sexta-feira, 30 de março de 2012

Vereadora do PT diz que prefeito Samuel é um dos principais culpados pela situação do canal


A vereadora Mara Guedes (PT-Crato) disse ontem (29) em entrevista ao jornalista Madson Vagner, Rádio Tempo e site Miséria, que o prefeito Samuel Araripe (PSDB), é um dos principais culpados pela atual situação do Canal do Rio Granjeiro.

Mara observou que Samuel era vice-prefeito na administração Walter Peixoto e já sabia que o projeto inicial da construção do canal tinha falhas e que no futuro não suportaria a grande quantidade de água que recebe. “Na época o canal foi construído sob várias denuncias de irregularidades e ele sabia de tudo isso. Então o canal não foi construído como deveria. O projeto não foi o original”, disse a Mara.

A vereadora avalia que o prefeito tenta transferir a culpa apenas para o governo do estado, por causa dessa última tentativa de concerto, mas não diz que tudo isso foi consequência da péssima construção anterior, na qual ele era co-gestor, como vice-prefeito. “Samuel tinha todo acesso e ajudou a administrar o dinheiro que veio para a prefeitura”, afirmou.

Para Mara, colocar a culpa no governo do estado, nesse momento, é uma forma de tentar apagar a sua responsabilidade frente a população. “Para se ter uma ideia, a prefeitura não cumpriu sequer com sua contra-partida, que são a construção das calçadas e pontes, além de fazer a limpeza do canal”, reclamou a vereadora.

A vereadora Mara finaliza dizendo que é preciso colocar a responsabilidade de cada um se indigna quando, segundo ela, Samuel chega a rir da situação. Vamos ouvir a gravação.

Um debate novo

Acredito que o mais importante na entrevista de Mara é quando ela chama a atenção para o próximo projeto. Ela observa a necessidade de atenção para cometer os mesmos erros do passado para comprometer o futuro.

Quanto a responsabilidade de Samuel, avalio que a vereadora Mara tem toda razão. Samuel era vice-prefeito e ajudou a administrar o dinheiro. E vale salientar, na época o governo era do PSDB. Lúcio Alcântara enviou o dinheiro sem pestanejar e, pior, sem fiscalizar.

Agora a situação mais vexatória, tanto para a população, quanto para o prefeito, é a afirmação que o gestor chega a sorrir da situação. Não dá para fazer política com a desgraça alheia. Esse tipo de atitude já deveria ter ficado a muito tempo para trás. É o mesmo princípio dos políticos que torcem para não chover no sertão para se beneficiar com a chamada indústria da seca.

Mas, depois dessa entrevista bombástica, o que fica é que o prefeito Samuel fica jogando com a desgraça alheia para justificar a sua inoperância administrativa.

Luizianne diz que não responderá as críticas de Ivo Gomes


A prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins, disse, em entrevista ao jornalista Genésio Araújo Junior, site Política Real, em Brasília, que não responderá as criticas do Chefe de Gabinete do governador Cid Gomes, Ivo Gomes. “Não vou piscar primeiro", avisou a prefeita.

A resposta de Luizianne foi orientada pelo presidente nacional do PT, Rui Falcão. Sobre a sucessão, Luizianne disse que os delegados do partido irão escolher o nome para a disputa. A declaração confirma a posição de não realizar prévias para a escolha do candidato petista.

Luizianne Lins disse ainda que o anúncio do candidato do PT acontecerá na primeira quinzena do mês de maio. A prefeita confirmou, também, que deverá se reunir com o ex-presidente Lula. E esclareceu que a opinião de Lula será respeitada, mas caberá ao PT de Fortaleza escolher seu rumo.

Independência ou morte

Mesmo se esquivando do enfrentamento com a ala do PSB que quer a aliança, Luizianne continua afiada e não deixa escapar a oportunidade mostrar que a decisão é sua. A afirmação com relação ao Lula deixa isso bem claro. Ou seja, ela respeita não se baseia por pelo Lula.

Quanto a decisão de não responder as criticas de Ivo Gomes, a prefeita está correta e começa a dar sinais de maturidade. Claro que ela foi segura por Rui Falcão, mas ouvir, neste caso, já é um grande avanço. Luizianne tem a prefeitura de Fortaleza como uma conquista individual sua e está disposta a “morrer” sozinha a entregar aos que se opuseram a ela. Falo da sua primeira eleição.

Agora a maior curiosidade fica por conta do futuro político dela e do Cid. Alguns já dizem que ela deve ficar com a prefeitura de Fortaleza, mas não sairá nem ao governo, nem ao senado. A ideia que ela venha para federal. Quanto ao Cid, parece impossível, mas ele pode nem se candidatar, aceitando uma vaga no Banco Mundial ou no BNDES. Não fiquem surpresos se o deputado Guimarães disputar o senado e o senador Eunício Oliveira o governo do estado.

Mas, como sempre digo, tudo isso é apenas especulação. Vamos esperar para ver o que acontece.

Sarney avalia como graves denuncias contra Demóstenes


O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), classificou como "graves" as denúncias contra o ex-líder do Democratas, senador Demóstenes Torres (GO). Sarney disse que vai dar encaminhamento à representação apresentada pelo PSOL. O partido pede a abertura de processo por quebra de decoro parlamentar contra Demóstenes. O senador é suspeito de ter negócios ilícitos com Carlinhos Cachoeira, preso na Operação Monte Carlo, da Polícia Federal, por exploração de jogos ilegais em Goiás.

"As denúncias são graves e nós temos que colocar em andamento as representações que forem feitas", afirmou Sarney, em entrevista concedida após reunião com o presidente interino do Conselho de Ética do Senado, Jayme Campos (DEM-MT). Sarney não quis fazer qualquer avaliação sobre o futuro político de Demóstenes.

O vice-presidente do Conselho, Jayme Campos, já disse que se sente impedido de conduzir o caso envolvendo Demóstenes, seu colega de partido. O cargo no conselho está vago desde setembro do ano passado, quando o senador João Alberto (PMDB-MA) deixou a Casa para ocupar um cargo no governo de Roseana Sarney. Um novo presidente do Conselho de Ética deverá ser eleito em 11 de abril.

O feitiço contra o feiticeiro

Nos últimos anos o senador Demóstenes Torres assumiu uma postura de político super-ético; um parlamentar acima de qualquer suspeita. E isso, fez com que ele ganhasse alguns desafetos e, até, antipatias por tabela. Agora ele está precisando, e muito, de colegas que antes ele atingiu com sua língua afiada, baseada na sua, então, conduta “ilibada”.

Os senadores José Sarney e Renan Calheiros, foram alguns dos alvos preferenciais de Demóstenes. Agora ele está prestes a ser expulso do DEM e, até, renunciar para ser cassado e não encontra defesa, nem dentro, nem fora do partido onde já foi líder.

Só para refletir: será que o Conselho de Ética não atuaria melhor se fosse independente. Ou seja, sem a barreira política, sem a composição de parlamentes comprometidos com as causas partidária. Esse caso Demóstenes dá a clara dimensão do quanto é isento o conselho. Difícil acreditar que um parlamentar julgará com isenção um colega de sigla.

Agora, certo mesmo, é que Demóstenes está perdido e totalmente abandonado, tanto por colegas, quanto por correligionários. A queda é inevitável.

quinta-feira, 29 de março de 2012

Comissão do Senado aprova fim do 14° e 15° salários aos parlamentares


A Comissão de Assuntos Econômicos do Senado aprovou na última terça-feira (27), o fim do 14º e 15º salários, paga aos senadores e deputados federais. Hoje, os parlamentares recebem essas ajudas de custo duas vezes por ano.

A proposta está contida no projeto de decreto legislativo da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), atual ministra-chefe da Casa Civil da Presidência da República. A proposta limita o pagamento desse auxílio financeiro ao início e ao fim do mandato.

A matéria segue para análise do plenário do Senado, mas o texto precisa tramitar também na Câmara. O relator do projeto, senador Lindbergh Farias (PT-RJ), disse que o pagamento se justificava "na época em que os transportes eram precários e os parlamentares se deslocavam para a capital do país a cada ano e lá permaneciam até o fim do ano legislativo". Hoje, segundo o relator, os parlamentares têm a oportunidade de viajar para os respectivos estados todo fim de semana. Para Lindbergh Farias, isso torna injustificável a manutenção desses benefícios.

Será que passa?

O problema nessas decisões é que as raposas ficam tomando conta do galinheiro. Acredito que a proposta não passe, nem na Câmara, nem no Senado. Primeiro porque a votação será secreta e, segundo, porque nossos parlamentares não costumam se preocupar com a opinião pública, quando a matéria mexe nos seus bolsos; veja-se, os aumentos salariais todos os anos a níveis sempre acima da inflação.

No mais, vimos, aqui recentemente que o senador Ivo Cassol, disse que o político brasileiro ganha muito mal. Então será que eles irão aprovar uma redução dos ganhos? Acho muito difícil.

Agora é bom ressaltar a iniciativa dos senadores Lindbergh Farias e Gleisi Hoffmann, já que, a maioria se nega a encampar uma discussão como essa. Agora eu acredito que toda decisão sobre as questões salariais de parlamentares deveria ser decididas pela população em plebiscitos que, inclusive, poderiam ser feitos de forma virtual para não elevar os custos.

O certo é que do jeito que está, com os parlamentares detendo todo o poder, inclusive sobre os seus salários, legislando em causa própria, o país continuará se revoltando com as decisões das raposas que tomam conta do galinheiro.

quarta-feira, 28 de março de 2012

Santana e Celestino cada vez mais longe de um acordo


O prefeito de Juazeiro do Norte, Manoel Santana (PT) e seu vice-prefeito Roberto Celestino (PSB) parecem estar cada mais longe um do outro, quando o assunto é a política sucessória.

O distanciamento começou, segundo Celestino, desde que anunciou sua pré-candidatura a prefeito da cidade. Mas, para os assessores do prefeito a crise se instalou desde que o vice-prefeito teria se articulado para derrubar o prefeito.

A polêmica aumentou na última semana quando Roberto Celestino foi a mídia para reclamar que teria sido despejado da sala em trabalhava. A assessoria do prefeito nega o fato.

Quando os dois não querem

O FATO é que a crise está instalada e fica cada vez mais distante um acordo entre PT e PSB em Juazeiro. Isso mesmo, a aliança que deu certo na eleição passada, deve se dividir e os ex-aliados devem disputar entre si a sucessão de Juazeiro.

Quanto a quem tem ou não razão, posso dizer que, na verdade, não a vejo em nenhum dos lados. E justifico! Na época da crise que quase derrubou o prefeito Santana, houve comentários de que Celestino estaria por trás da trama, o que, nunca ficou bem esclarecido pelo próprio Celestino. Em seguida, Celestino se lançou pré-candidato por, segundo informações, não conseguir se reaproximar de Santana.

Agora Santana foi a forra é despejou o vice-prefeito da sua sala. Ou seja, realmente, nenhum tomou a iniciativa de sentar e tentar resolver o problema. O que faltou mesmo foi habilidade política de ambos os lados.

