentes, também, a prefeita Luizianne Lins (PT) e mais os pré-candidatos do partido, Elmano de Freitas, secretário de Educação de Fortaleza; Camilo Santana, secretário das Cidades do governo do Estado; Artur Bruno, deputado federal e o senador José Pimentel. Durante a entrevista o governador Cid Gomes disse: "Não há crise do PT com o PSB em Fortaleza, pelo meu gosto. Tenho dado reiteradas declarações nesse sentido".

Após a visita a presidenta, o governador e a prefeita deixaram o local no mesmo carro. Antes os três posaram para fotos juntos e cumprimentaram operários da obra.

A SITUAÇÃO lembra aquelas brigas entre irmãos que logo se reconciliam quando vêm a mãe ou o pai se aproximar. Coisa de “birra”.

Mas, brincadeiras a parte, discordo do governador Cid. A crise existe e não é nova. Na verdade, ela sempre existiu. Essa foi uma aliança construída sempre com alto grau de dificuldade e que só cresceu ao longo dos anos.

Em 2006, ano da primeira eleição de Cid Gomes, quando a aliança foi instituída, houve muita resistência por parte de vários grupos do PT. Naquele ano, como agora, Luizianne foi o fiel da balança, aderindo a aliança na última hora. Em 2010, o quadro de reeleição, amenizou os desgastes, o que, não significa que não existiram. Agora, em 2012, esse desgaste se agrava, principalmente, com a proximidade da disputa de 2014, quando Cid deixará o governo.

Então negar essa crise é como dizer que o Brasil nunca foi campeão mundial de futebol; ou seja, totalmente sem sentido do ponto de vista lógico. Agora, o governador está fazendo o seu papel no que diz respeito a amenizar as tensões porque passa a aliança. Isso demonstra vontade de manter o acordo e maturidade na discussão política.

Mas, o que fica de certo sobre tudo isso é a certeza de que a presidenta Dilma enquadrou, tanto a prefeita, quanto o governador. A conversa deve ter sido algo do tipo: “roupa suja se lava em casa”.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Câmara de Juazeiro pode permanecer com 14 vereadores em 2013/2016


A Câmara Municipal de Juazeiro do Norte deve permanecer para a próxima legislatura, 2013/2016, com o mesmo número de vereadores que se encontra hoje, 14. A informação, ainda de bastidores, não é confirmada pelos atuais vereadores, mas, possivelmente, a casa não cumprirá o prazo exigido pela lei que vai até junho de 2012.

O projeto de lei, votado é aprovado, ainda, no ano passado, teve, segundo o presidente da casa, vereador José de Amélia Júnior (PSL), falhas no interstício, ou seja, quebra no prazo de execução. O projeto, encaminhado pelo vereador professor Antônio (PCdoB), pediu o aumento das vagas de 14 para 21 vereadores.

O vereador professor Antônio contesta a decisão do presidente da Câmara, de anular a lei, e diz que a lei está valendo. Para ele, a falha de interstício só causará problema se questionada após a diplomação dos novos parlamentares, o que poderia ser decido pela justiça.

Professor Antônio, acusa ainda, o presidente da casa, Zé de Amélia, de manobrar a discussão para causar polêmica em torno de uma questão já decidida. “A polêmica e a burocratização é o que enseja a corrupção no país; e em Juazeiro não é diferente. Esse presidente conhece muito bem essa ferramenta”, concluiu professor Antônio.

Segundo especialistas do direito eleitoral o problema poderia ser corrigido, bastando fazer tramitar uma nova lei revogando a anterior com a correção da falha apresentada. O presidente Zé de Amélia foi procurado por telefone para falar sobre o assunto, mas foi encontrado.

NA VERDADE, o que está em jogo é alta valorização dos parlamentares para a próxima legislatura. Quando diminuiu o número de vereadores, ainda na eleição passada, notou-se o aumento considerável no poder desses parlamentares. O que é bem aproveitado pelos maus políticos. É a mesma lei da oferta e da procura, ou seja, quando menos banana na feira, mas auto o preço.

O que vemos em Juazeiro é uma tentativa barata de burlar o nosso sistema democrático, que é participativo e se notabiliza pela ampla representação. A diminuição no número de vereadores não significou economia para os cofres públicos e seu aumento, também, não irá interferir no repasse feito a Câmara. Então, se não tem ganho, nem perdas, que prevaleça a maior representação. Isso é, no mínimo, saudável para a democracia.

Agora, é bom a sociedade refletir e se antecipar as discussões, pois Juazeiro corre o risco de ficar com menos vereadores que cidades vizinhas como Crato, que terá 19 cadeiras.

Suplente cratense assumirá cadeira de deputado estadual por quatro meses


O ex-vereador cratense e atual suplente de deputado estadual, Valberto Esmeraldo (PV), deve assumir uma vaga na Assembléia Legislativa por quatro meses, prazo máximo permitido, quando a vacância acontece por motivo de afastamento. Valberto teve um total de 10.253 votos, dos quais 9.225 foram no Crato.

A informação, ainda de bastidores, aponta que o deputado Agostinho Moreira (PV) deve se afastar por questões pessoais a partir do próximo mês de março. Caso se confirma a informação, o Crato passa a ocupar momentaneamente três vagas na Assembléia, já que, os atuais deputados Sineval Roque (PSB) e Ely Aguiar (PSDC), também têm base eleitoral na cidade do Crato.

EM PRIMEIRO LUGAR é importante destacar que será mais um aliado para o prefeito Samuel Araripe na Assembleia. Valberto é vice-presidente do PV cratense e se coloca como aliado da gestão. Segundo informações, inclusive, essa aliança só teria sido possível graças a promessa de assumir a cadeira de deputado. Por isso, Valberto teria entregue a presidência do partido ao secretário de Saúde do município, Cícero França, atual nome preferido por Samuel para disputar a eleição.

Agora é interessante, também, analisar que Valberto pode se tornar uma tremenda dor de cabeça para Cícero França (Cicinho), já que, ele poderia aumentar sua popularidade e ameaçar a indicação de Cicinho. Mas, o que comenta nos bastidores é que o acordo seria para fortalecer seu nome e dar um empurrão financeiro na sua campanha para vereador.

A verdade é que, caso Valberto consiga mobilizar recursos para viabilizar obras como a construção de um novo matadouro, como ele tem falado em conversas, seu nome deve entrar na disputa, no mínimo, para presidência da Câmara na próxima legislatura.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Vice-prefeito diz que existe um afastamento PSB-PT desde o lançamento da sua pré-candidatura.


O vice-prefeito de Juazeiro do Norte, José Roberto Barreto Celestino (PSB), disse em entrevista ao jornalista Madson Vagner, para o site Miséria, que a manutenção da aliança do PSB de Juazeiro com o PT do prefeito Manoel Santana, depende do desfecho político de Fortaleza. Celestino, deixou a entender que desde o anuncio da sua pré-candidatura, pelo diretório municipal do PSB, naturalmente, houve um afastamento da aliança PT-PSB em Juazeiro.

O vice-prefeito disse ainda, acreditar que a sua pré-candidatura deve atuar como alternativa para que a direção estadual escolha o melhor caminho para o partido em Juazeiro do Norte. “Primeiramente, o intuito foi ocupar espaço e, em seguida, ficar a disposição do presidente estadual do partido, governador Cid Gomes, como mais uma opção na condução do PSB em Juazeiro do Norte, seja numa aliança como vice ou numa candidatura própria”, disse.

Sobre a manutenção da sua pré-candidatura, Celestino disse que seu nome caiu no gosto do povo e que, hoje, é interpelado nas ruas por lideranças e pessoas simples, que o incentivam a levar a candidatura à frente, o que, tem se refletido em pesquisas a que tem acesso, onde, segundo ele, está muito bem.

Veja entrevista na integra:

Madson Vagner – O PSB está a ponto de romper com o PT em Fortaleza. Em Juazeiro, você acredita que a aliança permaneça até a eleição?

Roberto Celestino – O que ocorre em Fortaleza, ao meu ver, é uma medição de força entre os aliados. É uma disputa por espaços, onde o risco de rompimento é notório, no entanto, observa-se a visita da presidenta Dilma e do presidente nacional do PT, Rui Falcão, o que poderá reorientar as decisões. A prevalecer o rompimento em Fortaleza, naturalmente, isso se refletirá em Juazeiro, tirando as chances de reconciliação entre PT e PSB.

Madson Vagner – Sua pré-candidatura a prefeito obedeceu alguma estratégia?

Roberto Celestino – Sempre tive prazer em trabalhar pelo engrandecimento de Juazeiro. E foi com base nessa demonstração que o Diretório Municipal lançou minha pré-candidatura, o que aceitei de pronto. Primeiramente, o intuito foi ocupar espaço e, em seguida, ficar a disposição do presidente estadual do partido, governador Cid Gomes, como mais uma opção na condução do PSB em Juazeiro do Norte, seja numa aliança como vice ou numa candidatura própria. E, com certeza, prevalecerá a melhor opção administrativa para a nossa cidade.

Madson Vagner – Mas, mesmo depois do objetivo alcançado ela permaneceu colocada. É outra estratégia?

Roberto Celestino – Minha candidatura caiu no gosto do povo e, hoje, sou interpelado na rua por pessoas simples e grandes lideranças que se dizem entusiasmadas e que me incentivam a levar essa candidatura à diante. A própria direção estadual vem me cobrando a necessidade de fortalecer ainda mais essa pré-candidatura em Juazeiro. Então a coisa está acontecendo naturalmente.

Madson Vagner – O médico Carlos Macedo deu entrevistas fortalecendo seu nome como pré-candidato do partido. Isso também é uma estratégia do partido?

Roberto Celestino – O partido tem procurado fortalecer meu nome, no entanto, a entrevista de Carlos Macedo foi um ato espontâneo, o qual, eu sou grato pela demonstração de apoio. Carlos é uma grande liderança popular e partidária regionalmente e suas declarações, com certeza, dão impulso na minha pré-candidatura.

Madson Vagner – O governador Cid Gomes, em audiência com os deputados federais e pré-candidatos a prefeito Manoel Salviano e Arnon Bezerra, teria falado que você é um dos nomes a frente deles na fila de interesses do PSB em Juazeiro. Eles já lhe procuraram?

Roberto Celestino – Isso foi inclusive noticiado por você (Madson Vagner). Mas, eu converso com Arnon e Salviano e eles nunca falaram sobre isso. Por isso, acho pouco provável isso ter realmente acontecido. Agora, claro que eu teria o maior prazer em conversar com eles sobre esse assunto. Afinal eles são grandes lideranças e somariam de forma decisiva na construção desse processo eleitoral e político.

Madson Vagner – Você tem tido acesso a alguma pesquisa sobre a situação eleitoral em Juazeiro?

Roberto Celestino – Ouço falar de muita coisa. Algumas tem sentido, mas outras são meras especulações baratas e acabam servindo como instrumento de pressão; por isso, eu tenho a minha. Claro que não posso revelar os dados, porque não é registrada. Ela serve apenas para me situar na disputa e a verdade é que estou muito bem.

Entenda o contexto:

O INTERESSANTE na afirmação sobre o afastamento entre PSB e PT em Juazeiro é que, era notória, com a pré-candidatura do Roberto Celestino, mas, até agora, era pouco analisada pela imprensa e pelos partidos. Celestino confirmou apenas o que já havia ocorrido, o rompimento. Senão, não existiria pré-candidatura do PSB.

Agora duas coisas, também, nos chamam a atenção na entrevista; uma é que a aliança em Juazeiro depende da aliança em Fortaleza. Ou seja, Juazeiro e Fortaleza fazem parte de um mesmo pacote. E isso, não é bom. Afinal, nosso futuro não pode ficar atrelado aos descaminhos de Fortaleza. São duas cidades grandes e que deveriam ter seus caminhos construídos de forma independente. Claro que elas devem caminhar juntas administrativamente, mas politicamente cada uma deve ter sua independência.

Outro fato que merece atenção é o destaque dado para algumas pesquisas, que inclusive, segundo ele, o colocam muito bem na disputa. Isso é sinal de que o PSB tem seguido o conselho do governador Cid na busca do fortalecimento. É a velha máxima do: “conselho bom, segue-se a risca”.

Governador Cid Gomes diz que aliança em Juazeiro é mais difícil que Fortaleza

O governador Cid Gomes (PSB) disse ontem (23), durante inauguração do CEASA de Barbalha que manter aliados juntos em Juazeiro estava mais complicado que em Fortaleza. Cid falou ainda da disposição de subir em um palanque na cidade de Juazeiro do Norte durante a eleição municipal, mas espera que as forças envolvidas no processo se disponham a abrir mão de alguma coisa para viabilizar a aliança.

Quanto as suas prioridades, mesmo com a presença dos cinco principais pré-candidatos da aliança no palanque, o governador destacou que ainda não tem uma decisão de apoio.

A cidade de Juazeiro conta, hoje, com cinco pré-candidatos a prefeito de partidos diferentes que estão na base aliada do governo estadual. Os deputados federais Raimundo Macedo (PMDB), Arnon Bezerra (PTB), Manoel Salviano (PSD) e mais, o vice-prefeito José Roberto Celestino (PSB) e o prefeito Manoel Santana (PT), estão no páreo pelo apoio.

Entenda o contexto:

SE ANALISARMOS com cuidado, veremos que o governador tem razão. Em Fortaleza o problema é interno do PT. A pressão que vem de fora ainda não tem força suficiente para fazer desandar um provável acordo. O impasse depende basicamente da indicação de um nome de consenso entre a prefeita Luizianne Lins (PT) e o governador Cid Gomes (PSB).

Mas, em Juazeiro a coisa é bem mais complicada. Hoje temos cinco pré-candidatos da base aliada e, alguns deles, declaradamente, com dificuldades pessoais em apoiar outros nomes. E quando o debate sai do campo político para o pessoal, realmente, fica difícil reverter. Pessoalmente, acredito que a única possibilidade da base aliada se unificar em torno de um nome é por impedimento legal de outros.

Agora, nem sempre o discurso é resultado do que se vê nos bastidores. Perguntado, por uma liderança do PSB, sobre a possibilidade de intensificar diálogos na busca de compor na vice de outro nome, o governador teria dito que a hora é de procurar o fortalecimento. Ou seja, o governador deixa claro que quer o PSB forte na disputa. E aí cabe uma especulação: estaria o governador prevendo o rompimento e já preparando o palanque do PSB em Juazeiro? Afinal, ele mesmo, já disse que sobe num palanque em Juazeiro, então melhor que seja o do PSB.

Mas, como tudo, até agora, é apenas especulação, resta esperar para ver o que acontece.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Deputado Arnon Bezerra não descarta apoio a Raimundão ou Santana


O deputado federal Arnon Bezerra (PTB), disse ontem (22), durante um jantar no Restaurante Past Pizza, em Juazeiro do Norte, que apesar de ser pré-candidato a prefeito, não descarta a possibilidade de apoiar qualquer um dos candidatos. Especificamente, sobre o, também, deputado federal Raimundo Macedo (PMDB) e o prefeito Manoel Santana (PT), ele disse que ambos podem ter seu apoio.

Durante a conversa com o repórter Rafael Boaventura, Arnon disse que sua pré-candidatura obedece a uma imposição do partido que pretende ampliar seu universo político no Ceará, mas que ela não significa uma questão fechada e está disposto a sentar para discutir o melhor para Juazeiro.

Questionado sobre suas preferências, o deputado preferiu se omitir, mas deixou a entender que o debate com o PT do prefeito Santana é o mais difícil. Ao final Arnon deixou claro que sua pretensão primeira é ser prefeito.

ACREDITO QUE o maior complicador da candidatura de Arnon esteja justamente na dificuldade que ele tem em convencer os juazeirenses sobre sua candidatura. Ele conjectura em excesso. Para uma articulação interna isso é bom, mas para a população se configura como falta de firmeza.

Agora o mais interessante é que Arnon não falou em apoio, prioritário, ao deputado federal Manoel Salviano (PSD), seu aliado histórico. Estaria Arnon, ainda, chateado pelo lançamento da pré-candidatura de Salviano, sem sua consulta prévia? Das duas uma, ou Arnon continua magoado ou Salviano, também, não será candidato.

Quanto ao apoio ao prefeito Manoel Santana, parece que o seu conceito tem mudado, já que, ele próprio declarou em outras entrevistas que nutre um problema pessoal com o prefeito. Admitir a possibilidade de apoiar Santana é a confirmação histórica de que na política “nunca se pode dizer nunca”.

Oposição de Barbalha inicia segunda fase de discussões


Os partidos da base de oposição na cidade de Barbalha devem iniciar, ainda este mês, a segunda fase das discussões sobre um projeto comum para a cidade. A informação é do presidente do PCdoB, professor Mauricio Teles.

Mauricio observa que a busca por uma Barbalha sustentável, sempre priorizando a participação popular nas decisões, será o foco dos debates. As discussões terão como base o Programa Brasileiro de Cidades Sustentáveis e, ao seu final, os partidos deverão assinar um pacto político de cumprimento das metas.

Sobre os possíveis nomes que encabeçarão a proposta, Mauricio Teles disse que os partidos já discutem internamente suas indicações para apresentar ao grupo e, consequentemente, após a finalização das discussões será decidido os candidatos a prefeito e vice. Ele ressalta apenas que deverão ser nomes novos e que se identifiquem com essa nova proposta.

TALVEZ A CIDADE de Barbalha esteja tendo o processo pré-eleitoral mais maduro da região do Cariri. Isso tem ficado claro, principalmente, na condução do processo feito pela oposição ao prefeito Zé Leite (PT).

Os partidos discutem novos projetos, criticam o atual modelo de gestão fazendo oposição aberta, mas, sem comprometer nenhuma liderança. Ou seja, desgasta-se o prefeito sem possibilidade de revide, já que, as criticas são de consenso coletivo. Não existe a figura pessoal de líder. Os partidos se revezam em nome do grupo.

Essa situação de não saber ao certo de onde vem os ataques, tem causado estragos, até mesmo, dentro do partido do prefeito que já cogita a possibilidade de realizar prévias para escolher outro nome para a disputa deste ano pela sigla. A reação urgente do prefeito deve ser encarada como uma questão de sobrevivência.

Luizianne e Rui Falcão querem evitar prévias em Fortaleza


A prefeita de Fortaleza Luizianne Lins (PT) tem investido tempo para frear o desejo de setores do partido que querem realizar prévias para as eleições deste ano na capital. Além dos companheiros de partido, agora, Luizianne tem, também, a preção dos partidos aliados. Depois de PMDB e PSB, que debatem candidaturas próprias, o PV quer a realização de prévias para que o vereador Acrísio Sena (PT) tenha direito a disputar a indicação do partido.

Ao Jornal O Globo, a prefeita admitiu que a prévia é um instrumento democrático, mas, ainda acredita no diálogo para manter o consenso. Luizianne disse não se sentir à vontade para impor uma decisão de cima para baixo e deseja que a decisão seja tomada pela a partir do debate. Como reforço a prefeita deve ganhar a presença do presidente nacional do partido, Rui Falcão, que virá com a missão de pacificar o partido para que possa tomar a decisão.


NA VERDADE, o que estamos vendo em Fortaleza é uma grande falta de habilidade política por parte da prefeita Luizianne. Ela foi quem gerou todo esse estado de nervos que se encontra o PT na capital, com risco, inclusive, de implosão da base aliada.

O que se percebe é a interferência de seus interesses pessoais no direcionamento da política. E a situação se mostra fora de controle, quando tem a presença do presidente nacional, Rui Falcão, que segundo a notícia vem para pacificar o partido. Ou seja, o PT está em pé de guerra.

Tudo começou quando ela começou a lançar vários nomes de forma prematura. Isso gerou uma disputa interna e essa disputa veio para a mídia. Declarações fortes, seguidas de desgastes, naturais em uma disputa, acabaram dando espaço para que os partidos da base aliada começassem uma tentativa de interferência no processo.