Certo mesmo, depois de todo esse imbróglio, é que nenhum dos dois fazem questão da aliança e, com isso, acabam dificultando a vida daqueles que querem a aliança entre os partidos da base do governo.

Ou seja, caminhamos para assistir uma campanha bem dividida e bem rivalizada, com tantas questões pessoais envolvidas. Para salvar a aliança Cid Gomes e José Guimarães, terão uma missão quase impossível.

Deputado Ely Aguiar aprova projeto que prevê segurança nas fronteiras do estado


O deputado estadual Ely Aguiar (PSDC) conseguiu aprovar na última sessão da Assembléia Legislativa projeto que criará um mecanismo de policiamento das fronteiras do Ceará com os Estados do Pernambuco, Piaui, Rio Grande do Norte e Paraíba.

Com o projeto, o Governo do Estado deve criar o Comando Tático Rural (Cotar) que terá a tarefa de diminuir a entrada de drogas, roubos e o trafego de bandidos. O deputado discute o projeto desde que tomou posse.

Mais uma bola dentro

REALMENTE o deputado Ely Aguiar tem exercido uma militância nas questões da segurança do estado. Esse é um projeto que trará bons resultados a segurança interna do estado. Não adianta combatermos a criminalidade aqui dentro, quando as nossas fronteiras são um caminho livre para a entrada e saída de marginais e entorpecentes.

Agora é importante ressaltar que o deputado não é pré-candidato a nenhum cargo nessas eleições. Ou seja, parece que é trabalho mesmo, aquele sem intenção de promoção pessoal.

Nós estamos contentes com a criação do Cotar, mas, ao mesmo tempo, torcendo para que ele não se transforme numa “operação manzua”; projeto parecido da vizinha Paraíba que se tornou um verdadeiro meio de extorsão dos motoristas que, mesmo honestos, precisavam pagar para passar. Ou seja, na Paraíba a intenção foi boa, mas a prática foi um verdadeiro fiasco. Claro que isso não precisa acontecer no Ceará.

terça-feira, 27 de março de 2012

Ex-vereador de Juazeiro acusado de racismo por jornalista da Veja

O ex-vereador de Juazeiro do Norte pelo PSTU e atual membro do Diretório estadual do partido, Fábio José C. de Queiroz, está sendo acusado de racismo e de incitar a violência por meio de artigo publicado na página oficial do partido na internet.

O jornalista Reinaldo Azevedo, colunista da Revista Veja, publicou ontem, 26, texto em que compara a posição do site do PSTU ao caso de dois rapazes presos por manter um site que pregava, abertamente, a violência contra negros, gays, mulheres, meninas, judeus, cristãos, esquerdistas etc. “O debate é longo. Mas, se dois meliantes merecem estar na cadeia, e acho que merecem, por terem escrito o que escreveram, que punição cabe a um PARTIDO POLÍTICO que prega abertamente a extinção de um país?”, argumenta o jornalista.

Para justificar sua acusação o jornalista destaca o seguinte trecho do artigo: “Assim, para a pergunta ‘o que fazer com o Estado colonial sionista’, só há uma resposta: a sua destruição.” No início do artigo o ex-vereador afirma que “Fechou-se um ciclo, mas não o processo de enfrentamento dos palestinos contra o Estado sionista, racista e terrorista de Israel. O PSTU se orgulha de se posicionar frontalmente pela destruição de um Estado gendarme cuja vocação histórica tem sido a de servir aos interesses imperialistas...”

No texto, o jornalista diz ser uma vergonha que o artigo ainda esteja no ar. “Se, a partir de agora, o Ministério Público nada fizer, a Polícia Federal deixar por isso mesmo e os demais partidos não reagirem, estarão sendo cúmplices de uma violação da Constituição, da Lei dos Partidos (9.096/95) e da lei que pune o racismo.” Estabelece o Artigo 4º da Constituição: A República Federativa do Brasil rege-se nas suas relações internacionais pelos seguintes princípios: I - independência nacional; II - prevalência dos direitos humanos; III - autodeterminação dos povos; IV - não-intervenção; V - igualdade entre os Estados; VI - defesa da paz; VII - solução pacífica dos conflitos; VIII - repúdio ao terrorismo e ao racismo.

Reinaldo Azevedo destaca muitos outros artigos da lei que indicam punição para casos como esse e pergunta o porquê do autor do artigo e a direção do partido ainda estarem soltos.

Quem tem a couraça da justiça?

A questão não deve ser política. Ainda ontem (26), o site do PSTU publicou outro artigo desta vez assinado por Diego Cruz, acusando o jornalista Reinaldo Azevedo de militante ultra-direitista e perseguidor do partido. No artigo o militante do PSTU diz que “o articulista dedica grande parte de seu tempo à luta contra o casamento homossexual, o direito ao aborto e, nas últimas semanas, vem fazendo campanha para uma chapa da direita nas eleições do DCE da USP.”

É inacreditável, mas é verdade. O militante do PSTU disse que o provável motivo da perseguição do jornalista é uma eleição para o DCE da USP. Mas, e a posição de pregar a morte do Estado de Israel, o que tem a ver com as eleições do DCE da USP? NADA!

A verdade é que o ex-vereador Fábio José, foi um grande parlamentar em Juazeiro, mas nesse caso exagerou na sua posição. Não se pode sair por aí pregando a morte de pessoas por, simplesmente, defender uma causa ideológica. De que vale a ideologia e o radicalismo político sem as pessoas? Na realidade matar serve para quê? Seria essa a melhor forma de convencer o que se coloca contrário ao meu pensamento? É, talvez, seja melhor matar, já que, estamos perdendo a capacidade da tolerância que alimenta a paz; do adaptar-se ao contraditório em nome do bom conviver.

Apesar da grande capacidade de absorção de informações, o ex-vereador Fábio José, hoje doutor, reconhecido pela academia, parece que ainda não aprendeu a lição que diz que “violência só gera violência; que quando começamos matando, certamente, acabaremos morrendo”.

As possibilidades para a candidatura do deputado Manoel Salviano

Segundo o jornalista Donizete Arruda, Jornal do Cariri, o deputado Manoel Salviano (PSD), ainda, estaria disposto a honrar sua palavra de apoiar a candidatura do deputado federal Arnon Bezerra (PTB). Entre seus principais conselheiros, Salviano teria dito não acreditar na disposição de Arnon em enfrentar as urnas este ano.

Assim, diante da provável desistência, Salviano teria dois caminhos: o primeiro seria o apoio a candidatura do prefeito Manoel Santana. O outro seria se lançar candidato, tese essa que começa a ganhou corpo.

O jornalista avalia ainda que o deputado Salviano joga com a possibilidade de Raimundo Macedo não conseguir registrar candidatura por enfrentar dificuldades com a Lei da Ficha Limpa. Donizete avalia ainda que Raimundão não tem força suficiente para transferir votos para sua mulher Maricele Macedo.

O que dizem as cartas

NA VERDADE, essa afirmação não passa de especulação. Nada está confirmado. Tudo são apenas suposições. Agora é importante ressaltar que esse quadro está se desenhando complicado, estando totalmente dependente da desistência de alguns e impedimento de outros. Assim é muito fácil fazer política. Eu acredito que quem deseja ser candidato não deve ficar refém do desenrolar dos acontecimentos. Ou se é candidato, ou não é candidato. Isso, inclusive, passa mais confiança ao eleitor.

Agora é importante que esse período pré-eleitoral sirva como base para firmar ou não as prováveis candidaturas. Hoje estamos assistindo a muitas pré-candidaturas que não passam firmeza ao eleitor e fica jogando com si. Se fulano não for, eu vou. Se beltrano for barrado, eu vou pensar. O “se” não existe até que aconteça e, vale salientar, na maioria das vezes não acontece.

O eleitor juazeirense não merece pré-candidatos que nem sabem o que vão fazer sobre sua vida política. Eles acabam deixando a população sem verdadeiras opções para governar o município.

segunda-feira, 26 de março de 2012

Jantar com Roberto Freire fortalece pré-candidatura de Raimundo Bezerra no Crato


O jantar de recepção para o presidente nacional do PPS, deputado federal Roberto Freire, reuniu, na noite na última sexta-feira (23), muitas lideranças e acabou fortalecendo a pré-candidatura do vice-prefeito do Crato, Raimundo Bezerra Filho.

Roberto Freire, disse que o PPS tem crescido a passos largos no Cariri e que já é chagada a hora do partido ter uma candidatura a prefeito na região. Ele destacou ainda que o partido teve importantes conquistas na última eleição, como, por exemplo, o próprio Raimundo Filho como vice-prefeito, além da eleição de vereadores na região.

Durante a entrevista ao jornalista Madson Vagner, site Miséria, Roberto Freire, fez questão de afirmar que a candidatura de Raimundo Bezerra deve ser prioridade nacional. “O Cariri é uma região estratégica para o Nordeste e nós queremos marcar nossa presença e ajudar essa região a se desenvolver”, disse.

Raimundo Bezerra disse acreditar que a presença de Roberto Freire, além de renovar os ânimos, fortaleceu a militância do partido.

As armas que se tem

ESSE É, na verdade, o troco de Raimundo Bezerra para a pretensão do prefeito Samuel Araripe (PSDB) de lançar o advogado, secretário de Saúde, Cícero França, candidato a prefeito na sua sucessão. Raimundo Bezerra mostra que tem força e prestigio. Agora resta a Samuel Araripe, avaliar quem terá mais possibilidades.

Roberto Freire é uma grande liderança da historia política brasileira. Remanescente do antigo PCB, Roberto Freire, diz ter faro político e deve usar toda sua influencia para alavancar a candidatura do PPS no Crato. Ele Sabe que o partido está numa crescente é pelo que foi percebido não pretende deixar a oportunidade passar.

Mas, o que fica certo é que Raimundo Filho segue sua estratégia de fortalecimento. Primeiro foi a adesão e o entusiasmo do presidente do Sistema Fecomércio, Luiz Gastão, e agora a promessa de empenho de Roberto Freire. A coisa parece estar andando como o planejado.

Jantar do PSB reúne lideranças do estado


O Partido Socialista Brasileiro (PSB) promoveu na última sexta-feira (23), jantar para reunir filiados e lideranças da base aliada no estado.

O governador Cid Gomes falou sobre realizações, enfatizando que o Ceará está em ordem nos domínios das finanças, da economia e da política, mas quer que o estado desenvolva o melhor sistema de saúde do Nordeste. “Tudo o que quero é ser reconhecido pelo povo”, disse Cid.

Durante o jantar não houve lançamento de candidaturas para as eleições municipais, ou para 2014. Mas, o pronunciamento do presidente da Assembléia Legislativa, Roberto Cláudio, abriu espaços para especulações, quando disse que é importante o continuísmo do governo tendo a frente do projeto o PSB.

O deputado federal Arnon Bezerra (PTB), presente ao evento, admitiu que cultiva o sonho de se candidatar a prefeito de Juazeiro do Norte. O deputado disse que pretende aglutinar forças políticas em torno de seu nome para conquistar seu desejo e alavancar a região do Cariri.