O resultado é que as atitudes intempestivas de Luizianne levaram a uma verdadeira bola de neve, onde ninguém consegue prever o desfecho. O certo é que, independente do resultado, o PT entra enfraquecido na disputa, tanto internamente, quanto junto aos seus aliados. Que fique a lição: processo eleitoral é como maratona, é melhor começar devagar e constante para guardar fôlego para o final.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Camilo Santana deve disputar prévias do PT em Fortaleza


O deputado estadual Ivo Gomes (PSB), declarou que o secretário das Cidades, Camilo Santana, vai se afastar da secretaria para disputar as prévias do PT de Fortaleza. Camilo é o nome defendido pelo governador Cid Gomes (PSB) e o deputado federal José Guimarães (PT) para disputar a eleição municipal pela aliança PT, PSB e PMDB.

ESSA É, na verdade, a última tentativa de manter a aliança em Fortaleza. Camilo é o nome preferido pelo governo, mas não é consenso dentro do PT. A prévia acontece quando dois grupos entendem que suas posições são distintas e que o consenso torna-se improvável. Ou seja, ela acontece quando acaba o debate não resolve.

O problema para Camilo é que a prefeita Luizianne tem a maioria dos filiados de Fortaleza e já demonstrou isso desde a sua primeira eleição quando venceu os dois embates; um pela tese de candidatura própria e o outro pela indicação do seu nome para a disputa.

Então acredito que a disposição de Camilo em disputar a prévia seja mais uma forma de tencionar o grupo da prefeita e colocar uma pulga atrás da orelha de Luizianne. Quem já jogou pôquer sabe do eu estou falando.

Eunício conclama municípios e estados para luta contra o fim do FPM


O senador Eunício Oliveira, presidente da Comissão de Constituição e Justiça, pediu nessa semana a mobilização dos prefeitos e governadores do norte e nordeste para que juntos lutem pela manutenção dos direitos.

A declaração foi baseada em decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que julgou procedente ação das associações de prefeitos do Sul e Sudeste com relação a inconstitucionalidade do atual modelo de divisão do Fundo de Participação dos Estados e Municípios (FPM).

O atual formato de divisão foi criado para diminuir as desigualdades entre municípios do norte, nordeste e centro oeste, junto aos demais municípios do sudeste e sul do país.

Agora, o Congresso Nacional tem prazo até 31 de dezembro para refazer a lei respeitando o princípio federativo, como determina a constituição federal.

NÃO SE PODE resolver um problema criando outro. Não estamos falando de países distintos, somos todos, o mesmo Brasil. O atual modelo foi criado para amenizar um problema histórico de desigualdade que existia. Até acredito que mais a frente iremos conseguir sobreviver sem a necessidade desse atual modelo. Agora um golpe desses, justamente, na hora em que o norte e o nordeste mais se desenvolvem é arrastar para baixo quem está tentando subir.

O que os sulistas têm que entender é que eles sempre foram beneficiados economicamente, graças as decisões políticas de crescimento que apontaram em sua direção. Nunca foi uma questão de capacidades, baseadas em grandes planos desenvolvimentista.

O senador Eunício Oliveira tem razão. Hoje o Norte e o Nordeste têm bem mais força que em anos anteriores, então resta saber utilizar essa força a seu favor. Mas, é importante destacar que essa é uma luta política e não deve ser confundida como uma batalha do sul contra o nordeste.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Lula defende candidatura de Pimentel e aumenta crise em Fortaleza


O ex-presidente Lula defendeu hoje (20) em notícia publicada no jornal Folha de São Paulo a candidatura do senador José Pimentel (PT) à prefeitura de Fortaleza. A defesa do nome de Pimentel feita por Lula é vista como uma afronta ao governador Cid Gomes e aumenta a crise entre PT e PSB em Fortaleza. O rompimento que antes era improvável, agora é bem possível que aconteça.

Depois da troca de acusações entre o senador Pimentel e o governador Cid Gomes, durante a última semana, os defensores da manutenção da aliança do PT com o PSB não esperavam a reação de Lula que só acirra o conflito. Convencidos de que PT e PSB devem mesmo romper, os socialistas do PSB já preparam como alternativa para enfrentar o senador José Pimentel a candidatura do presidente da Assembleia, deputado Roberto Cláudio.

NA VERDADE, Luizianne consegue mais uma vez dar um golpe de mestre. Isso foi o que a prefeita sempre esperou. Quando anunciou o nome de Pimentel sabia que ele não seria aceito pelo PSB. Sua eleição coloca no senado Sérgio Novais, inimigo partidário de Cid Gomes. Mas, o problema é que dentro do PT, Pimentel é o candidato do consenso. Bastou uma faísca soltada por Pimentel e pronto o estrago foi feito.

A avaliação é que Cid errou ao responder as acusações de que o estado teria devolvido verbas ao governo federal por falta de projetos. Estrategicamente, teria sido melhor resolver isso nos bastidores.

Com isso a tese de Luizianne de que o melhor caminho é o rompimento ganha forma. Não podemos esquecer que a prefeita tem a maioria no PT municipal e poderia ter rompido quando quisesse, mas ela precisava de apoio das lideranças para não parecer uma questão pessoal. A verdade é que com o rompimento, Luizianne ganha a possibilidade de ser a candidata ao governo ou senado em 2014. Possibilidade que dentro da aliança, seria impensada pela conjuntura construída.

Ou seja, além de uma eleição super disputada neste ano em Fortaleza, temos a possibilidade de outra bem disputa em 2014 no estado. E, vale salientar, quem ganha com isso é o eleitor que terá mais opções.

PSDB cearense não aceitará candidatos "fichas-sujas"


O Diretório estadual do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) anunciou na última sexta-feira (17) que não aceitará candidatos que se enquadrem como ficha-suja nas eleições municipais deste ano. Os diretórios dos Estados do Pará e Pernambuco também aderiram a mesma postura. Segundo a direção do partido a decisão foi tomada antes da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) na quinta-feira (16).

É IMPORTANTE LEMBRAR que independente da decisão dos partidos, os candidatos enquadrados na Lei da Ficha Limpa, terão seus registros negados. Ou seja, está acima da decisão de qualquer partido. Todos os candidatos condenados por um colegiado serão impedidos de sequer disputar os cargos de prefeito e vereador nas eleições de outubro. Segundo a lei, não existe possibilidade de recorrer depois de eleito.

Mas, é louvável a atitude do PSDB, quando toma essa decisão antes do parecer final do STF, como, aliás, foi anunciado pelo seu presidente estadual Marcos Cals. Agora, o que os partidos deveriam fazer era rejeitar candidaturas de políticos com decisão definitiva, pelo TCM, de desaprovação de contas.

Isso seria, inclusive, uma forma de resguardar o partido. Ora, um candidato eleito com as contas desaprovadas já entra com chances altas de não terminar o mandato. Basta que o Ministério Público e a Justiça Eleitoral aceitem a denuncia e dêem parecer favorável a indicação do TCM. Além de evitar um desgaste considerável no futuro, o partido ganharia o respeito e a confiança a sociedade, coisa muito rara nos tempos de hoje.

Outro órgão que pode desaprovar as contas de gestores são as Câmaras Municipais, mas não a coloco nesse rol de entidades comprometidas com a lisura, porque seu julgamento é mais político que técnico. Então não se pode esperar muito das câmaras, elas geralmente favorecem a quem está no poder ou aliado a ele.

Agora é esperar qual dos partidos que disputarão as eleições desse ano se pronunciará sobre o assunto. E aí, quem terá a coragem para tomar a decisão?

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Aprovação da Lei da Ficha Limpa não muda panorama eleitoral no triângulo crajubar

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, ontem, pela constitucionalidade da Lei da Ficha Limpa. Ela valerá para as eleições deste ano e o resultado foi proclamado depois de quase 11 horas de julgamento que começou ainda na quarta-feira (15). O placar final foi 7 votos a 4 para uma das principais inovações trazidas pela lei, a inelegibilidade a partir de decisão por órgão colegiado.

Os ministros Celso de Mello e Cezar Peluso foram os últimos a votar. Eles reafirmaram posição por uma interpretação mais restrita da lei. Um dos principais pontos atacados por ambos foi a aplicação da Lei da Ficha Limpa a casos que ocorreram antes que a lei foi criada.

Os ministros que votaram a favor da integralidade da lei foram Joaquim Barbosa, Rosa Weber, Cármen Lúcia, Ricardo Lewandowski e Carlos Ayres Britto. Os outros ministros da Corte foram mais ou menos resistentes à lei de acordo com a questão levantada. Antonio Dias Toffoli, por exemplo, só foi contra a regra que dá inelegibilidade por condenação criminal de órgão colegiado, aceitando todo o resto da lei.

EU, REALMENTE, acreditei que jamais assistiria a essa decisão. Digo isto porque há anos vemos essa discussão se arrastar. A sociedade deixou claro o queria, quando sugeriu a lei, o congresso aprovou, mas no supremos os constantes pedidos de vistas pelos ministros do supremo nos deixavam muito descrentes.

Mas, ontem a sociedade mostrou que quando quer faz acontecer. E o que realmente pesou na decisão da maioria dos ministros foi a opinião pública. Através de redes sociais, programas de televisão e rádio, jornais e outros meios de comunicação, as pessoas se manifestaram e fizeram da aprovação da Lei da Ficha Limpa uma questão de honra. Deu certo!

O fator positivo nisso tudo é que a lei já entra em vigor para as eleições deste ano e pune pré-candidatos condenados anteriormente. Ou seja, ela tem efeito retroativo a decisão de ontem.

Mas, infelizmente, na região do Cariri, ela decisão não muda o panorama político-eleitoral deste ano. Para se ter uma idéia, segundo informações do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), nomes como Florisval Coriolano, Walter Peixoto e Walter Brito, no Crato; Rommel Feijó e João Hilário, na Barbalha; Manoel Salviano e Raimundo Macedo, em Juazeiro, estão inseridos na lista dos gestores com as contas desaprovadas, em decisão definitiva, mas continuariam elegíveis e dentro da disputa.