O secretário das Cidades, Camilo Santana (PT), reiterou que o PT não fará prévias em Fortaleza. “Nenhum candidato vai se inscrever no dia 29. Luizianne vai discutir com os outros partidos, até porque é prioridade para o PT manter a aliança com o PMDB e o PSB, para conduzir a escolha do melhor nome para construir essa aliança”, disse.

Já Ciro Gomes (PSB), questionado o desejo solitário que seu irmão nutre de manter a aliança com o PT, mas, diz que a última palavra será mesmo a de Cid.

O que se queria ouvir

NA VERDADE, as realizações de Cid Gomes, todos nós já sabíamos. O que se esperou mesmo foram as revelações políticas e elas vieram. Primeiro na afirmativa das forças do PT e PSB de que não haverá prévias no PT para a escolha do candidato. Segundo que o PSB já inicia com Roberto Cláudio a corrida para 2014.

Para o Cariri, não teve tanta novidade. Apenas Zé Arnon, mais uma vez tentando convencer de que será candidato. Agora, a novidade na afirmação do sonho é que parece que não está apenas no sonho. Ele disse que está articulando com outros partidos para ampliar sua base. É Claro que o deputado, não deixou de elogiar o deputado Raimundo Macedo. Talvez ele já vise uma segunda opção. E esse é, justamente, o motivo pelo qual sua pré-candidatura não decole. Ele está sempre cogitando outra opção. É preciso mais firmeza por parte do deputado.

Quanto ao Ciro Gomes, acabou por reconhecer que, apesar das suas tensões, quem decidirá mesmo é o seu irmão Cid Gomes. Ou seja, recolheu-se a sua obscuridade política de momento.

sexta-feira, 23 de março de 2012

Vereadores de Ipaumirim saem escoltados pela polícia após votação na Câmara


A Câmara de vereadores de Ipaumirim reunida ontem (22), em sessão ordinária, votaram o Projeto de Lei do executivo que trata da renovação dos contratos público. Na sessão passada a maioria dos vereadores disseram não a realização de concurso público para contratação de servidores.

Com desaprovação da matéria o prefeito não poderá renovar os contratos já existentes, nem contratar novos servidores. A decisão causou grande tumultuo, sendo necessária a presença da Polícia Militar para que os vereadores pudessem se retirar da casa.

Durante a votação a câmara ficou lotada de servidos que desejavam saber seu destino como contratados. Os servidores levaram cartazes, faixas e, ainda, gritaram palavras de ordem protestando contra a rejeição da matéria.

O projeto acabou sendo desaprovado, em uma votação acirrada e de debates acalorados, onde a votação foi decidida por cinco votos a quatro. A justificativa dos vereadores que votaram contra a matéria é a de que o município já tem um quadro de funcionários compatível com a demanda e a lei seria apenas uma manobra eleitoreira do prefeito José Geraldo dos Santos (PMDB).

Os vereadores da base do prefeito, favoráveis a aprovação do projeto, disseram que 80% dos médicos e 40% dos professores são contratados. Além desses existem ainda outros cargos importantes como dentistas, nutricionistas e motoristas que também são contratados.

Veja como votou a Câmara:

Pela desaprovação: Wilson Alves de Freitas (PSD), Maria Flaucineide Vieira Chagas (PSD), Joselba Maria Alencar Diniz (PSD), Roberto Paulo Jorge Barbosa (PSD), Francisco Laurentino Ribeiro (PSD), presidente da Câmara.

Pela aprovação: Mércia Maria Gonçalves Felinto Barros (PMDB), Maria Socorro Olimpio Lucena de Moura (PMDB), Rosineide Barbosa de Souza (PMDB), José Gonçalves da Silva (PMDB).

Qual o limite da coerência

Curioso o fato de que na cidade de Ipaumirim a Câmara está nas mãos de apenas dois partidos. Ou seja, a situação torna bem mais difícil a composição de maioria pelo prefeito que é PMDB, partido que tem minoria.

Agora não dá é para confundir as demandas do município com política eleitoral. Não acredito que um município que tem 80% dos médicos e 40% dos professores em regime de contratos, consiga funcionar sem a presença deles. É claro que o prefeito deveria ter solicitado concurso a muito mais tempo, mas isso não justifica a atitude dos vereadores de oposição.

Prefeitos de Juazeiro e Missão Velha intensificam articulação em busca de apoio

Os prefeitos de Juazeiro do Norte, Manoel Santana (PT), e Missão Velha, Washington Fechine (PSB), intensificaram nesta semana as articulações juntos aos partidos com diretórios em seus municípios em busca de ampliar sua base de apoio. Ambos são pré-candidatos e devem concorrer a reeleição.

Em Juazeiro o prefeito Santana reuniu na última quarta-feira (21), no Panorama Hotel, as lideranças e presidentes locais do PCdoB, PV, PSDC, PRP, PRTB, PSC e PMN. No encontro foi debatida a participação das agremiações no novo projeto a ser construído para um próximo mandato. Outro ponto colocado em discussão foi como ficarão as coligações, tanto na proporcional, quanto na majoritária. Uma das ideias foi que ambas obedeçam ao mesmo critério, ou seja, todos juntos num só bloco.

Em Missão Velha o prefeito Washington Fechine, atraiu para sua base o PRB, do médico e presidente local Sebastião Pereira (Batinha); o PTB do presidente Emanuel (Leleu); além do PSDC do médico João Fábio que, inclusive, estava se articulando com os partidos de oposição e era um dos nomes cotados a concorrer a eleição deste ano na cidade.

Ambos os prefeitos acreditam que ainda é muito cedo e que com o decorrer dos meses seguintes o arco de alianças ainda deve crescer até a data limite no mês de junho, para o fechamento das coligações para a eleição deste ano.

O perigo das negociações

Essas negociações parecem simples, mas não são. Para manter ou atrair esses partidos para uma possível coligação, muitas vezes é preciso fazer um esforço descomunal. Exemplo disso é o que está sendo colocado em discussão na base do prefeito Manoel Santana. Os dirigentes querem a formação de um só bloco na eleição proporcional (aquela que decide sobre os vereadores). Esse tipo de acordo só favorece aos candidatos mais fortes que, na maioria das vezes, estão em partidos pequenos que sem uma coligação ampla ficariam sem perspectiva de eleição. Ou seja, o partido com maior número de candidatos, mas sem uma grande liderança, pode alcançar o coeficiente eleitoral, mas ficar sem nenhuma cadeira na câmara.

No caso de Missão Velha, Washington Fechine, parece ter conquistado um grande apoio para sua base. O médico João Fábio é uma liderança em ascensão e estava na base de oposição. Ou seja, é o famoso jogo de seis pontos, além de ganhar diminuiu o tamanho e a influencia da oposição. Resta saber em que base foi feito esse acordo. Mas isso, é claro, não nos cabe.

Agora o que fica com a intensificação das articulações é que o desenho de como e onde estarão as lideranças da região, nessa eleição, parece estar em ritimo de acomodação e a coisa deverá se definir bem cedo.

quinta-feira, 22 de março de 2012

TCM desaprova contas do ex-prefeito Raimundo Macedo


O Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) emitiu, no último dia 29 de fevereiro, parecer orientando a desaprovação das contas de governo do ex-prefeito de Juazeiro do Norte, Raimundo Macedo, na época filiado ao PSDB, exercício 2008.

O parecer assinado pelo procurador de Contas do TCM, Júlio Cesar Rôla Saraiva, aponta incorreções e omissões nas informações veiculadas pelos relatórios da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF, art. 21), em contraste com as demonstrações contábeis.

O relatório esclarece que a desaprovação não se refere ao equilíbrio orçamentário da gestão, mas sim como forma de coibir e alertar sobre a utilização indevida da máquina administrativa no período que precede o fim do mandato e a proximidade das eleições. Os técnicos identificaram um aumento considerável da despesa de pessoal no segundo semestre do último ano de mandato e o relatório qualifica o caso como grave e criminalmente tipificado nos termos do art. 359-G, do Decreto Lei n.° 2.848/40, alterado pela lei n.° 10.028/00.

O corpo técnico identificou ainda a omissão nos repasses das consignações previdenciárias (INSS) no valor de R$ 446.882,18, o que o tribunal aponta como fato de maior gravidade e tipificado como “crime de apropriação indébita”, enquadrado no art. 168-A do Código Penal.

Baseado nesses agravos a equipe do tribunal desaprovou as contas do gestor se baseado no art. 1°, inciso I, e art. 6.°, ambos da lei estadual n.° 12.160/93. Agora as contas devem seguir para a Câmara de Vereadores para análise e votação do parecer da casa.

A repetição de uma prática

INFELIZMENTE essa é uma prática mais comum do que imaginamos. Geralmente ao final de cada gestão a máquina pública se transforma em um verdadeiro balcão de negócios. E não devemos culpar somente o sistema político ou as leis como complacentes. Esse é um caso que vai além disso. É uma questão de ser ou não responsável com o bem público. Enquanto reinar pensamento de que a política serve para o enriquecimento, essa realidade não vai mudar.

A diferença é que agora o TCM tem feito a sua parte. Agora a dúvida é se a câmara, também, fará a sua. E, vale salientar, que o parecer da câmara é que tem o poder de aprovar ou desaprovar as contas dos gestores. O TCM apenas orienta, o que, se configura como um verdadeiro absurdo, pois finda prevalecendo o critério político em detrimento do técnico.

Mas, nesse caso, dois fatores devem, ainda, movimentar a discussão. O primeiro é o fato de, na época, Raimundão já estar na base de apoio do então pré-candidato Manoel Santana; e o outro é como se comportará a câmara que hoje trabalha sob maioria do prefeito Santana, atual adversário de Raimundo Macedo. E se você me perguntar sobre os destinos dessas contas na câmara, eu responderia que é imprevisível e tudo pode acontecer. Tudo vai depender do tamanho dos interesses envolvidos.

Agora, certo mesmo é que os vereadores nunca estiveram tão valorizados no mundo dos negócios políticos.

Inácio incentiva outras pré-candidaturas a prefeito em Fortaleza


O senador Inácio Arruda (PCdoB-CE), pré-candidato a prefeitura de Fortaleza, aproveitando o tencionamento por candidaturas em vários partidos da base aliada, anunciou sua simpatia a pretensão do deputado Danilo Forte (PMDB) em ser pré-candidato a prefeito da capital.

Inácio Arruda vai além e avalia que a base deve ter vários candidatos ao cargo, dizendo que quanto mais candidato, mais forte ficaria a base em um, provável, segundo turno.

Uma jogada antiga, mas eficiente

É claro que o senador Inácio Arruda vai incentivar o maior número possível de candidaturas a prefeito de Fortaleza. Afinal, com a divisão da base, ele fica como favorito a disputar o segundo turno e com o apoio de todos. É uma jogada velha, mas bem eficiente.

Quanto as pretensões do deputado Danilo Forte, acredito que ela deve esbarrar na orientação do senador Eunício Oliveira, presidente regional do PMDB, que, vale salientar, deve acompanha o posicionamento do Governador Cid Gomes para a capital.