Isso acontece porque é preciso uma decisão colegiada. Ou seja, é preciso que o Ministério Público e a Justiça Eleitoral sejam acionados para julgar os casos como improbidade. Agora resta a sociedade cobrar dessas instâncias judiciais uma resolução para os casos. Continua sendo uma questão de honra!

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Ameaça de rompimento do PSB com o PT cresce em Fortaleza e Juazeiro


No PSB, já há quem admita que o partido está dividido com relação a manutenção ou não da aliança política com o PT. A discussão começa a ganhar corpo em Fortaleza, em consequência da truculência da prefeita Luizianne Lins, e já se irradia pelo interior do estado, chegando em Juazeiro.

Em Fortaleza, o deputado estadual José Sarto diz que há uma ala querendo manter a aliança, mas outra que quer a ruptura. Para o deputado, ter candidato próprio cumpre o objetivo de crescer eleitoralmente. Enquanto isso, em Juazeiro, continua colocada a pré-candidatura de José Roberto Celestino.

ACREDITO QUE temos duas situações diferentes. Na capital, o que mais incentiva a turma do rompimento é a inflexibilidade de Luizianne na escolha do nome. É mais efeito de pressão e menos projeto de poder. Até porque, acredito que se houver, realmente, o rompimento, o nome viria do PMDB, não do PSB. E, vale salientar, tornaria a disputa uma das mais interessantes dos últimos tempos.

Já em Juazeiro, a coisa é diferente. Mesmo depois de anular as pretensões de Carlos Macedo e enfraquecer o vereador Roberto Sampaio, a pré-candidatura de Roberto Celestino, não foi retirada. Claro que pode ser para garantir que ambos (Macedo e Sampaio), não voltem a ameaçar o projeto, mas finda dando margens para muitas especulações.

Segundo informações de bastidores, o nome de Celestino teria ganhado corpo no meio dos comerciantes e passado a ser visto como uma possibilidade eleitoral. O interessante da situação é que fica clara a mudança de estratégia de Carlos Macedo e Roberto Sampaio, que incorporaram o nome de Celestino para continuar forçando uma candidatura contra o prefeito Manoel Santana.

Agora, em uma coisa, as duas situações são bem parecidas. Elas contam com a anuência do governador Cid Gomes. Senão vejamos: em Fortaleza e Juazeiro, Cid tem o controle dos diretórios e, no entanto, as discussões continuam ganhando corpo. Aqui, Roberto Celestino diz que seu futuro como candidato depende do aval do governador, deixando claro que essa postura tem, no mínimo, o consentimento do governador.

Ou seja, todo esse processo que acontece em Fortaleza e Juazeiro parece estar ligado um ao outro, deixando patente que a decisão de um, influenciará no outro. É o jogo do poder, sem a presença do eleitor!

Cinturão Digital pautou encontro do prefeito Santana com o Governador Cid Gomes


Como já estava previsto, o prefeito de Juazeiro do Norte, Manoel Santana (PT), participou, ontem, de reunião com o Governador Cid Gomes. Mas a reunião muito especulada pelo lado político acabou sendo pautada por questões técnicas. Estavam presentes os técnicos da Empresa de Tecnologia e Informação do Estado do Ceará (ETICE), da Secretaria de Planejamento e, ainda, o vice-governador Domingos Filho e vários outros prefeitos.

O projeto do Cinturão Digital pretende interligar as regiões metropolitana de Fortaleza e do Cariri; além do litoral, zona norte, Inhamuns, Centro-Sul e Vale Jaguaribano. Cid Gomes lembrou que as zonas urbanas já estão sendo beneficiadas com mais de 2.500 quilômetros de fibra ótica de alta velocidade interligando escolas, hospitais, centros de saúde, delegacias e os mais variados órgãos públicos.

APESAR DE ter sido uma agenda de trabalho, não acredito que nos bastidores não tenha sido falado de política e sucessão. Agora, se o papo teve caráter decisivo, não dá para prever. Mas, uma coisa é possível continuar especulando: Cid não nutriu qualquer expectativa de apoio a Santana ou a qualquer outro pré-candidato presente. O governador costuma ser muito específico nas suas discussões. Geralmente ele não trata, pelo menos, de forma mais aprofundada, de política em encontros de trabalho.

Agora, que esses encontros constantes acabam aproximando o governador do prefeito Manoel Santana, isso é inegável. Mas, além disso, a aliança de seis anos com o PT deve ser um grande trunfo que Santana tem nas mãos. Resta saber se ele saberá usar.

Ciro Gomes quer disputar as eleições presidenciais de 2014 pelo PSB


O ex-deputado Ciro Gomes disse que quer ser o candidato do PSB para presidente em 2014. O desejo foi revelado, durante entrevista ao programa É Notícia, da Rede TV. Ciro afirmou ainda não ter interesse em qualquer outro cargo eletivo. Sobre o nome do governador de Pernambuco Eduardo Campos, como sendo o preferido pela maioria do partido, Ciro disse que falta estrada ao governador.

SÃO DUAS as análises neste caso. Primeiro, não dá para dizer que um governador reeleito por um estado tão importante como Pernambuco, não tenha estrada. Acredito que a “mais estrada”, a que se refere Ciro Gomes, queira dizer mais experiência. Pois bem, mesmo sem, tanta, experiência Eduardo Campos ganhou o partido nacionalmente, tem mais prestigio junto ao governo federal e, além de tudo, não é visto falando tanta bobagem como Ciro.

Ciro Gomes é um grande brasileiro, um político muito bem preparado e, na atual conjunto política do Brasil, necessário a democracia. Mas, o caminho escolhido por ele leva ao julgamento cômico, do intempestivo, do falso moralismo, do descrédito.

Que existe roubo todos nós sabemos. O que a sociedade quer é saber como evitar. Ciro desenvolveu uma tática de ataque e esqueceu que precisamos é de soluções. E pra ser presidente é preciso muito mais que palavras de impacto e marketing pessoal barato. Dessa fase já passamos, ou ele acha que já esquecemos Fernando Collor?

Imagem que fala


José Serra visitou o bandejão em São Paulo e sentou ao lado de uma das trabalhadoras que se alimentam ali todos os dias. Olha a cara de contentamento da cidadã.

Dilma não fará campanha onde a base estiver dividida


A presidenta Dilma Rousseff (PT) disse que não fará campanha em cidades com mais de um candidato da base aliada. O anuncio foi feito, ontem, durante reunião com o Conselho Político, formado por líderes e dirigentes de 14 partidos que sustentam a base do governo.

A presidente também prometeu impedir o uso da máquina pública na eleição. Dilma avaliou ainda o primeiro ano de governo como "excepcional" e insistiu que todas as conquistas só foram possíveis em razão da unidade partidária.

APESAR DA ATITUDE ética e agradável a maioria da base aliada, a coisa não é tão simples. Quando falo de maioria, refiro-me aos partidos menores. Os grandes, na verdade, vão pressionar pelo apoio. Na disputa pela sucessão federal, um dos pontos que mais fortalece é número de prefeituras pertencentes ao partido.

Além do mais, na política, não dá para ficar em cima do muro. É preciso ter lado. É importante que o PT e a presidenta Dilma definam suas prioridades e trabalhem para concretizar. Quero ver, por exemplo, se Dilma não subirá em palanques como o de São Paulo e Fortaleza. Será que duas das cinco maiores cidades do país não é prioridade para o partido?

Até compreendo que a presidenta, resuma o número de cidades que deverão ter sua participação, mas, simplesmente, não subir é erro de avaliação e pode custar muito caro em 2014. Claro que tudo ser explicado, caso o PT e Dilma, não quiserem concorrer a reeleição.

Nessa questão eu iria além. Onde não houvesse nomes petistas partiria para o fortalecimento dos partidos menores. Para 2014, quanto mais divido o cenário, menor a possibilidade de rebeliões e menor a possibilidade de se tornar refém de um único partido. É melhor o Lula voltar logo, pois a turma pode botar tudo a perder!

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Documento contra o presidente da Câmara de Crato pode levar a impeachment


Segundo informações do Jornal do Cariri, desta semana, um dossiê sobre a administração do presidente da Câmara Municipal do Crato, vereador Florisval Coriolano (PSD), tem circulado nos bastidores do Legislativo cratense e seu conteúdo pode levar a um processo de impeachment.

Essa documentação que, possivelmente, comprovaria desvios de conduta de um ex-vereador, apontado como homem forte de Florisval Coriolano, deve ser enviada ao Ministério Público do Ceará e ao Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). Segundo o jornal, Florisval Coriolano tem repetido que nada teme e que sua administração é limpa e transparente.

PRIMEIRO que o conteúdo desse documento deve ser algo muito bombástico para causar um impeachment. Já que, no Crato, nem compra de voto tem conseguido cassar vereador.

Outra coisa são as dúvidas levantadas com esse tipo de processo. Coisa do tipo: Será que os vereadores podem destituir um colega do cargo sem a anuência da justiça? Segundo o jornal, a documentação será enviada ao Ministério Público e TCM, então se os vereadores têm competência para cassar Florisval, por que perderiam tempo enviando a documentação aos órgãos competentes pela fiscalização?

Mas, essas são perguntas que devem ser respondidas pelos vereadores e pela justiça. O que importa é que a essas alturas a questão parece ser mais política que ética e jurídica. A quem importa o desgaste do vereador? É importante observar que Florisval é ligado ao deputado estadual e pré-candidato a prefeito Sineval Roque (PSB). Além de estar fazendo oposição velada ao prefeito Samuel Araripe (PSDB).

Coincidência ou não, nos últimos dias, essa é a segunda notícia envolvendo nomes próximos a pré-candidatos da oposição no Crato. Isso é um sinal claro de a campanha na terra de Barbara de Alencar, a exemplo do Juazeiro, também, já começou. É esperar para ver quem terá fôlego para chegar ao final, pois o caminho ainda é longo.

Camilo Santana quer ser o candidato de Luizianne em Fortaleza


O secretário estadual das Cidades, Camilo Santana (PT), um dos cinco pré-candidatos petistas à Prefeitura de Fortaleza, disse, em entrevista ao programa Debates do Povo, rádio O Povo/CBN de Fortaleza, que só irá para a disputa em Fortaleza se for o candidato da prefeita Luizianne Lins (PT). Camilo é o nome preferido pelo governador Cid Gomes para encabeçar a chapa PT-PSB.

Porém, até o momento a prefeita ainda não demonstrou interesse na sua indicação para a disputa. Com a desistência do secretário de articulação política da Prefeitura, Waldemir Catanho, o nome preferido pela prefeita passou a ser do secretário municipal da Educação, Elmano de Freitas.

É BOM DEIXAR bem clara que só existe uma possibilidade da prefeita Luizianne Lins endossar a indicação de Camilo Santana. E ela passa pelas vagas ao senado ou governo do estado em 2014. E isso, vale salientar, Luizianne não terá, nem dessa base aliada, nem do PT de Guimarães.

Luizianne entrou nisso sem nada e sozinha. Agora acredita que pode ir bem mais longe do que imaginava e está radicalizada e, pior, sem medo de perder o que já conquistou. Então acabamos assistindo a um dos jogos de poder mais acirrados dos últimos tempos. De um lado Luizianne, sem abrir mão das suas pretensões futuras e do outro a base aliada, incluindo parte do PT, com medo deixá-la com todo o poder em Fortaleza e ela imploda todo o processo de aliança firmado desde 2006, partindo para vôo solo.

Camilo, durante a entrevista falou, inclusive, em bom censo, por parte dos envolvidos no processo. Mas, acredito que em Fortaleza a base aliada precisará de algo mais que bom censo. Lá, na verdade, alguém terá ceder; terá que abrir mão de algo maior, consciente de que estará fora do jogo. Ou seja, é um jogo de vida ou morte para muitas pretensões em 2014.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Cid define até março apoio em Juazeiro


O governador Cid Gomes (PSB) deve definir até meados de março quem terá o seu apoio nas eleições deste na cidade de Juazeiro do Norte. A informação é do Jornal do Cariri, que destaca ainda que o governador conversará com todos os pré-candidatos da base aliada, além de outras lideranças que o acompanharam nas eleições passadas.

Cid Gomes afirmou na semana passada que, dada a importância de Juazeiro do Norte, ele não poderia se omitir da campanha. Além da importância política, agora, Cid destaca o carinho que o povo de Juazeiro sempre teve com ele e, por isso, estaria se colocando nessa obrigação de ter um olhar diferenciado sobre a definição política da cidade.

BOM, EU ACREDITO que todos os pré-candidatos a prefeito na cidade de Juazeiro já devem ter procurado o governador Cid para buscar o seu apoio. Então a conversa deve ser apenas para a formalidade de dar igual oportunidade a todos.

Mas, eu penso que a definição deve sair a partir de dois critérios. O primeiro é a opinião das outras lideranças ligadas a ele. Cid avalia que essas lideranças têm uma visão mais detalhada da situação política de cada pré-candidato. E isso deve pesar significativamente na decisão. O segundo é a fidelidade demonstrada a base aliada nas duas últimas eleições. E aí, tem pré-candidato que está na base, mas, que nunca demonstrou fidelidade ao bloco. Para esses a situação fica mais difícil. Claro, que isso pode ser resolvido com uma conversa de apoio futuro e uma boa articulação junto as lideranças ouvidas pelo governador.

Hoje, inclusive, o governador deve ter uma conversa com o prefeito Manoel Santana. Não se sabe se o assunto será eleição e apoio, mas, com certeza, a pauta deve vir a tona durante a conversa. Agora, pelo que se comenta, nenhum dos pré-candidatos da base aliada deve ficar de fora. Ou seja, os deputados federais e pré-candidatos Raimundo Macedo, Manoel Salviano e José Arnon, além do vice-prefeito José Roberto Celestino, devem, também, ter a mesma conversa com Cid.

Agora se a coisa for definida realmente dentro destes critérios, acredito que Manoel Santana e Roberto Celestino, partem na frente. Primeiro, por que sempre se mantiveram fieis e, segundo, porque, nesse momento têm estado bem mais próximos das lideranças e do governador.

Justiça identifica campanha fora de época em Nova Olinda


A justiça eleitoral mandou retirar adesivos que caracterizavam propaganda eleitoral fora de época de diversos veículos na cidade de Nova Olinda. O adesivo parabeniza os 55 anos de emancipação do município, mas destacava em muito o 55, número do recém criado Partido Social Democrático (PSD).

Segundo a portaria de número 02/2012 a justiça já havia recomendado que os adesivos não fossem utilizados. Diante do desacato, o juiz Rômulo Veras Holanda, da 53ª Zona Eleitoral, ordenou a notificação e retirada dos adesivos. O pré-candidato a prefeito e presidente da câmara de vereadores da cidade Francisco Ronaldo Sampaio (PSD) se recusou a retirar os adesivos e foi notificado.

A JUSTIÇA precisa, realmente, estar muito ligada para que os atuais ou futuros representantes do povo, não desobedeçam a legislação do país que eles pretendem defender como poder constituído. Parece contra senso, mas é realidade. Eles não respeitam a própria lei que no ato de posse juram defender e respeitar. Então a questão é: quem não respeita antes, vai respeitar depois?

Mas, Nova Olinda não o único caso. Em Juazeiro, por exemplo, existe um calendário com a foto é o número de um pré-candidato, claro, que o número é veiculado de forma indireta, fazendo alusão ao ano em que estamos, mas, com certeza, se configura como propaganda subliminar. E, até agora, não vimos a justiça se pronunciar.

Para finalizar, é preciso que as boas atitudes partam dos nossos futuros representantes. Desrespeito as leis e a vontade premeditada de subestimar nossa inteligência, pode ser encarada como uma atitude imprópria para um futuro ocupante de cargo público. Que a justiça continue fazendo sua parte, se não que a sociedade faça sua na eleição!

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

PSD nacional quer a vice do PT em Fortaleza e Juazeiro do Norte


Desde que foi criado o PSD tem se colocado mais direcionado a base governista. E, essas eleições podem concretizar de vez essa parceria. O PT poderá abrir mão de candidaturas próprias e apoiar outros partidos da base do governo Dilma Rousseff em metade das capitais.

Já o PSD deve estar no palanque de candidatos petistas em no mínimo 18 cidades com mais de 150 mil eleitores. Além da capital paulista, onde Kassab deve apresentar um nome para vice de Fernando Haddad, a lista inclui, ainda, cidades como Fortaleza e Juazeiro do Norte (Ceará), Salvador e Feira de Santana (Bahia), São Luís (MA), Aracaju (SE), Recife e Petrolina (Pernambuco) e Campo Grande (MS).

Em Juazeiro, isso tem incomodado alguns setores do PT local, mas a proximidade do prefeito Manoel Santana e o deputado Manoel Salviano têm sido notada por todos. Santana afirma que todos os petistas terão que compreender o futuro político que esta em curso.

PARECE que o prefeito Santana terá uma verdadeira engenharia política pela frente. A decisão não é tão simples o quanto parece. Ainda na semana passada o governador Cid Gomes (PSB) disse que deve subir em um palanque de Juazeiro. Hoje a vice do PT e do PSB. E aí, como será que a atitude do PT em trocar o vice do PSB por um vice do PSD, poderá influir na decisão do governador?

É bom o prefeito Santana ter muito cuidado com esse jogo. A manutenção da vice para o PSB, com o atual Roberto Celestino, pode significar a garantia de ter o governador Cid no seu palanque. Ou será que Cid subiria em outro palanque contra seu próprio partido? Digo isso porque Roberto Celestino já disse que sua pretensão é, no minimo, continuar vice. Aí interpretem como puder.

Agora se a presença do deputado Manoel Salviano é fundamentalmente para contribuir na composição de um amplo projeto político-administrativo para o futuro de Juazeiro, como, aliás, vem sendo repetido por ambos, Salviano não deve se incomodar em ser apenas coadjuvante pelo propósito de ver Juazeiro crescer. E, consequentemente, concordar com o pensamento de Cid de que a base aliada de Juazeiro tem fila e Santana e Roberto Celestino estão na frente.

Colunista de O Globo revela desentendimento entre Cid e Dilma no Cariri


Segundo a coluna Panorama Político, do colunista Ilimar Franco, do Jornal O Globo, o governador Cid Gomes (PSB) teria tido um desentendimento com a presidenta Dilma Rousseff (PT), durante sua visita ao Cariri para vistoriar obras da Transnordestina. Segundo o colunista esse foi o motivo do governador ter partido para Fortaleza mais cedo que o previsto.

Veja na íntegra a publicação:
O governador Cid Gomes (CE) se desentendeu com a presidente Dilma durante a recente viagem desta para fiscalizar obras da Transnordestina. Cid foi aos locais vistoriados pela presidente irritado pelo fato dela ter suspendido a passagem por Fortaleza. Numa das conversas, da qual participaram também os governadores Eduardo Campos (CE) e Wilson Martins (PI), eles teriam divergido numa conversa sobre investimentos federais nos estados. Contam que, agastado, o governador deixou a agenda pelo meio, pegou seu avião e foi embora. No Ceará também se diz que Cid queria que o irmão, Ciro Gomes, fosse ministro.

PARA FALAR a verdade, não acredito na tese defendida pelo colunista de que o cancelamento da ida a Fortaleza e uma possível cobrança para que o irmão, Ciro Gomes, fosse ministro, represente o real motivo do desentendimento. Ora, depois do anuncio de que Ciro não seria ministro, o governador Cid já esteve em Brasília, pelo menos, duas vezes. Ele a teria cobrado e se chateado bem longe do Ceará. Quanto a não ida a Fortaleza não faz diferença. Ela estava no mesmo Ceará de Fortaleza.

Acredito que não houve um motivo aparente para o desentendimento. Aliás, não acredito sequer que ele tenha acontecido de forma explicita. Na verdade, acho que o governador Cid ficou incomodado com a presença do seu colega pernambucano Eduardo Campos que, por diversas vezes, durante o encontro, demonstrou ter bem mais proximidade com a presidente que Cid.