Agora é importante destacar ainda que estratégia de Inácio pode colocar a perder as conquistas já alcançadas pela base aliada em Fortaleza. A divisão da base pode ser uma atitude perigosa, pois se houver um rompimento na oposição o risco é a situação não ir ao segundo turno. Não podemos esquecer que do outro lado estão nomes como Marcos Cals e Moroni Torgan.

Ou seja, com todo mundo dividido, a eleição pode cair no colo dos candidatos da oposição. Claro que isso é apenas uma suposição, já que, não acredito que nem a situação, nem a oposição devam sair divididos.

quarta-feira, 21 de março de 2012

Oposição em Milagres define pré-candidato


Depois de muitas articulações e vários nomes cogitados, os partidos de oposição ao prefeito Hellosman Sampaio (PMDB), chegaram a um consenso e devem apontar ainda esta semana o nome do petista Cícero Figueiredo como pré-candidato a prefeito. A chapa deve ser encabeçada por PT e PSB que deve indicar o nome de Lielson Landim como pré-candidato a vice-prefeito.

Cícero Figueiredo é ex-secretário de finanças de Juazeiro do Norte e deve concorrer ao pleito de 2012 com o apoio de lideranças como Esdras Abraão, Dr. Jorge Genuíno (local), deputado estadual Wellington Landim (PSB), deputado federal José Guimarães (PT) e, ainda, o secretário das Cidades Camilo Santana (PT), deputado estadual mais votado em 2010; além de prefeitos da região como Zé Leite (Barbalha), Manoel Santana (Juazeiro) e Isaac Júnior (Mauriti).

A reunião definitiva aconteceu no último domingo (18) quando o então pré-candidato do PT, Jorge Genuindo, retirou seu nome da disputa para apoiar a indicação de Cícero Figueiredo. Jorge deixou clara que sua vontade é marchar num PT unido e forte nas eleições de 2012.

Os nomes Cícero Figueiredo e Lielson Landim representaram o consenso que hoje une, além de PT e PSB, toda a base de oposição representada por PTB, PDT, PP, PR, PCdoB e PHS.

Um posicionamento maduro

O mais importante na decisão do grupo de oposição de Milagres á a demonstração de maturidade. E, aí, méritos ao Esdras Abraão, do PSB, que foi um dos principais articuladores do acordo.

E o melhor é que parece que essa maturidade tomou conta de todos da base. Em conversa com o Figueiredo, percebi uma grande diferença do discurso em relação a oposições passadas. Durante toda a conversa ele jamais se referiu ao atual prefeito com rispidez; pelo contrario, a todo momento procurou falar sobre seu projeto para a cidade.

Quando perguntado sobre a atual administração, resumiu que cada um tem seu projeto de governo e que o julgamento acerca do melhor cabe a população. Figueiredo frisou que tem um novo projeto para milagres e quer apresentá-lo a população.

Esse posicionamento de não atacar o adversário e priorizar a apresentação de propostas novas para a cidade, deve inaugurar uma nova era nas campanhas em Milagres e, com certeza, quem ganha é a população. Agora é esperar para ver o que acontece.

Justiça Eleitoral multa Raimundo Macedo e Rádio Vale por propaganda eleitoral antecipada


O Tribunal Regional Eleitoral (TRE), 28ª Zona Eleitoral, emitiu, no último dia 16, parecer favorável a representação feita pelo Partido dos Trabalhadores (PT) de Juazeiro do Norte, contra o deputado federal Raimundo Macedo e a Rádio Vale FM por propaganda eleitoral antecipada.

A Juíza Maria Nadir Araujo Papaléo entendeu que no dia 11 de fevereiro de 2012, durante o programa Balanço Geral, a emissora e o pré-candidato a prefeito de Juazeiro, Raimundo Macedo, infringiram o art.36, inciso 3°, da lei n. 9.504/97. Durante o programa os apresentadores, o deputado e o ex-secretário Silva Lima, usaram o espaço da rádio para veicular mensagem de interesse do pré-candidato dando conotação eleitoral mesmo sem estarmos em período para tal. A sentença observa ainda que o espaço do programa tem sido usado sem isonomia já que é constante a presença do deputado Raimundo Macedo e aliados.

Pelo que foi denunciado, a justiça decidiu que a Rádio Vale FM deve pagar multa de R$ 7 mil pela transmissão de duas propagandas eleitorais. Ao deputado Raimundo Macedo foi aplicado multa de R$ 5 mil, por ter participado em apenas um dos programas denunciados.

A direção da Rádio Vale disse que encaminhou a decisão judicial aos seus advogados que devem se pronunciar em breve. Quanto ao deputado Raimundo Macedo, não foi encontrado por se encontrar fora do município e sua assessoria não se pronunciou sobre o caso.

Era previsível

NÃO PRECISA ser um grande analista político para saber que isso poderia acontecer. Há muito tempo estamos dizendo que a campanha já começou. O percebemos é que as força estão além do processo de articulações e conversas para montagem de chapas, o que denota, inclusive o período de pré-campanha. A polarização já existe e os correligionários, de ambos os lados, já rivalizam sobre suas intenções e apoios.

Agora o que não podemos e confundir as coisas. Os profissionais e veículos não podem embarcar nesse processo. Nossas paixões devem ficar fora do estúdio e o que o público deve perceber em nós, profissionais de comunicação, é a isenção que a profissão exige e o público merece.

Que fique a lição. Veículos de comunicação e imprensa deve servir ao principio de informar com isenção para que possamos contribuir na formação de uma massa critica, sabedora dos seus direitos e confiante numa imprensa desprovida das paixões que acabam por comprometer a seriedade de veículos e profissionais.

terça-feira, 20 de março de 2012

Arnon convoca reunião da bancada e pode entregar o cargo ainda hoje


Acontece na noite de hoje, terça-feira, em Brasília uma reunião da bancada cearense no Congresso, convocada pelo coordenador Arnon Bezerra. O encontro discutirá as tensões que tem provocado a divisão entre os parlamentares do Ceará. Arnon Bezerra teria ficado irritado, com a notícia de que teria liberado recursos para seus municípios esquecendo os outros parlamentares, o que já foi rebatido pelo deputado.

O episódio teria desagradado Arnon a ponto de alguns articulistas acreditarem que ele não quer mais coordenar a bancada.

Falta maturidade

ISSO ESTÁ parecendo brincadeira de criança. É a segunda vez que Arnon diz que vai entregar o cargo de coordenador da bancada. Há alguns meses, aconteceu a mesma coisa e ele voltou atrás. O que deixa a entender que o deputado não aguenta pressão. Ele tem que entender que a configuração do poder mudou e com ela as práticas, também, mudou. Os cargos são bem mais disputados e a tentativa de desestabilização passou a ser natural.

Agora não dá é para qualquer em boato ou antecipação de algum deputado, o líder ameace deixar o cargo. Isso não é ser líder. É preciso ter paciência e maturidade para resolver os problemas, sem que isso interfira na estabilidade da sua liderança. Essas constantes ameaças de deixar a liderança da bancada findam deixando Arnon cada vez mais vulnerável frente aos seus liderados.

Ou seja, se quer deixar o cargo, saia de uma vez. Caso contrário pode esquecer a pretensão de retornar ao cargo em outra ocasião, como, inclusive, já foi anunciado pelo deputado na semana passada.

Conflito na oposição do Crato aumenta

Os partidos de oposição ao prefeito do Crato, Samuel Araripe (PSDB), parecem não estar alinhados na definição de quem será o candidato a enfrentar o nome da situação e a crise aumenta a cada dia. Depois de boatos de que o deputado estadual Sineval Roque não seria mais candidato e apoiaria o pré-candidato do PMDB, o empresário Ronaldo Matos, o deputado Sineval Roque saiu em resposta e negou a informação.

Agora o ex-candidato a prefeito pelo PV, hoje no PSB, André Barreto, também saiu em defesa de Roque e, segundo o jornalista Donizete Arruda, Jornal do Cariri, André diz que Roque deve ser o candidato porque é o mais forte opositor de Samuel e conta com o apoio do governador Cid Gomes. Segundo André, a divisão das oposições no Crato favorece a candidatura apoiada por Samuel Araripe.

Muita conversa

PARECE, NA verdade, é que a oposição conversa muito e não define nada. E, pior, começaram as tensões para que alguns desistam pela força, pela preção. Primeiro que não existe nada de ético em espalhar boatos negativos sobre qualquer candidato. Mas, sobre quem seria o culpado é importante dizer que muita gente teria interesse não só na desistência de Roque, como também em ver a oposição fora de sintonia. Então é bom ter cuidado com certas afirmações que imputam culpa a “A” ou “B”.

Agora, a verdade é que quanto mais mexe, mais complicado fica. O melhor para o momento é que as força sentem e conversem. Não é interessante que as lideranças saiam de forma individual procurando rebater para fortalecer suas pretensões. A conversa ainda é o melhor caminho.

Quanto a afirmação de que Roque é o maior opositor de Samuel no Crato, não é verdade. Aliás, Samuel nem parece ter oposição. Não se ver nenhuma declaração forte e coesa que nos leve a identificar um líder de oposição. Portanto é preciso ter muito cuidado porque esse filho (oposição) ainda não tem pai.

PDT realiza encontro em Juazeiro


O Partido Democrático Trabalhista (PDT) realizou sábado (17), em Juazeiro do Norte, seu encontro municipal. Durante o evento houve discussão da juventude do partido sobre as políticas voltadas para a juventude e as propostas do PDT.

O encontro que contou com as participações de lideranças como o ex-prefeito Carlos Cruz e o presidente estadual do PDT deputado André Figueiredo, reafirmou ainda a pré-candidatura do cantor e compositor Alcymar Monteiro à prefeitura de Juazeiro. Para Alcymar tratou-se de um momento importante. “Queremos deixar claro que nossa pré-candidatura é uma alternativa em Juazeiro”, afirmou.

Alcymar que assumiu o comando do PDT recentemente disse que o partido em Juazeiro vem passando por um processo de mudanças e que o partido, hoje, é respeitado e não funciona mais como um balcão de negócios.

Entre pontos positivos e negativos:

É sempre bom ver o debate político em evidencia. Ainda mais quando se vê a juventude preocupada com as políticas públicas voltadas a ela. Isso mostra que estamos sobre alienação total.

Quanto a pré-candidatura de Alcymar Monteiro, ele mesmo deixou claro que sua pretensão é apenas uma alternativa. As alternativas não estão entre as possibilidades reais de vitória. Ou seja, ele assume que sua pré-candidatura enfrenta limitações ao se colocar no debate. Pelo menos por enquanto essa pré-candidatura se configura como vôo solo, sem apoio.

Mas, o que chama a atenção é a declaração de que o partido era um balcão de negócios. Que somente com sua entrada o partido passou a ser respeitado. Primeiro que isso atinge diretamente a gestão anterior que era do Dr. Lucildo Leite; colocando em dúvida a seriedade do Lucildo e de todos que já passaram pelo comando do partido. E segundo, não foi nada ético a afirmação.