Dilma sabe que Eduardo Campos é o nome da vez no PSB e que, hoje, representa uma ameaça real a sua reeleição, por isso, centralizou sua atenção no pernambucano. Cid, na verdade, se sentiu desprestigiado em sua própria casa. E, por algumas pessoas, isso é duro de ser digerido. Ou seja, acredito na tese de que foi apenas ciúmes.

Radicalismo de Luizianne pode promover seu isolamento da base aliada


Uma conversa entre os senadores Eunício Oliveira (PMDB) e Inácio Arruda (PCdoB), na última semana, pode significar a possibilidade de rompimento entre o PMDB e o PT. Os dois conversaram o apoio do PMDB a candidatura do comunista nas eleições municipais de Fortaleza.

Sobre o assunto, Eunício Oliveira, disse, em entrevista ao site Poder Online, que tem um ritual a cumprir com o governador Cid Gomes (PSB), seu principal aliado no Estado. Cid e a prefeita Luizianne Lins ainda não chegaram a um consenso sobre a definição do nome indicado para a disputa na capital. Eunício deixou claro que, se o acordo não for fechado, está disposto a se distanciar do PT.

O PROBLEMA em toda essa questão de Fortaleza é que a prefeita Luizianne acredita que o raio de 2004 pode cair no mesmo lugar. Na época ela bancou uma candidatura contra tudo e contra todos e acabou tendo êxito. Mas agora a situação e a conjuntura são outras. Depois de dois governos mal avaliados, ela tem uma única chance de não colocar toda conquista a perder, basta agir com bonsenso e sabendo avaliar o seu tamanho nessa negociação.

Nesse momento, Luizianne está jogando alto para garantir seu nome na disputa ao governo ou senado. Ela não pode esquecer que sua conquista, ou melhor, do grupo que ela representa, é a prefeitura e o revezamento é natural; ela pode voltar.

No caso da inflexibilidade para a escolha do nome, passando, inclusive, por cima do aval dos aliados, causa uma desconfiança de que ela possa tomar a mesma atitude de 2004 e usar a força da prefeitura para bancar suas pretensões eleitorais em 2014.

Luizianne precisa avaliar que ficar sozinha nesse momento significa perder a prefeitura e, consequentemente, seu suicídio político. Não se pode esquecer que seu segundo mandato foi conquistado graças a união dessa mesma base. Pois sua administração já estava enfrentando grandes dificuldades. Agora imagine com esse desgaste maior e sem apoio. “É melhor um passarinho na mão, que dois voando!”

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Ex-prefeito do Crato condenado por crime de improbidade administrativa

O ex-prefeito do Crato José Aldegundes Muniz Gomes de Matos (Zé Adega) foi condenado por crimes de improbidade, referentes, entre outros, a realização de obras sem licitação e desvio de recursos públicos em obras superfaturadas. A sentença é datada do dia 27 de janeiro de 2012.

As irregularidades identificadas pelo Tribunal de Contas dos Municípios e as denuncias oferecidas pelo Ministério Público contidas no processo crime n° 2000.0011.4166-0/1. Segundo as denuncias as infrações foram cometidas estão previstas no Art 1°, incisos I, IX e XIV, e referem-se ao período de 1989 a 1992, quando Zé Adega cumpriu mandato de prefeito.

A sentença do juiz titular da 2ª vara da Comarca do Crato, Francisco José Mazza Siqueira, condena, inicialmente, o ex-prefeito a uma pena restritiva de liberdade, unificada em 02 anos e 06 meses de reclusão e 06 meses de detenção, a qual foi convertida em pena restritiva de direito, estando o ex-prefeito condenado a pagar 20 salários mínimos em cestas básicas e inabilitado a ocupar qualquer cargo de função pública, eletivo ou de nomeação por um período de 05 anos.

A conversão da pena foi justificada pelos bons antecedentes e primariedade do citado, além da devolução da quantia questionada, mesmo sem ressarcir os cofres públicos da correção monetária do valor desviado. Em caso específico, houve superfaturamento percebido de até 70% do valor de mercado. O ex-prefeito Zé Adega ainda pode recorrer da decisão, podendo continuar respondendo ao processo em liberdade.

É IMPRESSIONANTE a morosidade da justiça brasileira em alguns casos. Nesse caso, já vão quase duas décadas e ainda não ficou resolvido. Ou seja, no Brasil o crime contra o povo compensa. Aí você pode querer justificar: é porque são muitos processos! Mas, será que são menos processos nas justiças do trabalho e na vara de família? Não sou especialista em direito, mas acredito que poderíamos ser mais céleres quando a causa envolvesse questões públicas.

Mas, esse caso não envolve apenas o passado. Coincidência, ou não, o atual pré-candidato do PMDB, Ronaldo Gomes de Matos, primo de Zé Adega, foi seu chefe de gabinete nessa mesma gestão. O chefe de gabinete é quem direciona toda a política da administração. Ele é o elo de ligação entre o prefeito é o secretariado. Ou seja, em tese, ele deve saber tudo o que acontece na prefeitura. Então, do mesmo jeito que o ex-prefeito Zé adega está sendo cobrado pelo lado jurídico, Ronaldo Gomes de Matos deverá ser cobrado pelo lado político, já que, pretende ser prefeito do Crato.

Agora, se o fato desse processo vir aparecer justamente nesse momento, quando Ronaldo é pré-candidato, só o tempo poderá nos dizer. É esperar para ver as próximas novidades dessa novela que está apenas começando.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Cid Gomes diz que subirá em palanque no Juazeiro


O governador Cid Gomes (PSB) disse em entrevista ao repórter Rafael Boaventura, Jornal Super Tempo, Tempo FM, que deve subir em um palanque na cidade de Juazeiro durante a campanha municipal deste ano. A entrevista aconteceu durante a visita da presidenta Dilma Rousseff a Região do Cariri para inspeção das obras da transposição das águas do rio São Francisco.

ESSA É realmente uma novidade para o cenário político dessa eleição. Cid Gomes já havia falado que não subiria em palanque, onde os partidos da base aliada estivessem divididos. Acredito que a declaração visa forçar a aproximação dos pré-candidatos da base e, claro, o governador deve priorizar os candidatos a reeleição que pertencerem aos partidos aliados. Onde a oposição estiver no comando, deve prevalecer a teoria de quem estiver mais bem colocado. E isso, quer dizer intenção e rejeição.

Agora, no caso específico de Juazeiro, Cid terá que fazer mais que uma declaração para forçar a união da base. Só para lembrar, aqui em Juazeiro, todos os partidos da base aliada têm pré-candidatos; e, pior, em alguns casos, com discussões já muito desgastantes, motivadas, principalmente, pela antecipação da campanha e por questões pessoais.

Mas, verdade seja dita: se a base aliada se juntar em Juazeiro, não haverá campanha e a eleição será mera formalidade. Só para lembrar, os pré-candidatos: Manoel Santana (PT), Manoel Salviano (PSD), Arnon Bezerra (PTB), Raimundo Macedo (PMDB) e Roberto Celestino (PSB), pertencem a essa base. Restariam apenas os nomes de Vasques Landim (PR), oposição assumida e Alcymar Monteiro (PDT) que hora é situação, hora é oposição. Difícil não prevê o resultado desse confronto.

Quanto a aliança com o PT, Cid disse que pretende mantê-la, mas não abre mão de aprovar o nome indicado pelo partido. Claro que ele se referiu a situação de Fortaleza. Mas, acredito que os mesmos critérios devem ser adotados para outras cidades onde tenham prioridade a qualquer um dos partidos da base aliada.

Juazeiro é destaque em propaganda do PSC

A cidade de Juazeiro do Norte está sendo destaque em propaganda partidária gratuita, veiculada pelo diretório nacional do Partido Social Cristão (PSC). As inserções estão no ar deste o dia primeiro de fevereiro e devem finalizar no próximo dia 21. Veiculada em horário nobre, no intervalo do Jornal nacional e Fina Estampa, tem a duração de 15 minutos, dos quais Juazeiro aparece em 8. O destaque é para o programa Minha Casa, Minha Vida, parceria do município com governo federal. Quem apresenta Juazeiro no programa é o presidente municipal do partido, vereador Adauto Araujo.

RPIMEIRO, isso significa uma mídia significativa para a cidade de Juazeiro. É importante ressaltar que esse destaque para Juazeiro acontece em nível estadual, o que, não tira o mérito da divulgação.

Outro ponto positivo é o fato do programa ser apresentado por um nome local, no caso o vereador Adauto. Além de valorização pessoal, mostra que o diretório municipal tem vida própria e força junto aos diretórios estadual e nacional.

Agora, me surpreendeu a quantidade do tempo de que dispões o PSC. Além de mostrar que tem uma bancada forte em nível nacional, se coloca como um partido estratégico para qualquer aliança. Afinal tempo de rádio e televisão pode ser o diferencial numa eleição tão acirrada como está se desenhando esta de Juazeiro.

Para resumir, podemos dizer que o PSC está no lugar certo e na hora certa, além de matar dois coelhos com uma cajadada só. Ele fortalece sua parceria com os governos municipal e nacional e, ainda, se mostra como partido com diferencial elevado para a eleição deste ano. Agora é aguardar o que nos trará as outras siglas em suas propagandas.

Vice-prefeito do Crato em pré-campanha acelerada


Mesmo estando como um dos prováveis nomes a ser indicado pelo prefeito Samuel Araripe (PSDB), o vice-prefeito Raimundo Bezerra Filho (PPS), não está esperando pela decisão definitiva e já trabalha sua pré-campanha. Raimundo Filho tem sido visto fazendo articulações, visitas e caminhadas no centro da cidade.

NA VERDADE, o que se comenta no Crato é que o secretário de Saúde, Cícero França (PV), seria o nome favorito do prefeito Samuel Araripe. Então sabendo disso, Raimundo Bezerra Filho está procurando se fortalecer para mostrar ao prefeito que a decisão pode custar o comando do município. Na hora da escolha é estratégico para Raimundo Filho que ele esteja à frente de Cícero França.