Seria interessante que Alcymar se preocupasse mais em apresentar as propostas “alternativas” para Juazeiro e deixasse as gestões passadas do partido. Com esse posicionamento de atacar as gestões passadas ele perde tempo e espaço para mostrar suas ideias.

domingo, 18 de março de 2012

Câmara de Aurora aprova contas do ex-prefeito Carlos Macedo rejeitadas pelo TCM


A Câmara Municipal de Aurora aprovou ontem, sábado (17), as contas do ex-prefeito do município Carlos Macedo (PSB), referente ao exercício de 2004. A sessão que contou com a presença dos nove vereadores e do ex-prefeito, foi acompanhada por um grande número de populares. A sessão teve início às 10h00 e terminou às 15h30.

A apresentação das contas aos vereadores atendeu a requerimento do ex-prefeito Carlos Macedo que teve as mesmas contas rejeitadas em 2008, mas que garantiu na justiça, por meio de medida cautelar, a anulação da, então, sessão alegando não ter tido o direito a defesa. As mesmas contas foram reprovadas pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) e hoje ainda se encontram sob judice do mesmo.

Durante sua defesa, Carlos Macedo, alegou que no ano a que se refere a rejeição pelo TCM, enfrentou, como prefeito, uma das maiores tragédias já vistas no município. Macedo destacou a destruição de casas, repartições públicas, estradas, pontes, entre outros; quando decretou, inclusive, estado de calamidade pública. O fato teria dificultado uma prestação de contas mais detalhada dos gastos com o evento e para recuperação imediata do município. Carlos Macedo criticou ainda os critérios, segundo ele, muito rígidos do TCM, exemplificando que cerca de 68% dos municípios cearenses têm suas contas rejeitadas pelo órgão. Para outras nove contas de gestão, também, debatidas e aprovadas, o ex-prefeito culpou a falta de capacidade técnica de assessores e secretários, a quem qualificou de “débeis”.

Durante a sessão foi nomeada uma comissão especial formada por seis vereadores, mais o presidente da casa, para analisar os documentos e emitir parecer. A sessão foi suspensa e após duas horas de recesso os parlamentares aprovaram o parecer favorável da comissão por sete votos a dois.

Os vereadores Chico Henrique e José Aderlânio (PMDB), questionaram a legalidade da matéria alegando que a mesma não tramitou segundo o que orienta o regimento interno da casa. Chico Henrique disse não ter tomado conhecimento da matéria, mesmo sendo obrigatório a analise da Comissão de Orçamento e Finanças, a qual é presidente. “Fomos pegos de surpresa e essa casa findou aprovando uma matéria tão séria, irresponsavelmente, a toque de caixa”, disse.

Para o vereador José Aderlânio a Câmara se tornou uma ditadura onde o pensamento contraditório aos interesses do presidente não têm vez nem voz. “Acabamos de tornar limpa uma ficha suja”, concluiu.

Os dois vereadores do PMDB garantiram que irão recorrer a justiça para anulação da sessão, já que, segundo eles, foram desconsiderados vários artigos do regimento interno que garantem a tramitação de matérias na casa.

No final da sessão, já com as contas aprovadas, Carlos Macedo, disse estar emocionado com a decisão da Câmara que deu um “salvo conduto” para uma questão que o colocava numa situação vexatória de estar incluído na ficha suja. “Tenho certeza que fui um prefeito que durante oito anos trabalhei pelo povo e pela cidade sem obter vantagem pessoal alguma e não merecia isso”, disse.

Com a aprovação das contas pela Câmara, o ex-prefeito Carlos Macedo tem caminho livre para efetivar sua candidatura a prefeito do município em junho deste ano.

Veja como votou a Câmara:

A favor: Francisco Batista Sobrinho – Oliveira (PSDB), Joana Darc Landim (PSC), Valdeci Batista (PV), Francisco Ferreira – Erieldes (PSC), Francisco Pereira Sales (PSB), Maria Iracilda (PSL) e Paulo José Gonçalves (PRP).

Contra: Chico Henrique (PMDB) e José Aderlânio (PMDB).

Algumas considerações:

É inegável que a proximidade da eleição municipal teve influencia no resultado da votação. Mesmo com uma boa aprovação popular o prefeito Adailton Macedo, tem enfrentado forte oposição na Câmara. Eleito pelo PSDB, Adilton concorrerá a reeleição pelo PMDB e deve contar com apoios como do deputado federal Raimundo Macedo, do ex-prefeito João de Zeca e do senador Eunício Oliveira.

O maior concorrente de Adailton Macedo é o ex-prefeito Carlos Macedo, cujas contas acabaram de ser aprovadas, é que teve recentemente três derrotas importantes. Além de não ter elegido seu sucessor em Aurora, Carlos Macedo não conseguiu se eleger deputado estadual e teve frustrado seu sonho de ser prefeito de Juazeiro do Norte.

Quanto a sessão deste sábado, é interessante destacar que o presidente da Câmara vereador Francisco Batista Sobrinho (Oliveira), votou contra a aprovação das contas em 2008 e agora fez, inclusive, discurso de encerramento da sessão dizendo que Carlos Macedo foi um dos melhores prefeitos da história do Município. O outro caso estranho ficou por conta da vereadora Darc Landim que votou a favor contrariando o voto do marido, Antonio Landim, então vereador, em 2008.

Nesse embate de articulações ainda estão para negociação o PSL da vereadora Maria Iracilda e o PV do vereador Valdeci Batista, que votaram a favor das contas justificando terem participado da gestão de Carlos Macedo. A dúvida fica por conta do PT que já lançou alguns nomes, mas deve mesmo ir ao apoio de uma das forças. É claro que na conversa com o PT devem ser negociadas posições em Juazeiro, como, por exemplo, a oposição feita por Carlos Macedo ao prefeito Manoel Santana.

sexta-feira, 16 de março de 2012

Vasques Landim reafirma pré-candidatura a prefeito de Juazeiro


O ex-deputado estadual Vasques Landim (PR) reafirmou, em conversa com o jornalista Madson Vagner, site Miséria, que a sua pré-candidatura a prefeito de Juazeiro do Norte continua colocada para apreciação popular. A reafirmação é uma resposta a posição de assessores da deputada federal Gorete Pereira (PR) que garantem que Vasques não terá legenda. Segundo os assessores a deputada tem a maioria no diretório e não abre mão de decidir sobre os rumos do partido em Juazeiro.

Vasques viaja ainda hoje (16) para Fortaleza, onde deve se reunir com o presidente estadual do partido, o ex-governador Lúcio Alcântara que, segundo o pré-candidato, continua simpático a sua pretensão. Na reunião, além da estratégia para o partido em Juazeiro, deve ser discutido o fortalecimento do nome de Vasques.

O ex-deputado afirma ainda que a efetivação da candidatura depende apenas do apoio popular e das instâncias do partido, já que, segundo ele, não será candidato de si mesmo e que jamais colocará questões pessoais a frente de um processo como esse. Vasques finalizou dizendo que sua candidatura será efetivada pelo reconhecimento da sua liderança em Juazeiro. O PR estadual deverá definir as posições no próximo mês de maio.

Quem conhece o caminho das pedras:

A questão é que, enquanto a assessoria da deputada Gorete Pereira diz que Vasques não terá a legendo do PR para disputar a prefeitura, o ex-deputado usa do seu prestigio a nível estadual e avança na articulação. Segundo informações de bastidores, ele, sequer, conversa com o pessoal da deputada Gorete. O que, se entende pela posição de Vasques, é que ele sabe onde as coisas são decididas.

A conversa foi rápida e não pude perguntar a ele sobre as articulações locais, mas o que percebi é que suas decisões devem vir de cima para baixo. Ou seja, Fortaleza deve orientar. E, vale salientar, que mesmo com a aproximação de Vasques com Arnon Bezerra e Manoel Salviano, também pré-candidatos, os dois são da base aliada do governo Cid Gomes, enquanto Vasques está no PR que tem feito oposição ferrenha ao mesmo governo. Tanto que sua pré-candidatura já tem a simpatia, também, do presidente estadual do PSDB, Marcos Cals.

Quanto a posição da deputada Gorete Pereira, acredito que é apenas uma forma de negociar a viabilidade da sua pré-candidatura em Maracanaú – do prefeito Roberto Pessoa –, onde ela não tem sido a favorita. Para ela Juazeiro é uma boa moeda de troca.

No mais, Vasques começa a apontar na direção de se firmar como uma opção real na eleição deste ano em Juazeiro.

Escolha do novo líder da bancada cearense deve acontecer sob sigilo

Segundo informações do Jornalista Macário Batista, jornal O Estado, os deputados federais e senadores do Ceará decidiram fechar as portas para as informações sobre a discussão da escolha do novo líder da bancada. O motivo teria sido o desgaste junto a população, que acompanhou a disputa detalhadamente pela mídia.

O último processo elegeu o deputado Arnon Bezerra (PTB) que, segundo o jornalista, hoje não tem mais maioria no grupo. Na noite de quarta-feira (14) a reunião decisiva não aconteceu por falta de quorum; dos 23, apenas nove compareceram. Uma nova reunião foi marcada para terça-feira da próxima semana.

Porque a falta de interesse:

É importante dizer que a escolha do novo líder da bancada está totalmente ligada ao processo pré-eleitoral municipal. Não foi por nada que não deu quorum na primeira reunião. Com certeza, as articulações ligando as duas coisas ainda não terminaram.

Quanto os interesses do cargo, é verdade que ele é muito trabalhoso. O trabalho de articulação e intermediação junto a presidência e aos ministérios, além de acomodar as emendas de bancada, é muito desgastante; mas, também é verdade que o deputado muito conhecido e, é isso, que abre as portas na capital federal.

Quanto a pretensão do deputado Arnon Bezerra de voltar a liderança, acredito ser muito difícil. Sua gestão foi muito desgastante e isso será levado em conta. Acho inclusive que o deputado deve iniciar a articulação sim, mas com o olhar voltado ao próximo pleito.

Agora é importante que a bancada resolva urgentemente suas pendências e escolham o novo líder, a final ele e quem deve voltar a organizar a articulação para os investimentos para o ceará.

quinta-feira, 15 de março de 2012

PT e DEM unidos em Missão Velha

O Partido dos Trabalhadores de Missão Velha, através do seu pré-candidato a prefeito, Tardiny Pinheiro, anunciou a aliança firmada entre seu partido é o Democratas (DEM). A aliança contou com a interferência do vereador e ex-presidente da Câmara Joanilton Macedo (DEM), conhecido como Niltim. O vereador, interlocutor do DEM no município, garantiu que o grupo que ele lidera dará total apoio a pré-candidatura petista.

Segundo Tardiny Pinheiro, o PT tem conversado com vários partidos da base de oposição para construir uma aliança o mais ampla possível. A ideia é unificar um só nome do bloco de oposição que ainda conta com partidos como o PSDB, do ex-prefeito Gidalberto Pinheiro.

Outras questões envolvidas:

É natural que todos os pré-candidatos procurem o fortalecimento para ganharem espaço. Mas, a questão, no caso de aliança entre PT e DEM, é que existe uma resolução do PT nacional que proíbe a aliança como DEM, PSDB e PPS em qualquer nível de poder.

É claro que isso é apenas para assinatura no papel. Não impede das forças se unirem de direito e não de fato. Eles devem apenas tomar cuidado com efetivação da coligação para garantir a eleição dos seus candidatos a vereador. E por falar em vereador: será que Tardiny priorizará a reeleição do vereador do PT na cidade. Ele tem votado com o prefeito.

A outra questão é que acredito ser natural que essa aliança se expanda para o PSDB, afinal Tardiny tem uma afinidade histórica com o grupo do ex-prefeito Gidalberto. Ou seja, as articulações em Missão Velha parecem estar tomando seu rumo natural.

PR declara oposição ao governo Dilma


O Partido da República (PR) anunciou ontem (14) que a partir de agora fará oposição ao governo Dilma no Senado. A decisão acontece oito meses após a queda do ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento. Segundo os dirigentes do partido isso foi apenas o cumprimento de uma promessa feita há meses.

O líder do partido no Senado, Blairo Maggi (MT), disse que o partido não fará uma “oposição raivosa”, mas que o governo não poderá mais contar com o PR. O partido conta com sete dos 81 senadores.

Mesmo com a posição do partido no senado, o líder do partido na Câmara Federal, Lincoln Portela (MG), afirmou que os 43 deputados federais do PR serão independentes. Segundo o deputado mineiro, o partido ainda não devolveu os cargos. Para ele, caberá à presidenta cobrá-los.

Que aliança é essa?

Primeiro é notório que o partido não tem unidade na decisão. Os senadores serão oposição, mas os deputados estarão livres para escolher a posição. A decisão mais parece uma represália do senador Blairo Maggi que queria mesmo era ser ministro.

Agora, outra situação, estampada nesse caso, é passível de análise. Nossas lideranças política parecem não medir a gravidade de uma situação dessas. O próprio senador disse que o rompimento aconteceu, pelo PR não ter sido chamado de volta para o ministério. Então a conclusão é que o partido só estava na base do governo por causa do cargo. Essa aliança nada tem a ver com o projeto ou a prioridade dos interesses populares. É a política do toma lá, dá cá.

Uma aliança deve ser baseada no compromisso de várias forças que comungam de um mesmo projeto político-administrativo; de um ideal para construir um futuro melhor. A ocupação dos cargos é uma questão natural que deve ter como critério a capacidade técnica, a confiança e, só depois, a política. Se a aliança não for construída na base da cumplicidade, se transforma em extorsão e irresponsabilidade com o que é público.

A posição do PR no senado deve ser encarada como uma atitude de mercenários que visam somente o cargo, a acomodação dos seus, ou seja, o lucro. Isso é uma vergonha. Atitudes como essa devem ser reprovadas.

Partidos pedem adiamento da medida que barra candidatos com contas rejeitadas em 2010

O Partido dos Trabalhadores deve encabeçar pedido, assinado por mais 17 partidos, para reconsiderar a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de proibir, nas eleições municipais deste ano, candidaturas de políticos que tiveram as contas da campanha eleitoral de 2010 rejeitadas. A petição será encaminhada à Justiça Eleitoral.

Os partidos defendem que a decisão do TSE entre em vigor somente em 2013, um ano depois de ter sido tomada, seguindo a regra da anualidade, sem valer para essa disputa municipal.

“Trata-se de uma iniciativa que o TSE tomou que não respeita a anterioridade de um ano. Ele decidiu sem dar prazo para os presidentes dos partidos trabalharem”, disse o presidente do DEM, José Agripino Maia (RN), a agência Folhapress.

É bom não confundir:

Essa decisão do TSE não tem nada a ver com a Lei da Ficha Limpa. Pode até ser encarada com um avanço inspirado na lei, mas seu adiamento em nada vai intervir na aplicação da Ficha Limpa, que impede a candidaturas de políticos com processos administrativos tramitados e julgados por colegiado. E não podemos esquecer que a Ficha Limpa foi uma iniciativa popular, diferente da resolução do TSE que barra aqueles que tiveram a prestação de contas de campanha rejeitada.

Mas, confusão a parte, é importante destacar a “cara de pau” dos partidos que querem o adiamento da resolução. Não tem nada que dar tempo. Na verdade, eles querem é encontrar um meio de mascarar o que está errado. O problema é que nunca se puniu políticos que fizeram má gestão financeira nas suas campanhas. A conclusão é: se o político não teve responsabilidade, sequer, com as contas de campanhas, imagine o que ele fará com o dinheiro do povo.

Os partidos reclamam que a decisão não obedece a anterioridade de um ano. Vejam bem, as contas reprovadas são as de 2010, ou seja, cerca de dois anos atrás. Então, se eles não corrigiram é porque não tinham interesse de resolver. É importante que o TSE mantenha a decisão e barre aqueles que, por principio, não acreditam na lisura dos processos financeiros como prioridade.

quarta-feira, 14 de março de 2012

Provável inauguração de orelhão em Caririaçu ganha repercussão na imprensa


Uma foto veiculada na internet (redes sociais) e noticiada pela imprensa estadual causou grande constrangimento ao prefeito de Caririaçu, Edmilson Leite (PSB). A imagem mostra o prefeito, o vice, três vereadores e o procurador do município posando para o que seria a inauguração de um telefone público. O assunto tem gerado atrito entre situação e oposição.

O prefeito, nega a “inauguração” e diz que tudo não passou de artimanha da “oposição baixa que não tem o que fazer”. Segundo ele, a foto foi feita no dia da inauguração do sangradouro de um açude que abastece as comunidades de Sítio Cruz e Serra Branca, na zona rural do município.

Segundo Edmilson, as autoridades do município pararam no local próximo ao telefone porque a população amarrou no orelhão cordão de bolas de encher para comemorar a inauguração das obras.

O vereador de oposição Bosco Machado (PSD) diz que houve a inauguração do orelhão, instalado há pouco tempo no local. “O prefeito quer promover seu candidato e tirar atenção do povo com a má gestão com essas ações pontuais de inauguração”, rebate Bosco.

SERIA cômico, se não fosse trágico. O prefeito Edmilson Leite desmentiu o acontecido, mas o problema é que a foto, veiculada pelo Jornal O Povo, é bem clara ao mostrar todas as autoridades perfeitamente alinhadas de frente ao orelhão com o prefeito e os vereadores descerrando uma fita.

O mais interessante é que o orelhão foi colocado a pouco tempo no local, o que reforça a tese da inauguração. E o que mais chama a atenção é a prefeitura de Caririaçu ser a única interessada em multiplicar o sistema de telefonia fixa pública (orelhões), já que, nem as empresas de telefonia demonstram mais interesse neles. Aí, portanto, a explicação para a inauguração, não deve ter sido fácil convencer a concessionária a instalar mais um aparelho na cidade.

Luizianne ameaça Cid em conversa com Eunício


“Se o PSB tiver candidato em Fortaleza, o PT romperá com Cid Gomes e passará a fazer oposição no Estado”, essa teria sido, segundo informações da jornalista Roberta Farias, site Ceará Agora, a resposta da prefeita Luizianne Lins (PT) a afirmação do senador Eunício Oliveira (PMDB) de que, até agora, ele só tem a certeza de que PMDB e PSB estarão juntos no mesmo palanque. O debate foi travado na noite desta terça-feira (13), em Brasília, e o encontro teria acontecido para discutir as possibilidades de uma aliança eleitoral entre os partidos para este ano.

Durante o jantar, Luizianne teria reafirmado a intenção de apresentar o nome do seu secretário de Educação, Elmano Freitas. A prefeita ratificou ainda que não abrirá mão de fazer a indicação do nome do PT que estará na disputa. Para isso Luizianne estaria disposta, inclusive, a enfrentar as prévias do seu partido.

A prefeita disse ainda estar esperando a oportunidade para sentar com o governador Cid Gomes e discutir a continuidade ou não do acordo eleitoral PT-PSB em Fortaleza.

PARECE estar claro que o PMDB irá para onde o governo pender. O senador Eunício ouviu, mas preferiu não se meter no embate entre a prefeita e o governador. Só para lembrar a prefeita quer indicar um nome de sua confiança, mas o governador prefere o nome do caririense Camilo Santana, secretario das Cidades.

A posição do senador Eunício findou causando uma espécie de revolta na prefeita ao saber que as coisas estão andando e, pior, independentes da sua decisão. Ou seja, PMDB e PSB não negociam separados e a decisão está nas mãos do governador Cid. No final das contas, o jantar parece ter sido um tanto indigesto para Luizianne.

PSDB e DEM disputam a indicação do nome em Fortaleza


Com dois pré-candidatos, a base de oposição de Fortaleza (PSDB e DEM) parecem estar longe de um consenso. Depois de notícia veiculada pelo jornal Folha de São Paulo de que o DEM (SP) estaria exigindo a indicação do nome Moroni Torgan na capital cearense para apoiar José Serra em São Paulo, o presidente da Executiva Regional do PSDB e pré-candidato, Marcos Cals, negou a informação e disse que o PSDB já bateu o martelo sobre essa questão. Segundo Cals seu partido terá candidatura própria na capital cearense. Entretanto, uma possível candidatura de Moroni Torgan (DEM) não deixa de ser bem vinda para compor o arco da oposição à gestão petista.

Segundo algumas informações de bastidores, a estratégia de Cals é estimular os partidos de oposição a lançarem o maior número de candidaturas próprias no primeiro turno. Mas o apoio ao candidato democrata só viria em um segundo momento, isso se Moroni estiver concorrendo no segundo turno.

A ESTRATÉGIA de Marcos Cals pode até ser muito boa para o período pré-eleitoral, mas se configura como um grande risco se essas pré-candidaturas se efetivarem na disputa. Quanto mais dividida a base, maior a possibilidade de vitória na situação no primeiro turno. Além do mais, não é difícil imaginar quem levaria vantagem em um provável segundo turno tendo de um lado Luizianne, Dilma, Lula, Cid, Eunício e Inácio Arruda, contra Marcos Cal, Moroni Torgan e Tasso Jereissati.

Agora o que fica nítido é que a oposição, neste momento, parece estar em um mato sem cachorro. Resta a ela se fortalecer e partir unida, inclusive com outros partidos da oposição como o PDT de Heitor Ferrer para garantir a ida para o segundo turno e jogar com o imprevisível.

terça-feira, 13 de março de 2012

Giovanni Sampaio troca PR por PTC e já tem chapa com 24 candidatos a vereador


O ex-deputado estadual Giovanni Sampaio concedeu entrevista ao jornalista Madson Vagner, para o site Miséria, e falou sobre seu novo partido, suas perspectivas e o que acha do processo pré-eleitoral de Juazeiro do Norte.

Giovanni evitou falar dos motivos da sua saída do PR, mas deixou claro que ela foi motivada pela entrada de novos quadros que não o agradaram. Sobre os prováveis a apoios do seu partido aos pré-candidatos já colocados em Juazeiro, Giovanni disse que no final deste mês deve definir, junto com o partido, quem deverá apoiar. Giovanni disse ainda que a decisão de quem apoiar, também, passa por uma conversa com o governador.

Giovanni que assumiu a presidência do partido em Juazeiro disse que está organizando uma chapa com 24 pré-candidatos a vereador e já trabalha nos bastidores para o fortalecimento da sigla.