Raimundo Bezerra Filho já declarou que será candidato, com ou sem o aval do prefeito Samuel. E, vale salientar, conta com o apoio de grande parte da máquina; aqueles que não concordam com a possível indicação de Cícero França. Agora é notório que, quanto mais Samuel adia a decisão, mais evidente a indicação de Cícero. A estratégia visa apenas adiar o desgaste com Raimundo Filho.

Enquanto isso, Cícero França, continua com suas dificuldades de relacionamentos no grupo, o que, pode ser, inclusive, sinais da falta de experiência política.

Mas, a verdade é que o prefeito Samuel Araripe está entre a cruz e a espada. Ele tem que contemplar os reclames familiares, já que, a indicação de Cícero França pode ser de cunho familiar e, também, terá que acalmar a sua base que pretende uma indicação mais de cunho político.

Que fique, nessa situação, o ensinamento do grande Tancredo de Almeida Neves: nunca contrate quem você não pode demitir. Ou seja, na política, família boa e família longe.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Informação do Jornal do Cariri desmentida pelo presidente do PCdoB cratense


O presidente do PCdoB cratense, Samuel Siebra, em conversa com este colunista político, desmentiu a informação passada pelo jornalista Donizete Arruda, Jornal do Cariri, de que o PCdoB estaria fechado com a proposta do PMDB de Ronaldo Matos. Para Samuel ainda é cedo para fechar aliança e que conversa com muitos partidos, mas nada está fechado.

É LÓGICO que os partidos conversem e, também, não abram o jogo antecipadamente. Isso faz parte das estratégias. Existem aqueles que querem estar a frente das chapas e aqueles que apenas comporão. E aí se torna um jogo de gato e rato, entre os que querem fechar, prováveis cabeças de chapa, e os que querem conversar, prováveis apoiadores.

O PCdoB cratense está num meio termo. Conversa como provável apoiador, mas não descarta a possibilidade de ter candidatura própria. Quanto a notícia, mais parece uma busca de fortalecimento individual do nome de Walter Brito. Seu nome fica destacado no comentário, mas é sabido que ele não representa a liderança capaz de fechar acordos como esse.

Vale salientar que no PCdoB as lideranças se firmam com o passar do tempo e Walter Brito é recém filiado. Aliás, não podemos esquecer que também faz parte dos quadros do PCdoB, o médico e ex-candidato a prefeito Valdetário Brito, que segundo informações de bastidores, seria o candidato preferencial da sigla caso tenha candidatura própria.

Mas, a articulação de Walter Brito é valida, afinal esse é o momento para se buscar ao máximo o fortalecimento, claro, quem pretende ao mais que participar como coadjuvante no processo. Isso faz parte da política partidária.

Inácio lidera pesquisas em Fortaleza e anuncia rompimento com o PT


O PCdoB não vai mais esperar que a prefeita Luizianne Lins indique seu candidato à sucessão em Fortaleza. O senador Inácio Arruda confirmou o fim da aliança PCdoB/PT e confirmou, em entrevista ao Poder Online, sua candidatura a prefeito de Fortaleza.

A decisão veio após a divulgação de pesquisas de opinião que o colocam na primeira posição. Inácio garantiu que o PCdoB ajudou em tudo o que foi possível a gestão da prefeita Luizianne. Mas, explica que sua indicação representa o desejo do partido de concorrer em algumas das principais cidades do país.

PRIMEIRO, não sei por que o PCdoB, ainda segurava a pré-candidatura de Inácio. Eles não têm alternativa. É uma questão de sobrevivência política, tanto para o partido, quanto para o seu maior líder, o Inácio Arruda. Não vamos esquecer que o mandato de senador acaba em 2014, mesmo ano em que pode entrar em vigor a reforma política.

Segundo, o resultado da pesquisa não é surpresa para ninguém e nem deve ser motivo de grande comemoração, afinal, Inácio é o único candidato já definido, apesar do PCdoB ter tentado segurar. A prefeita Luizianne ainda não tem candidato e a oposição está entre dois nomes. Ou seja, era claro que o resultado apontaria o nome de Inácio.

Agora é importante frisar que o eleitor de Fortaleza costuma contrariar pesquisa. Veja-se a primeira eleição da própria Luizianne, quando o mesmo Inácio liderava com folga e acabou ficando pelo caminho e não disputou, sequer, o segundo turno. Luizianne saiu de 3% para a vitória no segundo turno contra Moroni. Eleição pode ser imprevisível, depende apenas da motivação do eleitor.

Prefeitura de Missão Velha pode ser bloqueada por não pagamento de dividas de gestores passados


A prefeitura municipal de Missão Velha recebeu outra notificação de débitos referentes a administrações passadas. Ainda no primeiro ano da gestão do prefeito Washington Fechine (PSB), foi negociado e parcelado cerca de R$ 7 milhões de dívidas com o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS). A dívida é referente a gestão do ex-prefeito Gidalberto (PSDB).

Agora a prefeitura novamente terá que negociar novo débito, junto ao mesmo INSS, de cerca de R$ 8 milhões. A nova dívida refere-se ao período de janeiro de 2006 a janeiro de 2010, pegando, inclusive, parte a gestão Washington. Segundo o atual prefeito, houve atrasos em 2009, justamente por ele estar organizando as finanças da prefeitura que já iniciou tendo que pagar dívidas antigas.

A situação do município, atualmente, é de inadimplência o que pode bloquear a disponibilização de recursos por parte do governa federal. Quando a possibilidade de um novo parcelamento, a administração chama a atenção para o fato de ter que pagar de forma imediata 10% do valor total, cerca de R$ 800 mil, quantia que a prefeitura não dispõe. Isso acontece porque a prefeitura já tem outro financiamento. Sem falar que o restante da dívida só pode ser parcelado em 60x, o que inviabilizaria parte dos investimentos que podem ser feitos na cidade.

“Somos uma prefeitura pequena e nossas finanças não comportam tanto parcelamento”, disse o prefeito Washington Fechine. Ele disse, ainda, que está consultando outros colegas prefeito na mesma situação e que irá tomar providências legais para responsabilizar os gestores passados pela dívida.

PREFIRO não comentar. Quero apenas fazer uma indagação: quando as autoridades competentes irão cobrar certidões negativas de débitos dos gestores que saem dos cargos executivos? É preciso responsabilizar a quem de direito.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Santana acalma PT e diz que apoio de Salviano é importante


Respondendo as declarações do presidente municipal do Partido dos Trabalhadores (PT), Ricardo Lima, sobre não desejar uma aliança com o deputado federal e ex-prefeito Manoel Salviano (PSD), o prefeito Manoel Santana disse que o apoio do deputado Salviano é importante para a concepção de um grande projeto progressista para Juazeiro do Norte.

O QUE ACONTECEU para o presidente Ricardo Lima ter feito tal afirmação, eu não sei; mas que foi estranho e continua mal explicado; ah, isso fica!

Mas, dúvidas a parte, ontem à tarde conversei com o prefeito Santana e ele me confidenciou, e não pediu segredo, que continua conversando com o deputado Manoel Salviano. São reuniões que visam a construção de um grande projeto de desenvolvimento econômico e político para Juazeiro. Segundo Santana, a intenção é apresentá-lo ao governador Cid Gomes e aos partidos aliados. O prefeito disse anda que está disposto a fazer a aliança que viabilize mais progresso para cidade.

Sobre as declarações de Ricardo Lima, Santana disse apenas que tem a certeza de contar com o apoio incondicional do PT e do seu presidente para fazer o que for melhor para o partido e para cidade de Juazeiro.

O que parece, na verdade, é que teria acontecido alguma indisposição interna, o que causou tal rebeldia do presidente da sigla. Agora é importante que se faça uma avaliação interna, já que, declarações como essa, numa reta final de pré-campanha pode desconfigurar a composição de alianças. E, vale salientar, aliança nunca é demais para garantir a manutenção de um projeto.

Fora isso, a confirmação de constantes reuniões, incluindo o secretário das Cidades Camilo Santana, parece a clara demonstração de que o deputado Manoel Salviano resolveu seguir a orientação do governador Cid para se articular, em Juazeiro, com o prefeito Manoel Santana ou o vice Roberto Celestino. É a velha máxima do “manda quem pode, obedece quem tem juízo”.

Vice-presidente do PT de Barbalha quer previa para escolha do candidato petista

O vice-presidente do PT de Barbalha, José Airton, disse, segundo matéria do Jornal do Cariri, que informou à executiva do partido que é pré-candidato e sugere a realização de prévias para escolha do nome que disputará como cabeça de chapa as eleições deste ano. O petista avisa que não abrirá mão e se apóia nos 18 anos de militância dedicada ao partido. Segundo sua avaliação, a atual situação do PT em barbalhense é preocupante.

COM ESSA declaração, eu endosso as palavras do vice-presidente. Realmente a situação do PT de Barbalha é preocupante. A essas alturas, para um partido dividido, enfrentar uma oposição tão bem organizada, como a que está formada em Barbalha, é um péssimo prenuncio ou, até, uma derrota anunciada.

O pior é que a coisa parece estar irreversível. José Airton dispara contra Zé Leite, colocando-o como inábil no trato com os outros partidos e o acusa de concentrar as decisões da administração entre ele e sua esposa, secretária de Educação do município. Ou seja, o processo de desgaste interno parece estar bem avançado e a ponto de implodir as possibilidades de reeleição do prefeito Zé Leite.

Agora é a hora das lideranças, acima das paixões locais, entrarem em ação para apagar o quanto antes o fogo, sob pena do partido, em nível estadual, não conseguir reverter a situação de calamidade política que se abate sobre o PT barbalhense.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Denuncias contra Raimundão abrem novas possibilidades na eleição de Juazeiro


Depois das denúncias de que a administração Raimundo Macedo em Juazeiro do Norte teria deixado uma dívida de R$ 22,5 milhões no INSS e que o Tribunal Regional Federal irá julgá-lo por crime financeiro, no caso BEC, agora o Jornal do Cariri traz em sua capa desta semana mais um débito de cerca de R$ 10 milhões no PASEP, também quando Raimundão era prefeito.