É PRECISO ir por partes. Foi uma entrevista longa e, principalmente, nos bastidores, muito reveladora. Quanto a saída do PR, ele não quis comentar, mas o motivo foi a entrada do vereador Tarso Magno. O que realmente existe entre eles é que não ficou claro.

Sobre estar conversando com os atuais pré-candidatos, ele disse que muita coisa ainda vai acontecer e é preciso fazer uma avaliação. Acredito que essa avaliação passe também por uma negociação. É importante dizer que Giovanni descartou a possibilidade de ser candidato.

Sobre estar fora da mídia o ex-deputado disse que já se utilizou muita da imprensa para fazer denuncias, mas que não viu muita resolução em sua denuncias. Por isso, estaria mudando a estratégia e procurando alternativas de soluções para apresentar sobre suas denuncias e que a partir de agora iria pensar duas vezes antes de criticar alguém. Para mim isso parece um sinal de amadurecimento.

Sobre as pré-candidaturas já colocadas, Giovanni acredita que muitas estão colocadas para sentir se tem ou não potencial, já que esse potencial pode servir de moeda de troca para uma negociação. Ou seja, é um momento delicado, onde se deve manter o cuidado máximo.

Foram ainda muitas declarações com ainda estar aberto a todos os pré-candidato, apesar de ter conversado apenas com Santana, Arnon e Raimundão.

Bastidores:

APÓS A ENTREVISTA, num clima mais informal, ficou clara uma leve tendência de Giovanni Sampaio em apoiar a pré-candidatura do deputado Raimundo Macedo. É claro que a posição deve ser avaliada pelo partido, mas não acredito que o partido deva fazer qualquer objeção.

Outro destaque feito por Giovanni, nos bastidores da entrevista, foi a lembrança dos últimos pleitos em que atuou politicamente. Falou do apoio a Carlos Cruz na eleição contra Mauro Sampaio, onde foi derrotada, também, Iris Tavares; do apoio a Raimundo Macedo contra Carlos Cruz; e do apoio a Manoel Santana contra Salviano. Fez questão de frisar que em, quase, todos esses casos enfrentou a prefeitura, mas que acertou na decisão.

Entre erros e acertos, o que ficou foi a nítida vontade de querer recomeçar e voltar a intervir no debate da política juazeirense.

Prefeito Santana declara apoio a Eunício Oliveira para sucessão do Senado


O prefeito Manoel Santana (PT) usou seu twitter pessoal para defender a candidatura do senador Eunício Oliveira (PMDB) para a sucessão de José Sarney (PMDB) na presidência do Senado. Na mensagem o prefeito sugeriu que o PT apóie o nome Eunício.

Segundo informações do jornalista Donizete Arruda, Jornal do Cariri, após a mensagem, Manoel Santana, conversou pelo telefone com Eunício onde manifestou pessoalmente seu apoio. Eunício não nega o desejo de suceder Sarney, afinal, segundo o senador, a vaga é do PMDB. Mas, ressalta que há outros senadores peemedebistas na disputa e a decisão ainda está longe.

Segundo informações de bastidores, Eunício gostou do gesto de Santana que se comprometeu a defender o nome dele junto ao PT.

ESSA É O INÍCIO de uma reaproximação que parecia estar muito distante. Claro que esse distanciamento não se refere a divergências políticas. Ele acontece de forma natural pelo quadro eleitoral local que está em pleno processo de definição e o PMDB tem pré-candidato a prefeito e que, provavelmente, disputará contra a reeleição do prefeito Santana.

Manoel Santana pode ter dado um passo importante nesse processo ao declarar esse apoio, não falo de desistência da candidatura do PMDB, mas é importante num processo como esse ter a simpatia do potencial adversário. Afinal todas as possibilidades são passiveis de acontecer.

Agora o melhor na declaração de apoio ao senador Eunício foi a capacidade de separar a política local do quadro global da política brasileira. O Ceará está num momento de fortalecimento e todo o apoio é bem vindo quando um cearense entra num embate de poder em Brasília. Deixar de lado as siglas e pensar mais no bem de todos os cearenses será bem vindo não só o apoio de Santana, mas de toda a bancada de prefeitos, deputados e senadores do ceará. É isso que esperamos que aconteça.

segunda-feira, 12 de março de 2012

Sessão acalorada aprova contas do prefeito de Missão Velha


A Câmara Municipal de Missão Velha aprovou no último sábado (10), por cinco votos a quatro, as contas do prefeito Washington Fechine (PSB). A sessão, iniciada às 10h30, teve duração de duas horas e foi acompanhada por muitos correligionários, tanto partidários ao prefeito, como da oposição.

Antes da votação os vereadores se revezaram em debates acalorados para justificar suas posições. Tanto as questões técnicas, quanto a política foram destacadas pelos vereadores.

O presidente da casa, vereador Breno Lucena (PSDB), denunciou pressão sofrida para votar contra o relatório do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). “Jamais vou aceitar esse tipo de atitude e sempre votarei segundo meu julgamento e pela minha consciência”, disse o presidente. Breno foi o único dos três vereadores do PSDB a votar pela aprovação.

As contas tiveram pareceres positivos do TCM e negativo da Comissão de Finanças da Câmara. A comissão se baseou no parecer do promotor Júnior Cesar Rôla Saraiva, do TCM, que questionou o remanejamento de verbas sem a aprovação da Câmara. Para a desaprovação seriam necessários que dois terços dos vereadores votassem seguindo o parecer da comissão da Câmara.

Perguntado sobre a diferença de apenas um voto, o prefeito Washington disse que nunca teve maioria absoluta e que quando contou com uma votação mais expressiva foi pela coerência que exigia a matéria. Washington disse acreditar que a votação teve caráter mais político que técnico, isso, segundo ele, foi motivado pela proximidade da eleição, o que considerou normal.

DURANTE OS DEBATES ficou patente que aquela era mais que uma votação para aprovação ou não das contas do prefeito Washington, era um embate político. E nesse contexto, podemos afirmar que com o resultado a oposição continua dividida.

Digo isso baseado em como votaram os vereadores. Se não vejamos como eles votaram:

Pela aprovação: Zé Dantas e Adauto Nunes (PSB), Maria das Graças – Fitinha (PHS), Divanildo (PT) e Breno Lucena (PSDB).
Pela desaprovação: José Rolim e Alberto Pinheiro (PSDB), Cícero Cagece (PR) e Joanilton Ribeiro (DEM).

Ou seja, dos três do PSDB, partido que tem se colocado na oposição e já se organiza para lançar candidato, apenas dois votaram contra. O outro partido que já anunciou pré-candidatura foi o PT, que também votou a favor.

Então podemos dizer que caso os dois partidos tivessem votado unidos, já que são oposição, as contas estariam rejeitadas e a coisa para Washington estaria complicada. Mas, realidade é que o prefeito Washington consegue dividir a oposição e se fortalece para a reeleição.

Sineval Roque reafirma pré-candidatura do PSB em Crato


O deputado estadual Sineval Roque (PSB), pré-candidato a prefeito do Crato, reafirmou na manhã de ontem (11), em entrevista ao Jornalista Tarso Araújo, Jornal O Povo, que sua candidatura pelo PSB continua firme. O deputado afirmou ainda que o diretório municipal do PSB tem discutido em conjunto com o estadual, uma candidatura própria em Crato.

A reafirmação de Sineval Roque foi uma resposta a nota publicada no blog do jornalista Roberto Moreira, Diário do Nordeste, afirmando que o PSB do Crato poderia indicar a vice na chapa de Ronaldo Matos, pré-candidato do PMDB. “Posso assegurar que o PSB tem nome e esse nome sou eu”, disse Roque.

Segundo Roque, o PSB está dialogando com diversos partidos da base aliada com o intuito de formar um palanque único contra o nome indicado pelo PSDB. Mas, deixou claro que não há a mínima possibilidade do PSB indicar o vice do PMDB em Crato. “Não iremos abrir mão de disputar a prefeitura do Crato, pois o PSB, partido do governador Cid Gomes, tem trabalhado muito pelo Crato, basta ver as inúmeras obras do governo na cidade”, afirmou.

NÃO CONSIGO entender como se vai a uma mesa de negociação com uma posição fechada, eliminando o próprio espaço da negociação. O correto é que nenhum partido tivesse pré-candidato e iniciassem o processo apresentando seus nomes para encabeçar a chapa.

O grande problema da oposição do Crato é que o processo iniciou pelo final. Primeiro foram lançadas as pré-candidaturas para depois os partidos sentarem para discutir. Dessa forma fica muito difícil para qualquer um dos pré-candidatos retirarem o nome. Primeiro, porque perdem credibilidade junto ao eleitorado e, segundo, porque já avançaram muito em suas pretensões e aí já passou a ser um projeto pessoal.

Só na oposição, hoje, são quatro pré-candidatos e vá dizer a um deles que ele não será o candidato. Todos se acham com as melhores qualidades para a disputa. A sorte da oposição do Crato é a base do prefeito, também poderá sair dividida, o que torna a eleição cratense uma grande incógnita.

Agora não dá é para o deputado Sineval Roque sair respondendo a toda especulação de jornalistas. Não sei se o deputado ou sua “assessoria” prestou atenção, mas Roberto Moreira, disse que o PSB pode ser vice na chapa de Ronaldo. Ele não afirmou com certeza. Isso se chama especulação e poderia ser feita no sentido contrario. Esse artifício dos colunistas serve para fomentar o debate na cabeça dos eleitores e não para desarticular qualquer pré-candidatura.

Mas, o certo de todo esse episódio é a certeza de que a oposição cratense continua muito longe de um entendimento.

sexta-feira, 9 de março de 2012

Arnon Bezerra deixa distante a briga pela prefeitura de Juazeiro


Em entrevista ao jornalista Eliomar de Lima, o deputado federal Arnon Bezerra (PTB) disse que está trabalhando para ser reconduzido para a função de coordenador da bancada cearense em Brasília. Para isso, contaria, inclusive, com o apoio de deputado federal Eudes Xavier (PT).

Arnon disse ainda que também trabalha para ser candidato a prefeito em Juazeiro do Norte, embora reconheça que Raimundo Macedo tem um trabalho bem adiantado. "Temos tempo e quem tem tempo não tem pressa", disse.

Perguntado sobre uma aliança com o PT de “Manoel Salviano”, Arnon usou a expressão "danou-se" e concluiu "é uma pergunta difícil demais, vamos para frente". O deputado federal e pré-candidato Manoel Salviano (PSD), vem afirmando que está com o deputado José Arnon, mas caso Arnon não seja candidato, ele (Salviano) sairá candidato.

NA ENTREVISTA o deputado Arnon acaba dando uma pista da sua verdadeira pretensão no momento. Ele quer mesmo é voltar a liderança da bancada cearense. Até nós entendemos que não dá para se articular em duas frentes tão disputadas.

Quanto ao seu possível apoio, Arnon, também, deixa a entender que o nome do deputado federal Raimundo Macedo (PMDB) tem grandes chances. O problema é que Manoel Salviano tem dado preferência a Arnon e caso ele não saia candidato, o próprio Salviano será candidato. Então como ficaria a posição de Arnon frente a esse quadro? Ficaria com Salviano ou apoiaria Raimundo Macedo, reconhecidamente desafeto de Salviano?

O que fica de certo na afirmação de Arnon é que ele não está nada satisfeito com a proximidade de Salviano e o PT do prefeito Manoel Santana. Por isso, talvez, o posicionamento mais tendencioso a Raimundo Macedo.

De uma maneira ou de outra parece que o deputado Arnon Bezerra está saindo aos poucos do páreo, principalmente quando ele diz que “tem tempo e quem tem tempo não tem pressa”.

Assembleia aprova veto para projeto que pedia celeridade em pequenas causas que envolvam o governo


O plenário da Assembleia Legislativa aprovou, ontem (8), o veto enviado pelo Governo do Estado, ao projeto de lei do deputado Augustinho Moreira (PV), que pretendia dar mais celeridade a processos de pequenas causas que envolvam o Estado. A proposta era de que o Estado, órgãos e entidades das administrações estaduais direta e indireta pudessem optar pela adoção do juízo arbitral para a solução de pequenos conflitos em que figurem como uma das partes.

Foram 23 votos favoráveis ao veto contra apenas quatro. O Governo vetou integralmente o projeto do parlamentar que recebeu parecer favorável não apenas da Procuradoria da Casa, como também das comissões que estudaram a proposta: a de Constituição, Justiça e Redação; Trabalho; Administração e Serviço Público. A matéria foi aprovada em plenário no dia 24 de novembro de 2011, sem qualquer objeção.

O MAIS INTERESSANTE nesse caso é que quando o projeto foi apreciado pela primeira vez no plenário teve aprovação por unanimidade. Quando retornou a casa, com o veto do governador, somente quatro deputados mantiveram a posição.

Com a posição, o governo deixa bem claro que não tem interesse na transparência de julgamentos que o envolvam. É a velha história do “faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço.”

Na verdade, essa é uma posição de retrocesso. Primeiro, pela percepção de total submissão da base aliada. E, isso, além de ser um atraso democrático, dá uma clara demonstração do nível de liberdade que dispõem nossos parlamentares. Não esqueçamos que é o poder de questionamento que nos proporciona a verdadeira liberdade. E, vale salientar, representante sem liberdade é como um carro de corrida com pneu furado, não vai pra canto nenhum.

Mas, parece que nossos parlamentares não estão entendendo o que é ser base aliada. Ser aliado não, quer dizer submissão. Afinal o verdadeiro amigo é aquele que lhe diz a verdade. Ser aliado é questionar as ações e propor um caminho mais coeso para o desenvolvimento do projeto que, teoricamente, ajudou a construir. Mas, liberdades a parte, certo mesmo é que o governo Cid Gomes continua dando uma aula técnico-administrativa, mas é um verdadeiro fracasso quando o assunto é o social e a transparência.

quinta-feira, 8 de março de 2012

Ely Aguiar critica Estado e município por obras inacabadas do Canal do Rio Granjeiro no Crato


O deputado Ely Aguiar (PSDC) disse, ontem, em pronunciamento na Assembleia Legislativa que o governador Cid Gomes (PSB) está desgastado com o provo do Crato. Ele cobrou do governo uma solução concreta e definitiva para a situação do canal do Rio Granjeiro.

Ely Aguiar acusou o governo de "descaso", na forma como o poder público vem tratando essa problemática. Na avaliação do parlamentar, um dos representantes do Crato na Assembleia, tanto o Governo do Estado quanto a Prefeitura, foram omissos com a situação. "Um não faz nada e o outro cruzou os braços", pontuou.

Durante a sessão, o líder do Governo, deputado Antônio Carlos (PT), refutou as afirmações de Ely Aguiar e a discussão passou a ter um tom ríspido.

É IMPORTANTE RESSALTAR que Ely Aguiar está coberto de razão quando diz que a culpa é dos dois poderes. E mais, o deputado Antônio Carlos está completamente errado em refutar o irrefutável. Defender o indefensável é mostrar total e completa alienação acerca do papel de líder do governo. Como líder ele não está para fazer defesas cegas. Ele é um articulador político; um ouvinte que deve atuar como mediador entre as forças e propor saídas para o governo que representa junto aos outros colegas deputados.

Já Ely Aguiar, apesar da coragem deve sofrer uma grande pressão por parte dos aliados e pelo próprio governador Cid Gomes, de quem é aliado na Assembleia. Agora a pergunta é: onde estava o deputado Sineval Roque? Afinal como ele quer prefeito do Crato se na hora de fazer a defesa da cidade ele some, se esconde do debate. Parece que a fidelidade ao governo falou mais alto que a preocupação com o Crato.

O que fica desse episódio é que o Crato, pelo menos agora, só pode contar com um deputado na Assembleia. E vale salientar que estamos esperando os outros deputados da região, votados no Crato, também se manifestarem.

PSB e PMDB fecham pacto de aliança para as próximas eleições


O governador Cid Gomes (PSB) se reuniu ontem, quarta-feira, em Brasília, com senador Eunício Oliveira (PMDB). No encontro foi fechado acordo eleitoral em que PMDB e PSB marcharão unidos nas eleições de Fortaleza. O desejo de Cid e Eunício é manter os partidos unidos na maioria das 184 cidades do Ceará.

Apesar da decisão o governador Cid Gomes vive um momento de isolamento dentro do PSB, quando faz a defesa do apoio a uma candidatura do PT. Os socialistas, inclusive seu irmão Ciro Gomes, querem candidatura própria e já colocam o nome do presidente da Assembléia Roberto Claudio (PSB). A candidatura teria como vice um nome indicado pelo PMDB.

Nas demais cidades com relevante grau de importância, os dois partidos deverão estar coligados. A lista dos municípios onde será expandida essa aliança ainda não foi definida. Mas a aliança em 2012 enfim foi confirmada e tem grandes chances de se manter em 2014.

SÃO MUITAS AS ANÁLISES a serem feitas com a decisão. A primeira é a clareza da decisão dos dois lideres que resolvem peitar os chamados rebeldes e devem mostrar quem é que manda. Acredito que os grupos de tencionamento interno devem se esfacelar aos poucos a partir de agora. Claro que no PSB a coisa será mais demorada, já que, o principal tencionador é o ex-ministro Ciro Gomes que, com certeza, não deve abrir com tanta facilidade.

Outro fator a ser considerado é o anuncio de aliança na maioria das cidades do estado com atenção especial aos municípios mais importantes. E aí, é bom lembrar que Crato, Juazeiro e Barbalha devem estar entre esses municípios; o que, será tão difícil, quanto Fortaleza a articulação dessa aliança. No Crato e no Juazeiro, ambos os partidos têm pré-candidaturas. Apenas na Barbalha nenhum dos dois lançou pré-candidatura.

Mais um fator importante da conversa é que não foi citado o PT como aliado preferencial no interior, o que, eu acredito não ser definitivo.

E para finalizar, a confirmação da aliança para 2014, o que, fortalece a pretensão do senador Eunício Oliveira de disputar o governo do Estado com o apoio de Cid Gomes. Ou seja, o cerco está se fechando e as decisões importantes para os próximos anos na política cearense começam a ser tomadas. Então, cabe a nós ficarmos atentos aos acontecimentos.

Dia Internacional da Mulher

quarta-feira, 7 de março de 2012

Marcio Bilhar descarta apoio a Roque ao se lançar pré-candidato a prefeito


O empresário e ex-candidato a deputado estadual Marcio Bilhar (PRB), descartou o apoio a pré-candidatura do deputado Sineval Roque (PSB), ao se lançar, também, pré-candidato a prefeitura do Crato.

O anuncio veio depois que o Jornal do Cariri noticiou como tendência natural que Marcio fosse apoiar Roque. Marcio disse que deve apresentar uma proposta de projeto consistente para administrar o Crato a partir de janeiro de 2103. O empresário disse, ainda, que já conta com o apoio do ex-prefeito e seu sogro Moacir Siqueira e já conversa com outras lideranças da cidade.

PRIMEIRO que esse lançamento parece ter acontecido graças ao anuncio do Jornal do Cariri. Então podemos concluir que: ou o Jornal do Cariri tinha informação privilegiada, o que forçou o anuncio prematuro dos planos; ou não existia essa pretensão e ela aconteceu para agarrar a oportunidade.

De qualquer forma é importante dizer que Marcio Bilhar é uma liderança do Crato que deve ser levada em consideração. Mas, tem contra si dois fatos, um de ordem administrativa e outro de ordem pessoal, que na hora H podem contar negativamente contra seu nome numa disputa.

Na questão administrativa, ele fez parte como principal articulador da administração Moacir Siqueira, prefeito muito questionado pela opinião publica cratense. Já na questão pessoal pesa contra ele o fato de ser marido da filha de Moacir, Sandra Siqueira, figura muito que na época, também, foi muito questionada pela população do Crato.

Os dois fatos já foram, inclusive, usados contra ele na última campanha por meio de um panfleto apócrifo, o que, segundo alguns analistas cratenses, teria sido decisivo para o rendimento abaixo das expectativas nas urnas cratenses.

Mas, desgastes a parte Marcio deve participar do processo sucessório do Crato. Só não acredito que seja como candidato. Ele deve estar vislumbrando, com essa pré-candidatura, um fortalecimento pessoal para ter mais poder de negociação.

Liderança nacional do PMDB recebe manifesto contra política de alianças


O vice-presidente Michel Temer, o presidente nacional do partido, senador Valdir Raupp (RO) e o deputado Henrique Alves, líder do partido na Câmara, receberam um grupo de parlamentares para a entrega de um manifesto de insatisfação com a atual política de alianças do PMDB com o PT.

Os parlamentares se queixam dos privilégios concedidos pelo governo federal ao PT e temem que o gigantismo petista no governo se reflita nas eleições municipais. Os peemedebistas se sentem ameaçados de perder para o PT o título de maior partido em número de prefeitos no País e com isso verem reduzida sua força política para eleger uma boa bancada federal em 2014 e manter o comando do Congresso.

Segundo o deputado cearense Danilo Forte, o problema é que a direção partidária se acomodou e o movimento serve para dar uma mexida nessa situação. “Do jeito que está somos coadjuvantes. Apenas figurantes de segunda linha”, concluiu o parlamentar.

NA VERDADE, esse é mais um embate político interno que, é importante frisar, sempre houve dentro do PMDB. Os rebeldes temem perder a hegemonia que o partido exerce sobre os poderes municipais, com mais 1.200 prefeituras, e ver diminuída sua bancada de deputados.

E claro que a reclamação não tem sentido. Primeiro, porque o PMDB está muito bem colocado no cenário nacional e não deve perder espaços em nenhum dos níveis de poder. Muito pelo contrario, ele deve crescer e entrar bem mais forte na eleição de 2014. Os parlamentares reclamam de barriga cheia.

Eu, até, acredito que o PT deve crescer mais nesse ano, mas esse crescimento não atinge o PMDB, sim os partidos menores que devem, a partir deste ano, ser atropelados pelos partidos maiores. É o instinto de sobrevivência pré-reforma eleitoral. E, vale salientar, será apenas o começo.