A denúncia se baseia na notificação junto a atual administração que estaria sendo executada pelo não repasse mensal da contribuição de 1% durante os quatro anos de mandato de Raimundão.

ATÉ PARECE brincadeira, mas não é. As denuncias são bem contundentes e documentadas. É mais um desgaste político para uma pré-candidatura ainda em fase de construção. Desde que se lançou pré-candidato, assistimos um Raimundão disparado na frente, onde sua vitória era dada, quase, como favas contadas; mas que agora todos começam a repensar a opinião.

Nos bastidores, já se comenta que alguns partidos, antes fechados com a proposta de Raimundão, começam a reiniciar conversações com outros pré-candidatos. Há, inclusive, quem acredite, na possibilidade da pré-candidatura não sobreviver até a eleição, caso as denuncias não parem. Mas, claro, isso são apenas especulações.

Certo mesmo, é que a queda sistemática de Raimundão tem aberto várias alternativas para a eleição deste ano em Juazeiro. Primeiro, fortalece a chamada terceira via, claro se tiver unida, que pode entrar na situação de polarizar com a revitalizada reeleição do prefeito Manoel Santana (PT). E segundo, deixa aberto o caminho para o crescimento de nomes Vasques Landim (PR), que se articula para ser o candidato da oposição estadual (PR, PSDB e PPS) e, até Alcymar Monteiro (PDT), até então sem qualquer viabilidade eleitoral.

Tarso Magno faz defesa baseada em perseguição política


O vereador Tarso Magno (PR), apresentou na última sexta-feira, defesa, solicitada pelo Ministério Público ao juízo da 28° zona eleitoral de Juazeiro do Norte, no processo que pede a cassação de mandato por infidelidade partidária. A defesa, apresentada em testemunho, baseou-se em suposta perseguição política. O processo tem como representante Pedro Carlos Morais Borges (Pedro Borges), suplente do PSDB e o juiz Raimundo Nonato Silva Santos é o relator.

DUAS QUESTÕES nos chamam atenção nesse caso. Primeiro é a base da defesa: “perseguição política”. Bem, esse é o principal motivo em que a justiça se baseia para permitir a troca de partido, então seria de admirar se fosse diferente. Deu a lógica. O problema é que a alegativa não foi feita no ato da desfiliação, o que nos leva a crer que, na verdade, não houve tal perseguição.

Comenta-se que, na época, teria havido apenas um acordo entre as partes para que o PSL, ex-partido de Tarso, não entrasse com representação contra o mandato do vereador. E, na verdade, o que sempre existiu foi uma discordância sobre o apoio, ou não, a administração municipal por parte do partido. Outro motivo seria a previsão de um embate muito duro durante a eleição deste ano já que o PSL teria dois puxadores de voto (Tarso e Zé de Amélia) e o confronto poderia deixar um dos dois fora da próxima câmara pelo cociente eleitoral. Ou seja, o PSL teria muito cacique para pouco índio.

Outra coisa que nos chama atenção é a dúvida de como se persegue, internamente, um presidente. Vejamos bem, a presidência é o cargo supremo na escala de poder de um partido. Então como poderia ser perseguido por seus comandados? Das duas uma, ou foi eleito por conveniência política sem qualquer liderança interna, ou não teve habilidade política para manter sua base e conduzir o partido segundo seus ideais.

O detalhe é que esse não é o primeiro caso da mesma natureza envolvendo o vereador Tarso Magno. No PHS, onde foi um dos fundadores em Juazeiro, Tarso também perdeu o controle do partido e teve que apressar sua saída motivada por embates internos. Ou seja, o vereador Tarso Magno é muito bom de provocar uma briga, agora a habilidade para vencê-la não parece o seu forte.

Salviano e Arnon estratégia ou rompimento?


Segundo informações da coluna do jornalista Donizete Arruda, jornal do Cariri, as constantes denuncias enfrentadas pelo deputado federal Raimundo Macedo (PMDB), pré-candidato a prefeito em Juazeiro, têm animado o deputado Manoel Salviano a sonhar com uma nova candidatura à prefeitura de Juazeiro do Norte. Segundo o colunista, o único impedimento a candidatura de Salviano é a permanência de Arnon Bezerra no páreo. Se Arnon sair Salviano é candidato.

O PROBLEMA é que, com ou sem estratégia, Arnon continua pré-candidato e, pelo que tudo indica, se articulando em busca de maior fortalecimento. O projeto salvianista de voltar ao poder em Juazeiro parece estar sofrendo um grande reverso; e, nesse quadro atual, depois da negativa do presidente do PT ao nome de Salviano na aliança, Arnon é quem passa a ser o principal nome da chamada terceira via. Salviano estaria isolado e Arnon parece ter percebido isso.

Arnon assegura que não desistirá; será candidato a prefeito em outubro. Então a questão é: estaria, Salviano disposto a manter a palavra e apoiar Arnon? O que se comenta nos bastidores é que Salviano está mantendo o apoio para não perder Arnon, mas que não conta com a possibilidade de apoiar e sim ser apoiado. E, aí, o problema dessa articulação é se Arnon se sentir usado e acabar fazendo coro com Raimundão em ter Salviano como traidor.

A verdade é que Arnon acaba tirando proveito do quadro atual que se abate sobre Raimundão, enquanto Salviano passa de pretendido a rejeitado. Mas, como na política o que é hoje pode não ser o mesmo amanhã, é esperar para ver o que acontece.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Professor Antônio cai no PCdoB e Roberto Sampaio se complica no PSB


Parece que a reação as declarações de quinta-feira, no retorno dos trabalhos do legislativo juazeirense, já começou a fazer seus estragos. Na sessão um grupo de vereadores, entre eles, professor Antônio (PCdoB) e Roberto Sampaio (PSB), lançaram a pré-candidatura de Tarso Magno (PR) a prefeitura de Juazeiro.

E NÃO PODIA ser diferente. As instancias do partido é o campo para se travar esses debates. E as decisões devem fazer parte de uma ação estratégica conjunta que venha contemplar a maioria. A proposta vencida, deve se unir a vencedora pelo bem comum do partido.

No caso do professor Antônio; ele faz oposição velada ao governo municipal, quando existe uma decisão da maioria de estar na base de deste mesmo governo. O que faltou ao vereador foi saber separar a questão pessoal da política. Agora, seria interessante, até para se preservar, que ele tivesse pedido mudança de partido. Nesses casos, a justiça permite.

Mas, o fato é que ele foi afastado da presidência municipal do partido, já que, insiste em discordar publicamente da decisão da maioria do partido. E isso é muito ruim para um parlamentar que já demonstrou o desejo de seguir uma carreira na política. No seu lugar assumiu o médico Humberto Bezerra, ex-prefeito de Araripe.

Enquanto isso, Roberto Sampaio, vereador pelo PSB, partido do governador Cid Gomes, ignora a indicação do partido e, até, seu companheiro de partido, o vice-prefeito e pré-candidato, Roberto Celestino, partindo para o apoio aberto ao nome de Tarso Magno, vereador do PR. O partido em nível estadual faz forte oposição ao governo Cid.

Ou seja, pelo entendimento dos articuladores do governo fortalecer Tarso Magno é fortalecer o PR de Roberto Pessoa. E, segundo informações de bastidores, a notícia teria chegado ao palácio do governo e não teria sido vista com bons olhos. Não podemos esquecer que o diretório municipal ainda está sob controle do governador na pessoa de Roberto Celestino.

Então o que se tira desses episódios é que enquanto Tarso Magno é fortalecido, seus fortalecedores perdem prestigio e espaço dentro de seus partidos, colocando, inclusive, suas reeleições em cheque. Realmente Tarso é um político de sorte, tem ao seu redor amigos dispostos a arriscar as próprias cabeças para elevar a dele.

Encontro regional do PCdoB avalia, projeta e promove interação dos novos filiados

O Partido Comunista do Brasil (PCdoB) realizou neste sábado, em Juazeiro do Norte, um encontro regional para avaliar sua atuação na política nacional, projetar suas ações eleitorais para este ano de 2012 e discutir sua política de crescimento e fortalecimento no Cariri. Cerca de 60 pessoas, representando sete municípios da região foram ao Cirão ouvir e intervir acerca de seus posicionamentos.

DUAS COISAS chamam atenção nesse novo PCdoB; sim, o partido está a caminho de uma nova base de ação, onde a principal mudança é a estratégia de crescimento.

Primeiro, perece existir um consenso geral de que é preciso crescer com mais velocidade. Bom, os comunistas, como são conhecidos, sempre pautaram seu crescimento a partir da conscientização política, tendo como campo de atuação sindicatos, entidades não governamentais e universidades. Esse era um crescimento lento, pois sua base era o convencimento.

Com a nova estratégia é enfraquecido o processo de politização e entra em cena a filiação por adesismo. A diferença é essencialmente ideológica. Claro que o PCdoB continua um partido de formação, mas agora com menos tempo entre o processo de politização e o campo de atuação militante. Exemplo dessa nova fase foi a filiação do prefeito de Farias Brito, Vandevelder, que trouxe seis vereadores e mais sua mulher, atualmente vice-prefeita. Ele construiu sua história política dentro de uma militância voltada aos movimentos de direita. Mas, para quem pretende dobrar o número de filiados num curto espaço de tempo é compreensível.

Outra discussão que chamou a atenção no encontro foi a critica propositiva com relação a política econômica do governo, principalmente, no que diz respeito a política de juros e a necessidade de fortalecimento do setor produtivo. Bem, que o trabalhador precisa de uma indústria forte para melhorar seus ganhos, tudo bem, mas colocar o fortalecimento dos patrões a acima dos interesses dos trabalhadores é muito estranho para um partido que sempre defendeu uma revolução do proletariado.

Mas, estratégias a parte, o ponto positivo é que o PCdoB está fazendo tudo isso em comum acordo com seus filiados mais antigos. Ou seja, está propondo, mas também, ouvindo suas bases e isso é saudável ao processo democrático.